quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

Compromissos 2009

O ANO DA FAMÍLIA

JANEIRO

Dia 1 – Quinta: Igreja Evangélica Assembléia de Deus Central em Porto Velho (Família Alvo do Amor de Deus)

Dias 7 a 27 - Tempo de Dedicação à Família (Brasília/DF)

Dia 18 – Domingo: Igreja Evangelho Quadrangular, Alexânia/GO (O Amor de Deus)

Dia 27 – Terça: Igreja Evangélica Assembléia de Deus Central em Porto Velho (Fases do Amor de Deus).

FEVEREIRO

Dia 1 – Domingo: Igreja Evangélica Assembléia de Deus Central em Porto Velho (Propósitos de Deus para o Casamento)

Dia 3 – Terça: Igreja Evangélica Assembléia de Deus, Cong. Monte Moriá (Gratidão)

Dia 4 – Quarta: Igreja Evangélica Assembléia de Deus, Cong. Trombeta do Avivamento (O Melhor Lugar)

Dia 8 – Domingo: Igreja Evangélica Assembléia de Deus, Cong. Ágape (Desejei comer convosco esta páscoa)

Dia 11 – Quarta: Igreja Evangélica Assembléia de Deus, Cong. Filadélfia (As Grandezas de Abraão)

Dia 12 – Quinta: Faculdade São Lucas. Formatura de Nutrição (Profissionais de Sucesso)

Dia 22 – Domingo: Igreja Evangélica Assembléia de Deus, Cong. Sol da Justiça (A Bíblia em Nosso Coração)

Dia 25 – Quarta: Igreja Evangélica Assembléia de Deus, Cong. Betesda (Conselhos para o Sucesso).

MARÇO

Dia 1 – Domingo: Igreja Evangélica Assembléia de Deus Central em Porto Velho (Seu Filho precisa de Você)

Dia 8 – Domingo: Igreja Evangélica Assembléia de Deus Central em Porto Velho (Jesus e as Mulheres)

Dia 15 – Domingo: Igreja Evangélica Assembléia de Deus, Cong. Novo Horizonte (Bençãos de Abraão às Famílias)

Dia 20 - Sexta: Igreja Evangélica Assembléia de Deus, Cong. Renascer (Restituição)

Dia 21 - Sábado: Igreja Evangélica Assembléia de Deus, Cong. Sol da Justiça (O Temor a Deus é o Princípio da Sabedoria)

Dia 29 – Domingo: Igreja Evangélica Assembléia de Deus Central em Porto Velho (Minha Casa, Minha Primeira Igreja).

ABRIL

Dia 1 - Quarta-feira: Igreja Evangélica Assembleia de Deus, Cong. Porta das Ovelhas (Escatologia Bíblica: Sua Importância Doutrinária)

Dia 8 – 2ª Quarta: Igreja Evangélica Assembléia de Deus, Cong. Porta das Ovelhas (A Doutrina da Morte)

Dia 15 – 3ª Quarta: Igreja Evangélica Assembléia de Deus, Cong. Porta das Ovelhas (O Estado Intermediário dos Mortos)

Dia 19 - Domingo: Igreja Evangélica Assembléia de Deus, Cong. Jerusalém (Construindo o Alicerce da Família)

Dia 22 – 4ª Quarta: Igreja Evangélica Assembléia de Deus, Cong. Porta das Ovelhas (A Ressurreição dos Mortos)

Dia 23 - Quinta: Igreja Evangélica Assembleia de Deus Central em Porto Velho (Sacrifício de Louvor)

Dia 29 – 5ª Quarta: Igreja Evangélica Assembléia de Deus, Cong. Porta das Ovelhas (Sinais da Vinda de Jesus)

MAIO

Dia 3 – Domingo: Igreja Evangélica Assembléia de Deus Central em Porto Velho (Mãe, o Coração de Deus na Família)

Dia 6 – 6ª Quarta: Igreja Evangélica Assembléia de Deus, Cong. Porta das Ovelhas (Israel, Relógio Escatológico de Deus)

Dia 8 - Sexta: Igreja Evangélica Assembleia de Deus, Cong. Manancial de Benção (Seminário de Escatologia)

Dia 9 - Sábado: Igreja Evangélica Assembleia de Deus, Cong. Manancial de Benção (Seminário de Escatologia)

Dia 10 - Domingo: Igreja Evangélica Assembleia de Deus, Cong. Manancial de Benção (Seminário de Escatologia)

Dia 13 – 7ª Quarta: Igreja Evangélica Assembléia de Deus, Cong. Porta das Ovelhas (O Arrebatamento da Igreja)

Dia 20 – 8ª Quarta: Igreja Evangélica Assembléia de Deus, Cong. Porta das Ovelhas (O Tribunal de Cristo e Bodas do Cordeiro)

Dia 27 – 9ª Quarta: Igreja Evangélica Assembléia de Deus, Cong. Porta das Ovelhas (A Grande Tribulação - 1ª parte)

Dia 30 – Sábado: Igreja Evangélica Assembléia de Deus Central em Porto Velho (O Tempo e Deus)

Dia 31 – Domingo: Igreja Evangélica Assembléia de Deus Central em Porto Velho (A Família e seus Valores)

JUNHO

Dia 3 – 10ª Quarta: Igreja Evangélica Assembléia de Deus, Cong. Porta das Ovelhas (Grande Tribulação - 2ª parte)

Dia 10 – 11ª Quarta: Igreja Evangélica Assembléia de Deus, Cong. Porta das Ovelhas (O Milênio)

Dia 17 – 12ª Quarta: Igreja Evangélica Assembléia de Deus, Cong. Porta das Ovelhas (O Juízo Final)

Dia 20 – Sábado: Igreja Evangélica Assembléia de Deus Central em Porto Velho (Disciplinas do Senhor ao Jovem Cristão)

Dia 24 – 13ª Quarta: Igreja Evangélica Assembléia de Deus, Cong. Porta das Ovelhas (O Eterno e Perfeito Estado com Deus)

JULHO

Dia 5 – Domingo: Igreja Evangélica Assembléia de Deus Central em Porto Velho (Família: Pedra Angular da Sociedade)

Dia 15 - Quarta: Igreja Evangélica Assembléia de Deus, Cong. Jerusalém (Seminário de Escatologia Bíblica)

Dia 16 - Quinta: Igreja Evangélica Assembléia de Deus, Cong. Jerusalém (Seminário de Escatologia Bíblica)

Dia 17 - Sexta: Igreja Evangélica Assembléia de Deus, Cong. Jerusalém (Seminário de Escatologia Bíblica)

Dia 18 – Sábado: Igreja Evangélica Assembléia de Deus, Cong. Jerusalém (Seminário de Escatologia Bíblica)

Dia 19 - Domingo: Igreja Evangélica Assembléia de Deus, Cong. Jerusalém (Seminário de Escatologia Bíblica)

AGOSTO

Dia 2 – Domingo: Igreja Evangélica Assembléia de Deus Central em Porto Velho (O Padrão Divino para o Pai)

Dia 9 – Domingo: Igreja Evangélica Assembléia de Deus, Cong. Monte Moriá (Pais segundo o Coração de Deus)

Dia 16 – Domingo: Igreja Evangélica Assembléia de Deus, Cong. Novo Horizonte (Despertamento do Espírito)

Dia 30 – Domingo: Igreja Evangélica Assembléia de Deus Central (Estabelecendo os Laços de Família)

SETEMBRO

Dia 1 - Terça-feira: Igreja Evangélica Assembleia de Deus Central (Parábola dos Talentos)

Dia 20 - Domingo: Igreja Evangélica Assembleia de Deus, Cong. Sol da Justiça (Pregador de um homem só)

Dia 26 - Sábado: Igreja Evangélica Assembleia de Deus Central em Porto Velho (A Deus seja a Glória)

Dia 27 - Domingo: Igreja Evangélica Assembleia de Deus Central em Porto Velho (A Família aos Pés da Cruz)

OUTUBRO

Dia 11 -Domingo: Igreja Evangélica Assembleia de Deus, Cong. Jerusalém (Sê tu uma benção)

Dia 13 - Terça-feira: Igreja Evangélica Assembleia de Deus Central em Porto Velho (Israel, a Figueira para os tempos do Fim)

NOVEMBRO

Dia 1 – Domingo: Igreja Evangélica Assembléia de Deus Central em Porto Velho (Restaurando o Amor na Família através do Perdão)

Dia 19 - Quinta-feira: Igreja Evangélica Assembleia de Deus, Cong. Monte Moriá (Eu quero a Glória da Segunda Casa)

Dia 24 - Terça-feira: Igreja Evangélica Assembleia de Deus Liberdade e Vida em Brasília (Deus e o Tempo)

Dia 25 - Quarta-feira: Igreja do Evangelho Quadrangular em Alexânia/GO (A Volta de Jesus)

DEZEMBRO

Dias 2 a 5 - Semana Teológica 2009 (Tendências Teológicas do Século 21).

