sexta-feira, 18 de novembro de 2011

O Valor da Doutrina Bíblica


Estamos às portas do fim do ano e ainda estamos a comemorar o Centenário das Assembléias de Deus no Brasil. Este mês, abordaremos o tema Doutrinas Bíblicas que é o que as Assembléias de Deus tem feito desde sempre.

À luz da Bíblia, doutrina é o ensino bíblico normativo, terminante, final, derivado das Sagradas Escrituras, como regra de fé e prática de vida, para a igreja, para seus membros. Ela é vista na Bíblia como expressão prática na vida do crente. As doutrinas da Palavra de Deus são santas, divinas, universais e imutáveis.

A palavra “doutrina” vem do latim doctrina, que significa “ensino” ou “instrução”, e se refere às crenças de um grupo particular de crentes ou mesmo de partidários. O Velho Testamento usa a palavra hebraica leqach, que vem do verbo laqach, que significa “receber”. O sentido primário é “o recebido”. Aparece com o sentido de “doutrina” ou “ensinamento”, como lemos “Goteje a minha doutrina como a chuva” (Deuteronômio 32.2); “A minha doutrina é pura” (Jó 11.4); “Pois vos dou boa doutrina; não deixeis a minha lei” (Provérbios 4.2). Com o passar do tempo a palavra veio significar o ensino de Moisés que se encontra no Pentateuco.

As palavras gregas para “doutrina”, no Novo Testamento, são didaque e didaskalia, que significam “ensino”. Essas palavras transmitem a idéia tanto do ato de ensinar como da substância do ensino. A primeira aparece para indicar os ensinos gerais de Jesus: “E aconteceu que, concluindo Jesus este discurso, a multidão se admirou da sua doutrina” (Mateus 7.28). “Jesus respondeu e disse-lhes: A minha doutrina não é minha, mas daquele que me enviou. Se alguém quiser fazer a vontade dele, pela mesma doutrina, conhecerá se ela é de Deus ou se eu falo de mim mesmo” (João 7.16,17).

A mesma palavra aparece para “doutrina dos apóstolos” (Atos 2.42), que parece ser uma indicação das crenças dos apóstolos. A segunda tem o mesmo sentido e aparece em Mateus 15.9 e Marcos 7.7. É, portanto, nas epístolas pastorais que elas aparecem com o sentido mais rígido de crenças ou corpo doutrinal da igreja – a Teologia propriamente dita.

Entre as principais doutrinas que nos dão a devida orientação para nossas pregações e seminários destacamos: Teologia, a Doutrina de Deus; Cristologia, a Doutrina de Cristo; Paracletologia, a Doutrina do Espírito Santo; Bibliologia, a Doutrina da Bíblia Sagrada; Angeologia, a Doutrina dos Anjos; Antropologia, a Doutrina do Homem; Hamartilogia, a Doutrina do Pecado; Soteriologia, a Doutrina da Salvação; Eclesiologia, a Doutrina da Igreja; Escatologia, a Doutrina das Últimas Coisas. É lógico que existem muito mais doutrinas que as que listamos aqui.

Ainda mais importante de tudo o que foi acima, é compromisso que cada cristão deve ter com a doutrina. Nossos pregadores, expositores bíblicos, exegetas, seminaristas, professores e alunos devem ter o cuidado que não querer ir além do que a doutrina, pois a voz da doutrina é a voz da Bíblia e a voz da Bíblia é a voz de Deus.