quarta-feira, 6 de abril de 2011

Fortalecendo a Fé Através do Compromisso com Deus

Texto Base: “Tu, pois, meu filho, fortifica-te na graça que está em Cristo Jesus” (2Tm 2.1).

INTRODUÇÃO

A vida é um risco para todos. A diferença de como se vive esse risco é o compromisso com Deus e conseqüentemente a fé nEle. Temos uma proposta singular de aprendermos por meio desse treinamento sobre a fé fortalecida através do compromisso com Deus.

Vamos explorar o tema supracitado, tendo como base a vida de Timóteo e ressaltando as três grandes palavras de nosso título: “fortalecer”, “fé” e “compromisso”.

I – TIMÓTEO ENTENDIA O QUE É SER FORTALECIDO

A história de Timóteo é cheia de regras, pois recebeu instruções de ente grande quando ainda era um adolescente. Tudo começa quando o apóstolo Paulo, em viagem missionária entra numa cidade e ouve falar do bom testemunho do jovem Timóteo que fora instruído por sua mãe a avó. A partir daí, Paulo recomendaria o rapaz a tomar conta de Igrejas e deixaria para nós um dos maiores exemplos de que a chamada divina fortalece a fé através do compromisso com Deus.

1. Ser Fortalecido é Estar Pronto.

Tão logo Timóteo ouviu a mensagem de Paulo, já passou a segui-lo. Mais a frente quando seu ministério passaria pelas dificuldades de ter sido chamado muito novo para o exercício pastoral, Paulo o lembraria de que a única possibilidade de vencer as intempéries é estar pronto pra tudo o que vier, seja bom, seja ruim (2Tm 4.5).

2. Ser Fortalecido é Compartilhar a Fé.

O exemplo de Paulo a Timóteo foi marcante. Caso ele carecesse de um modelo que lhe fosse marcante, não lhe restava dúvida que este era Paulo. Participar da fé do próximo é qualidade de bom soldado de Cristo (2Tm 2.3).

3. Ser Fortalecido é Seguir Bons Exemplos.

Nenhum recurso é mais poderoso que o exemplo. Se quisermos ter crentes verdadeiros e comprometidos com o Reino de Deus, então que sejamos os primeiros. A palavra convence, mas o exemplo arrasta. “O que de minha parte ouviste através de muitas testemunhas, isso mesmo transmite...” (2Tm 2.2)

II – TIMÓTEO ACREDITOU QUE A FÉ PODIA SER FORTALECIDA

1. Como a um Soldado.

Convém aqui lembrar das armas espirituais que todo cristão deve usar, inclusive os adolescentes.
  • O cinturão da Verdade. O cinturão é que segurava as outras parte da armadura juntas. A verdade é a força integrante na vida de um crente vitorioso. Um homem de integridade, com uma consciência limpa, pode enfrentar o inimigo sem medo. O cinturão é que segurava a espada. A não ser que você pratique a verdade, você não pode usar a Palavra de Verdade. Davi viveu um ano mentindo sobre o seu caso com Bate-Seba e tudo começou a ir de mal a pior na sua vida.
  • A couraça da Justiça. Esta peça da armadura feita de metal cobria o guerreiro do pescoço ao peito. Protegia o coração e os órgãos vitais. Este é um símbolo da justiça que o crente tem em Cristo (2 Co 5:21), assim como o caráter justo que o crente exerce na sua vida diária (Ef 4:24). A couraça representa a vida devota e santa, ou seja, retidão moral.
  • O calçado do Evangelho. Os soldados romanos usavam uma sandália com cravos na sola para lhes darem segurança e agilidade na caminhada e corrida por lugares escarpados. Se nós queremos ficar firmes e de pé na luta, precisamos estar calçados com o Evangelho (que nos dá paz com Deus e com o próximo).
  • O escudo da Fé. Esse escudo media 1,6 metros por 0,70 metros. Ele protegia todo o corpo do soldado. Uma das armas mais terríveis eram os dardos inflamados porque não apenas feriam, mas também incendiavam. O diabo lança dardos inflamados em nossos corações e mentes: mentiras, pensamentos blasfemos, pensamentos de vingança, dúvidas e ardentes desejos de pecar.
  • O capacete da Salvação. Essa peça da armadura fala de uma mente controlada por Deus. Quando Deus controla a nossa mente, Satanás não pode levar o crente a fracassar. O crente que estuda a Bíblia e está firmado na Palavra de Deus não cede às novidades facilmente.
  • A espada do Espírito. A espada do Espírito é arma de ataque. Esta espada é a Palavra de Deus. Moisés quis libertar os israelitas com a espada carnal e fracassou, mas quando usou a espada do Espírito o povo foi liberto. Pedro quis defender a Cristo com a espada e fracassou, mas quando brandiu a Espada do Espírito, multidões se renderam a Cristo. Cristo venceu Satanás no deserto usando a espada do Espírito.
2. Como a um Atleta.