Dia 6 – Domingo: Igreja Evangélica Assembléia de Deus Central em Porto Velho (Família, Meu Maior Patrimônio)

Dia 22 - Terça-feira: Igreja Evangélica Assembleia de Deus Central em Porto Velho (Os Selos do Apocalipse)

Dia 23 - Quarta-feira: Igreja Evangélica Assembleia de Deus, Cong. Novo Horizonte (O Arrebatamento da Igreja)

Dia 25 - Sexta-feira: Igreja Evangélica Assembleia de Deus Ministério Missão, Setor 10 (Emanuel)

Dia 29 - Terça-feira: Igreja Evangélica Assembleia de Deus Central em Porto Velho (As Trombetas do Apocalipse)

Dia 31 - Quinta-feira: Igreja Evangélica Assembleia de Deus, Cong. Trombeta do Avivamento (Planos para o Ano que Vem)

§§§§§§§§§§§§§§§§§§§§§§§§§§§§§§§§§§§§§§§§§§§§§§§§§§§§§§§§§§§§§§§§§§§§§§§§§§§§§§§§§§§§§§§§§§§§§§§§§

Meus agradecimentos a todos os pastores, líderes e amigos que me permitiram pregar, ensinar e ministrar em suas Igrejas. Que Deus enriqueça a cada um em Nome de Jesus! Tenham paz!

Nilonei Ramos

O que espero de 2010

Ante as últimas tendências do mundo moderno de então, o ano de 2010 nos trará grandes surpresas. Surpresas em todas as áreas. Sei que temos vontade de viver melhor e de bem com Deus. A comunhão com os irmãos não é utopia. A vida de santidade não é inatingível. É possível sim!

Mas apesar de ter planos para o ano que vem, minha cabeça falta explodir ante as últimas investidas do sistema humano e maligno que governa esse mundo que estamos inseridos.

A política está desacreditada. A mesma que deveria trazer segurança e tranquilidade à população é a mais corrupta dos últimos 50 anos. Vale lembrar que o ano que inicia é ano político. Teremos milhares de candidatos mendigando um voto em troca de qualquer favor; a eles, o meu "não". Sem falar de outros que desconhecendo as ideologias de seu partido, acabam participando da mesa dos demônios.

A economia está abalada. Tivemos uma crise que abalou-nos um pouco, mas sobrevivemos. Graças a Deus. Ainda assim, a verdade é que as soluções tornaram-se temporais. Temos miséria em toda a parte e uma grande maioria da população brasileira dorme sem comer nada. Uma desigualdade social sem tamanho. Que tristeza!

continua...

quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

Blog Devocional 365 - Estréia em Janeiro de 2010

Muitas pessoas passam dias e às vezes meses e anos sem ler uma linha de algo a respeito de Deus. Em casos mais graves, outros lêem dezenas de livros por ano e o último a ser folheado é o Livro de Deus, a Bíblia Sagrada.

Para facilitar as coisas e tornar possível esse encontro, a partir de 1 de janeiro de 2010 estará aberto ao blogueiros de plantão o Devocional 365 (http://devocional365.blogspot.com/) com reflexões diárias da Palavra de Deus. Nele, o editor fará uma relfexão por dia. Pelo menos esse é o compromisso.

Às vezes as postagens serão colocadas nas primeiras horas do dia (quando o editor acordar inspirado); em outras, ao meio-dia (quando o editor estiver em horário de almoço) e em outras no final do dia (quando o editor fará análises de eventos que aconteceram).

Seja qual for a hora e situação, o compromisso é trazer uma reflexão por dia para fazer deste momento um encontro diário com Deus.

Até os próximos dias de 2010!

Nilonei Ramos

Dia Internacional da Promessa

Estamos chegando outra vez ao final do ano. Apesar de já termos passado por isso algumas vezes, repetidas vezes (28, no meu caso), é a primeira e última vez que deixaremos para trás o ano de 2009. O ciclo de 365 dias está acabando. Em números isso é incrível:
  • Foram 365 dias inéditos de 24 horas cada um;
  • Foram 12 meses de 30,41 dias (tirando a média);
  • Foram 52,14 semanas de 7 dias (tirando a média de novo);
  • Foram 8.760 horas de pura emoção vividas uma por vez;
  • Foram 525.600 minutos que às vezes pareciam não passar e outros que gostaríamos que jamais acabassem;
  • Foram 31.536.000 segundos que fizeram toda a diferença em cada uma de nossas atitudes.

Para saber:

  • O valor de um ano, pergunte ao aluno que estudou os 365 dias e seu boletim final consta um "X" em "reprovado".
  • O valor de um mês, pergunte a uma futura mãe que, sem planejamento, teve seu filho prematuro e ao invés de tê-lo em seus braços, vê-o pela vidraça de uma incubadora.
  • O valor de uma semana, pergunte ao editor de uma revista semanal.
  • O valor de um dia, pergunte ao trabalhador braçal que ganha o sustento da família pelas horas de desempenho na empresa.
  • O valor de uma hora, pergunte a um namorado que há tempo espera pelo seu encontro de amor.
  • O valor de um minuto, pergunte ao empresário que acabou de perder o avião que o levaria para uma reunião de negócios.
  • O valor de um segundo, pergunte a quem escapou por um fio de um grave acidente.

Não acredito que Deus tenha dividido o tempo de forma tão organizado para que não atentássemos nesses detalhes que diariamente testemunhamos. Não podemos nos dar o luxo de viver perdendo tempo. Mas infelizmente alguns agem dessa terrível forma.

Um ano inteiro de irresponsabilidade, desonestidade, mentiras, arrogância, preguiça, omissão, prevaricação, promiscuidade, traição, infidelidade e tantas outras coisas semelhantes a estas formam o teatro montado por alguns que descaradamente acreditam em um Deus vestido de papai Noel, o velhinho de coração mole, que não resiste às emoções de final de ano, e que só aparece uma vez a cada 365 dias. Faça-me o favor! Deus é presente o tempo todo em todos os lugares. Não podemos vendar os seus olhos para que não veja nossas falhas. Perante Ele, "todas as coisas estão nuas e patentes" (Hb 4.13). É muito engano de nossa parte acreditar que Deus ficará comovido com nossos votos de fidelidade nos últimos dias do ano.

Mas ainda tem jeito. O que temos de fazer é reconhecer nossas limitações. Admitir nossas falhas para com Deus e rogar a Ele que nos faça melhores no ano que vem para não incorrermos no mesmo erro de hoje. Ele já está nos dando uma nova chance...

  • Para apreciar sua divina providência. Será que alguém faria por nós o que Ele tem feito? Quem mais poderia chover num dia de sol ou fazer aparecer o sol depois de uma negra noite?
  • Para reconhecer nossas limitações. Será que é tão difícil ver que sem Ele nada podemos fazer? Ele dá o sono da noite e nos faz acordar pela manhã. Consegue alguém que se importe com coisas tão naturais?
  • Para nos mostrar a sua Graça. Quem abriria as portas de sua casa para um moribundo? Quem daria tesouros a um mendigo? Quem faria de um bastardo seu filho?
  • Para nos provar seu amor por nós. Além dEle, nem no céu, nem na terra, nem debaixo da terra, haveremos de encontrar um amor semelhante ao seu. É simplesmente inexplicável, mas pode ser profundamente sentido por qualquer um que aceitar seu abraço.

E as promessas de fim ano, como ficam? Elas ficam registradas diante de Deus. Deus lembrará delas durante todos os dias do ano. Todos os 365 dias devem dominar a nossa mente de que nossas promessas de fim de ano estão diante de Deus. Todas as promessas...

  • A promessa de ler a Bíblia. Por que esperar começar o ano? Comece hoje!
  • A promessa de orar mais. Já que oração não é limitada por espaço e tempo, por que não chamá-lo agora para uma longa conversa?
  • A promessa de fazer mais para o Reino de Deus. Menos tempo pra mim e mais tempo para Ele e com Ele. Quer um lema melhor para sua vida?
  • A promessa de ser fiel. Isso depende de cada um de nós. Ser fiel é uma questão de decisão. Exige perseverança, comprometimento, desprendimento e coragem.

E muitas outras que primam pelo reino e a glória de Deus.

Sei que essas promessas devem fazer parte da vida de qualquer cristão. A partir delas, podemos fazer aquelas que fazem parte de nossa vida neste mundo...

  • Fazer alguém feliz...
  • Fazer faculdade...
  • Estudar mais...
  • Casar-se...
  • Ter filhos...
  • Construir, reformar ou comprar uma casa...
  • Comprar um carro...
  • Mudar de cidade...
  • Mudar de emprego...
  • Trocar os móveis da casa...

Não há limites para fazer promessas. Mas lembre-se: Não magoe ninguém com elas. Não entristeça a Deus com aquelas que você não conseguir cumprir.

Feliz Ano Todo!

sexta-feira, 25 de dezembro de 2009

Especialmente aos Pequeninos

Provas de seu Amor

A Maior de todas as Notícias

José, o Homem que Ensinou Deus

Deus nos Braços de uma Donzela

Emanuel - Presente de Natal

Natal de Jesus

Hoje comemoramos o Natal. Dia de júbilo para todos. Cada pessoa tem um jeito próprio de comemorar. A noite é pequena para tanta imaginação. Famílias inteiras celebram o Natal. Mas será que foi assim desde o princípio? Como terá sido as primeiras comemorações do Natal?

O dicionário diz que natal é "nascimento, especialmente o de Jesus". Mas vamos ao texto bíblico que registra o natal; está escrito em Mt 1.19-25:

"Ora, o nascimento de Jesus Cristo foi assim: Estando Maria, sua mãe, desposada com José, antes de se ajuntarem, achou-se ter concebido do Espírito Santo. Então José, seu marido, como era justo, e a não queria infamar, intentou deixá-la secretamente. E, projetando ele isto, eis que em sonho lhe apareceu um anjo do Senhor, dizendo: José, filho de Davi, não temas receber a Maria, tua mulher, porque o que nela está gerado é do Espírito Santo; e dará à luz um filho e chamarás o seu nome JESUS; porque ele salvará o seu povo dos seus pecados. Tudo isto aconteceu para que se cumprisse o que foi dito da parte do Senhor, pelo profeta, que diz; Eis que a virgem conceberá, e dará à luz um filho, e chamá-lo-ão pelo nome de EMANUEL, Que traduzido é: Deus conosco. E José, despertando do sono, fez como o anjo do Senhor lhe ordenara, e recebeu a sua mulher; e não a conheceu até que deu à luz seu filho, o primogênito; e pôs-lhe por nome Jesus".

Não vemos muita festa neste dia. Apesar de ser a maior de todas as notícias dada aos homens, o natal de Jesus envolve dois jovens inexperientes que estavam agora tendo de lidar com a bombástica notícia de uma gravidez não planejada (pelos menos por eles). Na eternidade de Deus já estava arquitetado um plano de salvação que incluía o nascimento de Deus em forma humana entre os homens. A maior humilhação de Deus: tornar sua natureza infinita limitada a um corpo de carne e osso, naturalmente finito.

Naquele dia, ninguém estava presente para receber a chegada do Rei de toda a Terra. Isso mesmo, Jesus nasceu Rei. Mesmo sendo filho de José e Maria, era pai deles por excelência. Alguns poucos animais (vacas, cavalos, camelos, galinhas, etc) podem ter presenciado a chegada de Jesus em nosso planeta. Que honra para eles! Mas que insulto a Deus. Os judeus esperavam o seu Messias montado num cavalo branco, de sangue azul, da tribo de Judá, com estratégias políticas que deportariam o jugo dos romanos. Que decepção para eles! Os planos de Deus eram outros, bem diferentes, para falar a verdade.

Jesus dependeria da proteção especial do ventre de Maria por nove meses, como uma criança comum. Causaria enjôos em sua mãe, deixaria José inciumado e o faria trabalhar um pouco a mais que o costume. Aquilo que não fora planejado, tornava-se o alvo dos cuidados de Maria e José, os escolhidos por Deus para introduzi-lo na Terra como homem.

Por que Deus não se encarnou em algumas mais favorecidas, ricas, mais experientes? "Porque, vede, irmãos, a vossa vocação, que não são muitos os sábios segundo a carne, nem muitos os poderosos, nem muitos os nobres que são chamados. Mas Deus escolheu as coisas loucas deste mundo para confundir as sábias; e Deus escolheu as coisas fracas deste mundo para confundir as fortes; e Deus escolheu as coisas vis deste mundo, e as desprezíveis, e as que não são, para aniquilar as que são; para que nenhuma carne se glorie perante ele. Mas vós sois dele, em Jesus Cristo, o qual para nós foi feito por Deus sabedoria, e justiça, e santificação, e redenção; para que, como está escrito: Aquele que se gloria glorie-se no Senhor" (1Co 1.26-31). Ele prefere as coisas menos prováveis.

continua....

sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

A Verdadeira Felicidade

"Bem-aventurados os pobres de espírito, porque deles é o reino dos céus;

Bem-aventurados os que choram, porque eles serão consolados;

Bem-aventurados os mansos, porque eles herdarão a terra;

Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque eles serão fartos;

Bem-aventurados os misericordiosos, porque eles alcançarão misericórdia;

Bem-aventurados os limpos de coração, porque eles verão a Deus;

Bem-aventurados os pacificadores, porque eles serão chamados filhos de Deus;

Bem-aventurados os que sofrem perseguição por causa da justiça, porque deles é o reino dos céus;

Bem-aventurados sois vós, quando vos injuriarem e perseguirem e, mentindo, disserem todo o mal contra vós por minha causa.

Exultai e alegrai-vos, porque é grande o vosso galardão nos céus; porque assim perseguiram os profetas que foram antes de vós".

(Jesus Cristo, Mt 5)

terça-feira, 15 de dezembro de 2009

Minha Família, Meu Maior Patrimônio







"Se o SENHOR não edificar a casa, em vão trabalham os que a edificam; se o SENHOR não guardar a cidade, em vão vigia a sentinela. Inútil vos será levantar de madrugada, repousar tarde, comer o pão de dores, pois assim dá ele aos seus amados o sono. Eis que os filhos são herança do SENHOR, e o fruto do ventre o seu galardão. Como flechas na mão de um homem poderoso, assim são os filhos da mocidade. Bem-aventurado o homem que enche deles a sua aljava; não serão confundidos, mas falarão com os seus inimigos à porta" (Sl 127).

terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Ministério é Coisa Séria

"No demais, irmãos meus, fortalecei-vos no Senhor e na força do seu poder. Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para que possais estar firmes contra as astutas ciladas do diabo. Porque não temos que lutar contra a carne e o sangue, mas, sim, contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais. Portanto, tomai toda a armadura de Deus, para que possais resistir no dia mau e, havendo feito tudo, ficar firmes. Estai, pois, firmes, tendo cingidos os vossos lombos com a verdade, e vestida a couraça da justiça; e calçados os pés na preparação do evangelho da paz; tomando sobretudo o escudo da fé, com o qual podereis apagar todos os dardos inflamados do maligno. Tomai também o capacete da salvação, e a espada do Espírito, que é a palavra de Deus" (Ef 6.10-17).