É importante que todos entendamos que a jornada cristã é semelhante a corrida de um atleta. Na carta aos Hebreus, o escritor recomenda: “Portanto, também nós, visto que temos a rodear-nos tão grande nuvem de testemunhas, desembaraçando-nos de todo peso e do pecado que tenazmente nos assedia, corramos, com perseverança, a carreira que nos está proposta (Hb 12.1).

As recomendações são as mais adequadas possíveis:
  • Tem gente que já passou por onde passamos. A lista do capítulo 11 de Hebreus é enorme, mas todos venceram;
  • Todo empecilho deve ser tirado. Qualquer corredor sabe que o peso é sinal de derrota. Tudo tem que ser leve. A vida cristã é uma vida com fardo leve (Mt 11.30);
  • A corrida deve ser encarada com determinação. A maioria dos adolescentes tem uma vida cristã superficial por que foram privados de aprofundar-se na Palavra de Deus. Negamos-lhe o alimento sólido para dar-lhes apenas leite. “Mas o alimento sólido é para os adultos, para aqueles que, pela prática, têm as suas faculdades exercitadas para discernir não somente o bem, mas também o mal” (Hb 5.14).
3. Como a um Lavrador.

O lavrador entende que seu sustento vem do cultivo da terra. Por isso ele acredita que a semente de hoje, será uma planta amanhã. Algumas lições são extraídas da rotina do lavrador para com a terra e a semente:

  • Ele prepara a terra. Não apenas joga a semente no solo; ele esquematiza um jeito de que aquela terra poderá receber a semente;
  • Ele seleciona a semente. Nem todas as sementes dão-lhe a garantia de que vão brotar, por isso, sua experiência aqui é fundamental. Todas as sementes devem passar pela sua mão;
  • Ele providencia meios que garantam o nascimento do que plantou. Água, sol, ventos, alguns agrotóxicos, pesticidas. Tudo até vê-la rebentando na terra;
  • Ele acredita que a semente brotará. Ainda que as estações não sejam favoráveis, o semeador acredita que sua semente vai nascer. Isso nos fala de fé. Nós acreditamos que a semente, mesmo sem as condições necessárias, um dia brotará.
III – PRINCIPAIS CARACTERÍSTICA DA FÉ FORTALECIDA

O apóstolo Paulo claramente entendia o que é ter uma fé fortalecida. Por isso, quando escreveu ao jovem Timóteo teve a prudência de aconselhá-lo a ter uma fé fortalecida no Senhor. Segue abaixo as principais características que o jovem obreiro deveria esforçar-se para alcançar:

1. Está disposto a sofrer quando chegarem as provações.

O sofrimento faz parte do treinamento e também do ofício do soldado. Sofrer por generais humanos é um privilégio para os soldados, e quanto a nós, será que estamos recebendo tal idéia como um privilégio?

2. Está ativo no seu dever.

Sim, o soldado está lá para servir, está consciente de suas obrigações e pronto para exercê-las na hora em que for requisitado. Ele não dirá: "estou ocupado ou cansado, agora não posso". Pelo contrário, ele dirá: “Eis-me aqui, envia-me a mim”.

3. Está sempre no centro do combate.

Muitos estão fugindo da responsabilidade, pois sabem que uma guerra está sendo travada, e não querem se envolver. Preferem ficar olhando de longe, calados, omissos, enquanto seus companheiros combatem os inimigos da verdade. O bom soldado não é um covarde, não foge do inimigo, mas o enfrenta - na direção, na unção e no poder do seu General que é Cristo.