Parecia que Paulo estava olhando um soldado romano quando escreveu estas palavras. Comparando o cristão com um soldado, a mensagem ganha algo visível. Jamais imaginaríamos que a vida cristã seria tão prática. Couraça, sapatos, escudo, capacete, espada. Somos soldados de Cristo é isso que Paulo está dizendo aqui. Cada um desses itens tem a sua finalidade:

A couraça protege o coração. O sapato protege os pés. O escudo protege o corpo dos dardos inflamados. O capacete protege a cabeça. E a espada é a nossa arma de guerra, a Palavra de Deus. Todos são importantes.

Que soldado sairia para guerra sem sua couraça? Como correria nos lugares difíceis sem os sapatos? Enfrentaria o inimigo sem o seu escudo? Correria o risco de não usar o capacete? Teria coragem sem empunhar sua espada? Acredito que nenhum faria isso. Mas no meio cristão muitos têm esquecido sua armadura de soldado.

Por desprezar a couraça da justiça, seu coração tornou-se vulnerável à sedução dos palcos e holofotes. Os altos cachês roubaram-lhe do coração a graça.

Por não terem a necessária preparação na pregação do Evangelho, seus pés trilham caminhos tortuosos e o compromisso com o Reino vai perdendo o valor. Em pouco tempo, seu ministério perde expressão e seriedade.

A Bíblia, antes companheira de viagens, aos poucos foi substituída pelos livros de auto-ajuda. As mensagens inflamadas que desafiavam os ouvintes à santidade, foram trocadas por temas menos encorajadores. É alvo fácil de Satanás, pois por trás do homem da Palavra, está um completamente desprotegido a ponto de descuidar do polimento espiritual que é a oração, o jejum, a leitura diária das Escrituras. A consagração a Deus.

Têm abandonado a espada. Com mensagens pré-elaboradas, repetitivas, o homem de Deus vai se tornando um profissional do Evangelho e perde a capacidade de passar algumas horas com uma Bíblia aberta para que Deus lhe dê algo novo. Algumas espadas estão cobertas de ferrugens, sem brilho e sem fio.

Continua...

domingo, 29 de novembro de 2009

Ailton Muniz de Carvalho - Um Apelo à Outra Visão

Durante praticamente um mês nossa Igreja anunciou nos cultos a realização de um seminário escatológico com a presença do pastor e cientista Ailton Muniz de Carvalho. Pastor e cientista? Pode? O pastor da nossa Igreja, Antonio Baltazar, passou-me o material que seria ministrado e fiquei muito assustado. Sabia da existência de outras correntes escatológicas, estudadas em seminários e cursos teológicos e depois divulgadas em seminários ministrados por mim em várias Igrejas.

Enquanto lia as linhas do seu material, foi-me fugindo a capacidade de refutar a maioria dos seus pensamentos. Existe uma profunda análise de cada texto da Bíblia, sem falar nas inúmeras referências cruzadas, a maioria explicando coisas que ninguém jamais ousou pronunciar. Textos que a maioria dos ensinadores e estudiosos (incluo-me nesta classe) procuram evitar por causa das dificuldades hermenêuticas na interpretação como por exemplo:

  • alguns de vós não experimentarão a morte (Mt 16. 28);
  • as duas testemunhas no período tribulacional (Ap 11.3-10);
  • símbolos e figuras de apocalipse;
  • as setenta semanas de Daniel;
  • a geração do arrebatamento;
  • entre outras.

O autor trataria em seu seminário de questões polêmicas como:

  • Barack Obama - ó último presidente dos EUA;
  • Brasil - Potencial Econômica do período tribulacional;
  • entre outras.

A que me deixou três noites sem dormir tornou-se tema das minhas futuras conversas. Depois de pregar na primeira noite (a primeira das doze que ainda viriam), por trás de um homem tão inteligente, para mim se revelava também um homem muito simples, de admiração às coisas comuns. Permita-me usar esse espaço para falar da formação do Pr. Ailton Muniz:

  • Nascido em 2 de julho de 1952, na cidade de Belmonte, extremo sul do litoral da Bahia;
  • Engenheiro Industrial formado em 1977.
  • Doutor em Partícula Nuclear, com diversas especializações no exterior.
  • Atuou em diversas empresas nacionais e internacionais, chegando a cargos de diretoria.
  • Realizou várias viagens internacionais para implantação de projetos e treinamentos.
  • Professor de Teologia por opção, Ministro do Evangelho por eleição, Cristão por convicção, o autor se orgulha em ser o primeiro ocupante da cadeira de número 33, da APEL (Academia Paulista Evangélica de Letras), cujo patrono é o saudoso Pr. Paulo Leivas Macalão

Tentei colocar bem resumido o seu currículo, mas eu mesmo demorei quinze minutos para dizer tudo o que ele é. No segundo dia de sua estada em nossa Igreja, fui convidado a almoçar com ele; que honra! Comemos um delicioso peixe ao molho branco desfrutando de uma conversa saudável sobre a Obra de Deus e a Bíblia. Teminamos de almoçar e fui inquerido pelo Pr. Baltazar a fazer perguntas difíceis da Bíblia. Como considero-me um estudioso das Sagradas Escrituras e minha mente é conduzida pelas dúvidas (jugo serem necessárias para a descoberta dos detalhes que existem além do óbvio), abordei o tema escatológico da Grande Tribulação. Passado quinze minutos que ele, concomitantemente (essa palavra é a "cara" dele) falava e riscava um pedaço de lenço de papel do restaurante, as pessoas ao redor foram atraídas pela nossa conversa. As horas passaram e um número considerável de pessoas fitaram seus olhos a nossa conversa, sendo encorajadas a fazerem perguntas sobre o "difícil" tema.

Muitas pessoas ficaram perturbadas com a maioria de sua preleções. Quando confessei-lhe que havia conseguido dormir, ele disse-me: "É isso que eu quero despertar nas pessoas. A teologia não é uma ciência estática. Ainda existem grandes revelações".

Durante suas ministrações, confesso que tive vontade de arrancar-lhe o microfone e eclipsar a sua voz a fim de que ninguém mais ouvisse aquelas palavras (falo isso confiado na liberdade que adquirimos um para com o outro). Mas, como bom ouvinte, mantie o controle e esperei ver no que ia dar. O resultado? Minha mente ainda se pega viajando sobre a maioria de suas palavras. A Igreja pode ter esquecido dele, mas a minha vida de investigação teológica (falo sem demagogia) é Antes de Ailton e Depois de Ailton.

Acredito que suas palavras precisam ser ouvidas. Suas revelações bíblicas precisam ser divulgadas. Suas palavras precisam ser escritas várias e várias vezes. Aprendi a respeitá-lo, tornamo-nos amigos, mesmo considerando a incrível distância que nos separa (ele mora em São Paulo/SP e eu em Porto Velho/RO).

Hoje desfrutamos de muita amizade. Sempre que tenho oportunidade, ligo para sua casa e converso sobre muitas coisas. Não posso deixar de escrever: quando se refere a mim, ele chama-me de professor, mas confesso, minhas palavras são pobres para descrever o modo como devo referir-me a ele.

Sem muitas palavras, Nilonei Ramos.

sábado, 28 de novembro de 2009

Tendências Teológicas do Século 21

Chegamos ao limiar das inovações. Inovações estas que dominam todo o cenário sejam na Igreja, na política, na economia, na geografia e na história. O quadro do mundo atual é caótico. A fé do mundo está morrendo. O fogo que ardeu no século passado e impulsionou a Igreja da geração anterior, rompendo fronteiras geográficas e culturais, tem-se enclausurado entre quatro paredes, tentando “preservar” aqueles veteranos da fé.

Por mais que lutemos para preservar a identidade da Igreja (visível), o cristianismo puro e simples (nas palavras de C. S. Lewis) está cada dia mais minguado. Para mudar o atual estado em que nos encontramos, temos de agir. Como diz Hank Hanegraff, “um câncer está devorando a Igreja de Cristo. Ele precisa ser extirpado”. Algo tem de ser feito. Mas o que faremos ante as novas tendências?

Primeiro, devemos entender o que são tendências teológicas. Essa compreensão envolve as primeiras duas palavras do tema proposto. Como o léxico Aurélio define:

  1. Tendência, do latim tendentia, “inclinação”, “propensão”, “vocação”, “pendor”, “força que determina o movimento de um corpo”, “intenção”, “disposição”. É a mudança do original por influência do meio em que está inserido.
  2. Teologia, do grego theología, “estudo das questões referentes ao conhecimento da divindade, de seus atributos e relações com o mundo e com os homens, e à verdade religiosa”, “estudo racional dos textos sagrados, dos dogmas e das tradições do cristianismo”, “tratado acerca das verdades absolutas de Deus”.

Tendências Teológicas são mudanças licenciosas dos conceitos imutáveis de Deus promovidos por aqueles que negando a fé original, enredam em tornar convenientes suas doutrinas falsas, entremeando verdades absolutas com mentiras advindas de seus delírios malignos. Em simples palavras, é a secularização da teologia, fruto da aversão aos pensamentos de Deus.

Segundo, devemos buscar mais a Deus de forma sincera para não incorrermos nos mesmos erros daqueles que dizendo conhecer a Deus, negam com suas obras. É-nos necessário voltar à Palavra como o faziam os crentes de Beréia, “examinando cada dia nas Escrituras se estas coisas eram assim” (At 17.11). É tempo de amadurecermos na “fé que uma vez foi dada aos santos” (Jd 3).

É lamentável ainda termos em nossos dias crentes volúveis que desprezam as Escrituras e abraçam, sem discernimento, modismos, inovações, falsos ensinos, doutrinas falsas, burlarias teológicas e mensagens que mais parecem com espiritismo e terapias de auto-ajuda do que o verdadeiro evangelho. Ou nos voltamos às Sagradas Escrituras como única fonte suficiente do conhecimento de Deus, ou brevemente não seremos mais o povo barulhento que perturbava as nações.

Terceiro, devemos clamar a Deus para que envie ceifeiros para sua seara. Ceifeiros da Palavra, que fale a verdade, que impunha a espada que é a Palavra de Deus (Ef 6.17), que tragam luz às trevas que cobrem as mentes da maioria dos cristãos que foram ensinados a acreditar em tudo o que os seus líderes e esqueceram-se de conferir com as Escrituras.

Que o Senhor desperte em nós o fogo da sua Palavra que arde em nós quando há exposição da sua verdade e que, à semelhança dos discípulos no caminho de Emáus, a despeito da noite em que se encontravam, corramos para anunciar a verdadeira boa nova do Evangelho.

Sola Scriptura!

quinta-feira, 5 de novembro de 2009

Isso também passará

Fui impulsoinado a escrever as linhas que se seguem depois de ouvir um relato de um irmão que após passar por várias experiências envolvendo concursos e vestibulares, nos quais, em sua maioria, ele sempre era reprovado. Sua maior tristeza não estava no fato da reprovação, mas na vergonha que sentia ao ver seus amigos que, segundo ele, às vezes nem estudava ou se preparava e eram aprovados. Suas alegações eram as mais honestas e justas possíveis. Dizimista, temente a Deus, correto em suas atitudes, sincero para com Deus, de testemunho admirável e caráter ilibado. Reconhecia as bençãos de Deus sobre a sua vida, mas o que seu coração realmente queria, até este momento não recebera do Senhor. Quando esse irmão veio conversar comigo, eu sinceramente não tive palavras, por que sabia que qualquer coisa que eu dissesse o feriria e seria facilmente reprovada por ele. O que dizer numa situação como esta? É claro que isso é apenas a ponta do iceberg para o que alguns estão enfrentando hoje, mas o que dizer para alguém que está há anos enfrentando uma doença, o desemprego, a ruína da família, o desprezo e outras coisas terríveis de suportar?

Sinceramente, minhas palavras nesse assunto são fracas para expressar o que penso a respeito de Deus e as provações. Minhas experiências são de pouca valia diante de tantas provas que tenho visto os seus santos enfrentarem.

Tive uma infância sofrida por que quando nasci, meu pai havia saído de casa, voltou quando eu tinha cinco anos de idade, moramos dois anos com a presença de um pai, depois disso ele saiu de vez, e nossa relação se reduziu a alguns encontros anuais, até finalmente nos vermos raramente quando ele vem à cidade. Meus irmãos sentem desprezo por ele, mas eu me esforço para vê-lo sempre.

Aos sete anos, fui acometido de um mal, passei a ter convulsões, ataques epilépticos. Tive de abandonar os estudos em 1997 porque os médicos acreditavam que o ambiente escolar poderia criar outros traumas. Alguns colegas se afastaram por ver-me naquela situação. Os remédios que tomava começaram a atingir minha mente e tudo o que eu estudava pela manhã, esquecia à tarde. Nunca tive uma namorada quando era jovem, pois ninguém achava legal namorar com um "doido". Sofri com isso até os dezessete anos de idade.

Perdi as contas das vezes que fui levado para casa depois ter sido achado na rua, dentro de ônibus e da Igreja. Minha mãe fez muitas campanhas para que eu fosse curado, até o dia em que eu mesmo fiz uma aliança com Deus. Minhas palavras foram muit simples, mas creio que era isso que Deus queria ouvir. "Se o Senhor me curar desta doença, eu me aplicarei ao estudo da tua Palavra e te servirei por toda a minha na exposição das Escrituras". Deste dia pra cá, nunca mais fui acometido de nenhum dos sintomas que me perseguiam. Parei de tomar os remédios, joguei fora as caixas cheias de eletroencefalograma. O Senhor Jesus operou o milagre em mim.

A mente que antigamente era esquecida, agora desfruta de um "HD" bem caprichado. Graças ao meu Bom Deus. Aos 22 anos, conheci o amor da minha vida, Ana Sara, com quem namorei quatro anos, enfrentando muitas dificuldades, pois estava desempregado e a família não via com bons olhos o nosso namoro. Dia 26 de Abril de 2008, contraí nupcias. Hoje sou um homem casado e tenho visto a cada dia a poderosa mão Deus ao meu lado, orientando-me e fazendo-me conhecer mais de sua vontade e amor.

Minha palavra aos que enfrentam adversidades mil? A mesma de Jesus aos irmãos que receberam a carta aos Hebreus: "Isso também vai passar. Ele já passou por isso". Nenhuma provação é para sempre.

continua...

quarta-feira, 28 de outubro de 2009

O Convite de Jesus

A maioria das pessoas só pensa em receber algo material. Dias atrás vi uma charge na internet que reflete que tipo de coisas as pessoas pedem a Deus. Três filas para as pessoas escolherem qual o tipo de oração que gostariam de receber. A primeira fila era composta por pessoas que queriam simplesmente que alguém intercedesse por elas. Apenas uma simples oração acalmaria seu coração. No meio da grande multidão, apenas uma minoria, minoria mesmo, encarava a oração do pastor intercessor. A segunda fila era destinada àqueles que queriam receber bênçãos espirituais. O número dessa era somente um pouco a mais que a primeira. Já a terceira fila era para aqueles que queriam receber bênçãos materiais. A multidão que compunha essa era incalculável, perdia-se entre os quarteirões da cidade. Mas será que é certo pedir a Deus somente aquilo que é palpável? Será que os miseráveis precisam apenas de dinheiro? Acredito que os feitos do Senhor Jesus vão muito além dessa visão terrena.