4. Não tem tempo a perder.

Por isso não se envolve com negócios dessa vida. É preciso estar consagrado à causa de Jesus. As demais coisas são secundárias e podem ficar pra depois. O bom soldado abre mão de certos privilégios e interesses oferecidos pelo mundo.

5. Quer sempre satisfazer a Cristo.

Esforça-se muito para agradá-Lo, mesmo que desagrade a outros. Esse é e sempre será o seu objetivo - satisfazer aquEle que o arregimentou!

IV – BREVES CONSIDERAÇÕES SOBRE A ADOLESCÊNCIA – A PROVA DE FOGO

A psicologia entende como adolescência, o período compreendido entre 12 e 18 anos, podendo se estender até 21, dependendo do caso. Para alguns essa é a verdadeira “melhor idade”!

É quando chega a época do vestibular que percebemos que o tempo passou, e que algumas responsabilidades precisarão ser assumidas. É importante que o adolescente esteja bem preparado para este momento. Para alguns, o vestibular significa independência, para outros, uma maneira de provar sua competência, que em alguns casos, ele julga ter sido muito questionada. Há quem veja o vestibular como mais um monstro a ser enfrentado. Entretanto, é preciso entender que no mundo moderno, estudar tornou-se o grande diferencial para um futuro profissional mais seguro, e que embora tal esforço custe um alto preço, traz benefícios singulares para a vida do jovem.

Na verdade, a vida pode ser comparada a um grande vestibular. Todos os dias temos uma prova a superar, temos perguntas a responder, algumas bem complexas. Diariamente também você tem que enfrentar a concorrência em algum aspecto da vida, e às vezes, tem que provar a si mesmo que pode superar certo obstáculo.

Mas e na vida espiritual? Não é verdade que ela é como um vestibular a cada dia? Entretanto, para entrar na universidade de Deus é preciso um outro preparo. É indispensável que o candidato passe na prova de Cristologia, pois conhecer a Cristo faz toda a diferença na vida. Você conhece a sua Bíblia? É bom estudá-la com seriedade, pois ela nos ajuda a entender a nossa própria história. Muitos são reprovados na prova de Perdãologia, uma vez que guardam mágoas e amarguras no coração, fruto de conflitos mal resolvidos. Na avaliação de Deus, isso não passará despercebido.

Se o pecado vem ao encontro do seu coração, numa velocidade constante de 100 km por segundo, e considerando-se que no ponto B, um versículo da Bíblia que você lembrou, parte numa velocidade igual para combatê-lo, e levando-se em conta a distância de 45 cm entre seu coração e sua mente, responda: Em quanto tempo o pecado será combatido? Prepare-se, isso é Física Espiritual.

A Matemática Divina é onde muitos ficam para trás. É preciso aprender a fórmula: Tudo menos Deus é igual a nada, que pode ser representada por T – D = 0, e assimilar o conceito de que dar é melhor que receber, ou seja: D > R, por isso na prática, precisaremos fazer melhor as contas, na hora de contribuir para a obra de Deus. Também você dependerá de conhecer a fórmula inversa: Nada mais Deus é igual a tudo (N + D = T).

A “Linguística do céu”, que é uma matéria que avalia o que você fala e como fala, e quanto pensa antes de falar, tem peso alto no vestibular de Deus. Tome cuidado, seja tardio para falar, tardio para irar, pronto para ouvir (Tg 1.19). Vale lembrar que duas outras matérias costumam reprovar, a Famílialogia, que avalia como você se relaciona com seus familiares, e Igrejalogia, sobre seu relacionamento com os da igreja.

Um comentário:

Lucas de Almeida Moraes disse...

Ola amigo

Meu nome é Lucas de Almeida Moraes, sou um jovem de 17 anos apaixonado pela filosofia e teologia.
Gostei muito do seu trabalho!

Também tenho um blog e ficaria feliz se visitasse e me ajudasse a divulgar!

www.sabendomaissobreaigreja.blogspot.com

Graça e paz amigo, e que Deus te abençoe!

Abraço!