“As coisas que os olhos não viram, nem os ouvidos ouviram, nem penetraram o coração do homem, são as que Deus preparou para os que o amam” (1Co 2.9). Nossos pensamentos acerca das benesses do Senhor estão limitados as nossas necessidades de primeiro grau. Oramos pelo pão diário na mesa e nos esquecemos do alimento espiritual que deve ser diário também (Sl 1.2). Clamamos para que nos livre das tentações e esquecemos de que Ele é poderoso para socorrer os que são tentados (Hb 2.18). Queremos alcançar o sucesso profissional e esquecemos que o mais importante de viver aqui na Terra é a promoção do Reino (Mt 6.33). As bênçãos de Deus para alguns resumem ao que é visível. Mas isso pode mudar.

“Vinde a mim”, ele diz, “todos os que estão cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei” (Mt 11.28). Tenho um grande apreço por esse convite por que ele desfaz o nó complicado que alguns têm feito para servir a Jesus.

Em primeiro lugar, você tem um grande convite: “Vinde”. Para conhecer os planos de Deus e receber suas bênçãos é necessário dizer “sim” a este convite. Horizontes se abrirão, as escamas que encobrem a visão do homem sem Deus cairão.

Segundo, você tem um grande alvo: “a mim”. Todos os recursos que precisamos nesta vida para sermos felizes e prósperos estão em Jesus. Sem Ele, nada podemos fazer (Jo 15.5).

Terceiro, você tem uma grande oportunidade: “cansados e oprimidos”. Qual foi a última vez que alguém lhe prometeu trazer solução pra sua vida? Duvido que alguém lhe tenha feito proposta melhor que essa. Como dizia um idoso de nossa Igreja: “Ele afofa a cama dos cansados!”

Quarto, você tem uma grande promessa: “eu vos aliviarei”. O que hoje faria você se sentir melhor? O que faria cair o peso de seus ombros e finalmente fazê-lo sorrir? Amor? Paz? Perdão? Eu garanto a você que seja qual for a sua necessidade, Jesus tem!

Quinto e último, você tem uma grande certeza: “achareis descanso”. Isso não é propaganda enganosa. Não precisa se esforçar para ler as letrinhas pequenas no rodapé da página por que isso não é comercial de tv. Ele lhe promete descanso. Descanso da vergonha, da vida de pecado, a imoralidade, dos sonhos perturbadores, das afrontas do diabo, de tudo aquilo que você jamais imaginou haver solução. Está garantido. Foi isso que a sua morte na cruz nos garantiu: descanso. A alma sedenta encontra a água que sempre procurou, o coração vazio encontra a maior prova de amor que alguém já lhe deu.

O cenário muda quando, distanciados da presença de Deus, graciosamente somos recebidos em casa como se de lá jamais tivéssemos saído (Lc 15.11-24).Esqueça as coisas palpáveis. O que Deus tem pra você está além do que os olhos podem ver. É só experimentar. Ele quer entrar em seu coração e mudar o cenário por completo (Ap 3.20). Só você pode lhe dar essa porta. Não está ouvindo alguém chamar? Corra, aproveita, abra a porta.

Tenha paz, muita paz.

Semana Teológica 2009


Programação da Semana Teológica 2009

Dias: 2, 3, 4 e 5 de Dezembro de 2009

Local: Igreja Evangélica Assembleia de Deus Central, Ministério de Madureira (Rua Benjamin Constant, nº 2552, bairro São Cristovão, Porto Velho/RO)

Preletores:

  • Pr. Altair Germano (PE)
  • Pr. Ciro Sanches Zibordi (RJ)

Tema:

“Tendências Teológicas do Século 21”

  • Desvios Doutrinários e Teológicos (Pr. Ciro Zibordi)
  • A Supremacia da Bíblia ante a Teologia Moderna (Pr. Ciro Zibordi)
  • Ascensão Pentecostal da Teologia da Prosperidade (Pr. Altair Germano)
  • Ilusões da Teologia Gay e seus Perigos à Família (Pr. Altair Germano)

Horários*:

  • Dia 2 – 19:30h Pr. Ciro Zibordi
  • Dia 3 – 19:30h Pr. Ciro Zibordi
  • Dia 4 – 19:30h Pr. Altair Germano
  • Dia 5 – 8:30h / 19:30h Pr. Altair Germano

Público Alvo:

  • Alunos de escolas teológicas
  • pastores
  • evangelistas
  • líderes
  • obreiros
  • alunos e professores da Escola Bíblica Dominical e
  • interessados em geral

Material oferecido:

  • Apostila e Certificado

Inscrição:

  • R$ 30,00

Informações:

Realização:

  • Faculdade Teológica Assembleia de Deus – FATAD
  • Igreja Evangélica Assembleia de Deus Central em Porto Velho, Minsitério de Madureira

sábado, 3 de outubro de 2009

Em Memória de Mim

Hoje em muitas congregações de Porto Velho será realizado o culto da Ceia do Senhor. Um culto diferente, porque nele nos lembramos do sacrifício vicário de Cristo Jesus na cruz por nossos pecados. Pelo menos é pra ser assim, mas sei se isso nem sempre acontece.

Na maioria dos cultos que participamos a intenção final ou na maior parte do tempo que ficamos dentro das quatro paredes não é assim nos portamos. Vamos à Igreja por vários motivos. Para rever os amigos (amizade é tudo), para o pastor nos ver (não posso dar bandeira), para dizer que somos crentes (o mundo está de olho em nós), para mostrar a roupa nova (os crentes são abençoados) e deixamos o motivo do verdadeiro culto a Deus por último (às vezes até esquecemos que é pra isso que vamos à Igreja).

Quando eu era criança, a semana da ceia tinha um clima de santidade para muitos. Aqueles que estavam ofendidos procuravam os ofensores, dívidas eram pagas, nenhuma mentira, nenhum palavrão (você acredita que tem crente que xinga?), nenhum comportamento que escandalizasse o Evangelho de Cristo. Era a semana da Ceia do Senhor. Valorizávamos mais o ser crente. Pelo menos por uma semana. Depois tudo voltava ao "normal".

Mas o que vejo hoje é pior que no que em tempos passados. Numa aula de escola dominical, um aluno questionou porque a Ceia do Senhor era realizada todo mês. Por que não uma única ceia anual como é de costume entre os judeus? Fiquei a meditar nas coisas terríveis que poderiam acontecer se decidíssemos ceiar uma vez por ano como os judeus. Já imaginou 365 dias menos 7 sem nenhum incômodo da vida profana que alguns "cristãos" levam? Sucumbiríamos e seríamos mais uma denominação entre as milhares que já existem.

O propósito principal da Ceia, segundo Jesus, é lembrar o seu sacrifício. Sacrifício este que, se não fosse a Ceia, sumiria de nossos púlpitos como mensagem ao pecador. Para alguns esse tema é repetitivo demais. Ouvir um membro da Igreja dizer que é "pura apelação" falar do sacrifício de Jesus na cruz.

Depois de três anos e meio pregando o evangelho (os maiores e melhores sermões que pode um dia imaginar ouvir saíram da boca de nosso Salvador), ensinando nas sinagogas e à beira de rios (todas as doutrinas que conhecemos hoje foram por ele sisitematizadas através de seus ensinos e parábolas), alimentando os famintos (uma oração e, à semelhança do maná que caía do céu no deserto, milhares e milhares de famílias eram alimentadas), salvando vidas que caminhavam ao inferno (incontáveis os seus números), curando os enfermos (essa lista não tem fim) e vários outros feitos memoráveis que Jesus fez, o que lhe esperava para o fim de sua história como homem entre os homens era o Calvário, um castigo criado pelos romanos para humilhar os bandidos de sua época.

Foi isso que o mundo fez com aquele que veio para salvar os pecadores. Na última quinta-feira de Jesus antes do seu sacrifício, aconteceu a última ceia com os discípulos. Durante a vida de Jesus, três ceias aconteceram, mas somente a última foi registrada pelos evangelistas, talvez por causa do que aquela última representaria para todos nós.

Aquela noite é inesquecível para todos nós. "... o Senhor Jesus, na noite em que foi traído, tomou o pão; e, tendo dado graças, o partiu e disse: Tomai, comei; isto é o meu corpo que é partido por vós; fazei isto em memória de mim. Semelhantemente também, depois de cear, tomou o cálice, dizendo: Este cálice é o novo testamento no meu sangue; fazei isto, todas as vezes que beberdes, em memória de mim" (1Co 11.23-25).

Cada relato da Ceia vem acompanhado de muitas decepções. Aquela noite seria para sempre lembrada como a "noite em que foi traído". Traído por aqueles que estavam próximos, por aqueles que ajudou, por aqueles que Ele chamou de amigos. Traído. Dificilmente associaríamos essa palavra a alguém do tipo de Jesus. Não se encaixa com Ele. Traído por quê? Mas foi assim que entrou para a história: o Salvador foi traído.

Pão, vinho e muita comida eram os elementos do ritual da páscoa celebrada pelos judeus. Jesus se utilizou apenas do pão e do vinho para falar aos apóstolos sobre o seu sacrifício (pelos menos são os únicos registrados pelos quatro evangelho e epístolas). Na época, um único pão era servido a todos os participantes. O celebrante tomava o pão, rasgava um pedaço para si e o passava de mão em mão até que todos fossem servidos. Quando Jesus "tomou o pão... tendo dado graças, o partiu e disse: Tomai, comei; isto é o meu corpo que é partido por vós". Deve ter sido uma profunda revelação para os apóstolos. Quantas páscoa não haviam comido? E quantas ceias não haviam participado? Mas a partir daquele dia, eles veriam o corpo de Jesus sendo rasgado.

O pão é o símbolo de sua carne e o vinho, de seu sangue derramado na cruz. E as últimas horas de Jesus foram de muito sangue derramado. Tendo ido ao Monte Getsêmani para orar, aquele não era o fim esperado para uma vigília. O barulho ouvido foi de centenas de soldados vindo em direção a Jesus liderados pelos principais dos judeus e seguidos pelo traidor Judas que se aproxima e lhe beija a face. Por que o único relato de alguém que beijou a face de Jesus entraria para a história como o beijo do traidor? Milhares de pessoas gostariam de ter beijado a sua linda face, mas não o fizeram. Para identificar a Jesus no meio dos discípulos, Judas o beijou. E o nosso Senhor Jesus foi levado para o pátio do templo e por aquela longa noite foi escarnecido pelos soldados romanos. Bateram em sua cabeça, foi chicoteado, cuspido, zombado, manietado para que de manhã fosse publicamente julgado pelos principais dos judeus e autoridades romanas.

Continua...

sexta-feira, 18 de setembro de 2009

Pedro e o seu sermão poderoso

E, cumprindo-se o dia de Pentecostes, estavam todos concordemente no mesmo lugar; e de repente veio do céu um som, como de um vento veemente e impetuoso, e encheu toda a casa em que estavam assentados. E foram vistas por eles línguas repartidas, como que de fogo, as quais pousaram sobre cada um deles. E todos foram cheios do Espírito Santo, e começaram a falar noutras línguas, conforme o Espírito Santo lhes concedia que falassem.

E em Jerusalém estavam habitando judeus, homens religiosos, de todas as nações que estão debaixo do céu. E, quando aquele som ocorreu, ajuntou-se uma multidão, e estava confusa, porque cada um os ouvia falar na sua própria língua. E todos pasmavam e se maravilhavam, dizendo uns aos outros: Pois quê! não são galileus todos esses homens que estão falando? Como, pois, os ouvimos, cada um, na nossa própria língua em que somos nascidos?

Partos e medos, elamitas e os que habitam na Mesopotâmia, Judéia, Capadócia, Ponto e Ásia, e Frígia e Panfília, Egito e partes da Líbia, junto a Cirene, e forasteiros romanos, tanto judeus como prosélitos, cretenses e árabes, todos nós temos ouvido em nossas próprias línguas falar das grandezas de Deus. E todos se maravilhavam e estavam suspensos, dizendo uns para os outros: Que quer isto dizer? E outros, zombando, diziam: Estão cheios de mosto.

Pedro, porém, pondo-se em pé com os onze, levantou a sua voz, e disse-lhes:

"Homens judeus, e todos os que habitais em Jerusalém, seja-vos isto notório, e escutai as minhas palavras. Estes homens não estão embriagados, como vós pensais, sendo a terceira hora do dia. Mas isto é o que foi dito pelo profeta Joel:

E nos últimos dias acontecerá, diz Deus, que do meu Espírito derramarei sobre toda a carne; e os vossos filhos e as vossas filhas profetizarão, os vossos jovens terão visões, e os vossos velhos terão sonhos; e também do meu Espírito derramarei sobre os meus servos e as minhas servas naqueles dias, e profetizarão; e farei aparecer prodígios em cima, no céu; e sinais em baixo na terra, Sangue, fogo e vapor de fumo. O sol se converterá em trevas, e a lua em sangue, antes de chegar o grande e glorioso dia do Senhor; e acontecerá que todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo.

Homens israelitas, escutai estas palavras: A Jesus Nazareno, homem aprovado por Deus entre vós com maravilhas, prodígios e sinais, que Deus por ele fez no meio de vós, como vós mesmos bem sabeis; a este que vos foi entregue pelo determinado conselho e presciência de Deus, prendestes, crucificastes e matastes pelas mãos de injustos; ao qual Deus ressuscitou, soltas as ânsias da morte, pois não era possível que fosse retido por ela; porque dele disse Davi:

Sempre via diante de mim o Senhor, porque está à minha direita, para que eu não seja comovido; por isso se alegrou o meu coração, e a minha língua exultou; e ainda a minha carne há de repousar em esperança; pois não deixarás a minha alma no inferno, Nem permitirás que o teu Santo veja a corrupção; fizeste-me conhecidos os caminhos da vida; com a tua face me encherás de júbilo.

Homens irmãos, seja-me lícito dizer-vos livremente acerca do patriarca Davi, que ele morreu e foi sepultado, e entre nós está até hoje a sua sepultura. Sendo, pois, ele profeta, e sabendo que Deus lhe havia prometido com juramento que do fruto de seus lombos, segundo a carne, levantaria o Cristo, para o assentar sobre o seu trono, nesta previsão, disse da ressurreição de Cristo, que a sua alma não foi deixada no inferno, nem a sua carne viu a corrupção.

Deus ressuscitou a este Jesus, do que todos nós somos testemunhas. De sorte que, exaltado pela destra de Deus, e tendo recebido do Pai a promessa do Espírito Santo, derramou isto que vós agora vedes e ouvis.

Porque Davi não subiu aos céus, mas ele próprio diz: Disse o Senhor ao meu Senhor: Assenta-te à minha direita, até que ponha os teus inimigos por escabelo de teus pés.

Saiba, pois com certeza toda a casa de Israel que a esse Jesus, a quem vós crucificastes, Deus o fez Senhor e Cristo".

E, ouvindo eles isto, compungiram-se em seu coração, e perguntaram a Pedro e aos demais apóstolos: Que faremos, homens irmãos? E disse-lhes Pedro:

"Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo, para perdão dos pecados; e recebereis o dom do Espírito Santo; porque a promessa vos diz respeito a vós, a vossos filhos, e a todos os que estão longe, a tantos quantos Deus nosso Senhor chamar".

E com muitas outras palavras isto testificava, e os exortava, dizendo:

"Salvai-vos desta geração perversa".

De sorte que foram batizados os que de bom grado receberam a sua palavra; e naquele dia agregaram-se quase três mil almas...

(Atos 2)

Estevão e seu Sermão Histórico

Ora, naqueles dias, multiplicando-se o número dos discípulos, houve murmuração dos helenistas contra os hebreus, porque as viúvas deles estavam sendo esquecidas na distribuição diária.

Então, os doze convocaram a comunidade dos discípulos e disseram: Não é razoável que nós abandonemos a palavra de Deus para servir às mesas. Mas, irmãos, escolhei dentre vós sete homens de boa reputação, cheios do Espírito e de sabedoria, aos quais encarregaremos deste serviço; e, quanto a nós, nos consagraremos à oração e ao ministério da palavra.

O parecer agradou a toda a comunidade; e elegeram Estêvão, homem cheio de fé e do Espírito Santo, Filipe, Prócoro, Nicanor, Timão, Pármenas e Nicolau, prosélito de Antioquia. Apresentaram-nos perante os apóstolos, e estes, orando, lhes impuseram as mãos.

Crescia a palavra de Deus, e, em Jerusalém, se multiplicava o número dos discípulos; também muitíssimos sacerdotes obedeciam à fé. Estêvão, cheio de graça e poder, fazia prodígios e grandes sinais entre o povo.

Levantaram-se, porém, alguns dos que eram da sinagoga chamada dos Libertos, dos cireneus, dos alexandrinos e dos da Cilícia e Ásia, e discutiam com Estêvão; e não podiam resistir à sabedoria e ao Espírito, pelo qual ele falava. Então, subornaram homens que dissessem: Temos ouvido este homem proferir blasfêmias contra Moisés e contra Deus. Sublevaram o povo, os anciãos e os escribas e, investindo, o arrebataram, levando-o ao Sinédrio. Apresentaram testemunhas falsas, que depuseram: Este homem não cessa de falar contra o lugar santo e contra a lei; porque o temos ouvido dizer que esse Jesus, o Nazareno, destruirá este lugar e mudará os costumes que Moisés nos deu. Todos os que estavam assentados no Sinédrio, fitando os olhos em Estêvão, viram o seu rosto como se fosse rosto de anjo. Então, lhe perguntou o sumo sacerdote: Porventura, é isto assim? Estêvão respondeu:

"Varões irmãos e pais, ouvi. O Deus da glória apareceu a Abraão, nosso pai, quando estava na Mesopotâmia, antes de habitar em Harã, e lhe disse: Sai da tua terra e da tua parentela e vem para a terra que eu te mostrarei.

Então, saiu da terra dos caldeus e foi habitar em Harã. E dali, com a morte de seu pai, Deus o trouxe para esta terra em que vós agora habitais. Nela, não lhe deu herança, nem sequer o espaço de um pé; mas prometeu dar-lhe a posse dela e, depois dele, à sua descendência, não tendo ele filho.

E falou Deus que a sua descendência seria peregrina em terra estrangeira, onde seriam escravizados e maltratados por quatrocentos anos; eu, disse Deus, julgarei a nação da qual forem escravos; e, depois disto, sairão daí e me servirão neste lugar.

Então, lhe deu a aliança da circuncisão; assim, nasceu Isaque, e Abraão o circuncidou ao oitavo dia; de Isaque procedeu Jacó, e deste, os doze patriarcas.

Os patriarcas, invejosos de José, venderam-no para o Egito; mas Deus estava com ele e livrou-o de todas as suas aflições, concedendo-lhe também graça e sabedoria perante Faraó, rei do Egito, que o constituiu governador daquela nação e de toda a casa real.

Sobreveio, porém, fome em todo o Egito; e, em Canaã, houve grande tribulação, e nossos pais não achavam mantimentos. Mas, tendo ouvido Jacó que no Egito havia trigo, enviou, pela primeira vez, os nossos pais. Na segunda vez, José se fez reconhecer por seus irmãos, e se tornou conhecida de Faraó a família de José. Então, José mandou chamar a Jacó, seu pai, e toda a sua parentela, isto é, setenta e cinco pessoas.

Jacó desceu ao Egito, e ali morreu ele e também nossos pais; e foram transportados para Siquém e postos no sepulcro que Abraão ali comprara a dinheiro aos filhos de Hamor.

Como, porém, se aproximasse o tempo da promessa que Deus jurou a Abraão, o povo cresceu e se multiplicou no Egito, até que se levantou ali outro rei, que não conhecia a José. Este outro rei tratou com astúcia a nossa raça e torturou os nossos pais, a ponto de forçá-los a enjeitar seus filhos, para que não sobrevivessem.

Por esse tempo, nasceu Moisés, que era formoso aos olhos de Deus. Por três meses, foi ele mantido na casa de seu pai; quando foi exposto, a filha de Faraó o recolheu e criou como seu próprio filho. E Moisés foi educado em toda a ciência dos egípcios e era poderoso em palavras e obras.

Quando completou quarenta anos, veio-lhe a idéia de visitar seus irmãos, os filhos de Israel. Vendo um homem tratado injustamente, tomou-lhe a defesa e vingou o oprimido, matando o egípcio. Ora, Moisés cuidava que seus irmãos entenderiam que Deus os queria salvar por intermédio dele; eles, porém, não compreenderam. No dia seguinte, aproximou-se de uns que brigavam e procurou reconduzi-los à paz, dizendo: Homens, vós sois irmãos; por que vos ofendeis uns aos outros? Mas o que agredia o próximo o repeliu, dizendo: Quem te constituiu autoridade e juiz sobre nós? Acaso, queres matar-me, como fizeste ontem ao egípcio?

A estas palavras Moisés fugiu e tornou-se peregrino na terra de Midiã, onde lhe nasceram dois filhos. Decorridos quarenta anos, apareceu-lhe, no deserto do monte Sinai, um anjo, por entre as chamas de uma sarça que ardia. Moisés, porém, diante daquela visão, ficou maravilhado e, aproximando-se para observar, ouviu-se a voz do Senhor: Eu sou o Deus dos teus pais, o Deus de Abraão, de Isaque e de Jacó. Moisés, tremendo de medo, não ousava contemplá-la. Disse-lhe o Senhor: Tira a sandália dos pés, porque o lugar em que estás é terra santa. Vi, com efeito, o sofrimento do meu povo no Egito, ouvi o seu gemido e desci para libertá-lo. Vem agora, e eu te enviarei ao Egito. A este Moisés, a quem negaram reconhecer, dizendo: Quem te constituiu autoridade e juiz? A este enviou Deus como chefe e libertador, com a assistência do anjo que lhe apareceu na sarça. Este os tirou, fazendo prodígios e sinais na terra do Egito, assim como no mar Vermelho e no deserto, durante quarenta anos.

Foi Moisés quem disse aos filhos de Israel: Deus vos suscitará dentre vossos irmãos um profeta semelhante a mim. É este Moisés quem esteve na congregação no deserto, com o anjo que lhe falava no monte Sinai e com os nossos pais; o qual recebeu palavras vivas para no-las transmitir. A quem nossos pais não quiseram obedecer; antes, o repeliram e, no seu coração, voltaram para o Egito, dizendo a Arão: Faze-nos deuses que vão adiante de nós; porque, quanto a este Moisés, que nos tirou da terra do Egito, não sabemos o que lhe aconteceu.

Naqueles dias, fizeram um bezerro e ofereceram sacrifício ao ídolo, alegrando-se com as obras das suas mãos. Mas Deus se afastou e os entregou ao culto da milícia celestial, como está escrito no Livro dos Profetas: Ó casa de Israel, porventura, me oferecestes vítimas e sacrifícios no deserto, pelo espaço de quarenta anos, e, acaso, não levantastes o tabernáculo de Moloque e a estrela do deus Renfã, figuras que fizestes para as adorar? Por isso, vos desterrarei para além da Babilônia.

O tabernáculo do Testemunho estava entre nossos pais no deserto, como determinara aquele que disse a Moisés que o fizesse segundo o modelo que tinha visto. O qual também nossos pais, com Josué, tendo-o recebido, o levaram, quando tomaram posse das nações que Deus expulsou da presença deles, até aos dias de Davi. Este achou graça diante de Deus e lhe suplicou a faculdade de prover morada para o Deus de Jacó. Mas foi Salomão quem lhe edificou a casa. Entretanto, não habita o Altíssimo em casas feitas por mãos humanas; como diz o profeta: O céu é o meu trono, e a terra, o estrado dos meus pés; que casa me edificareis, diz o Senhor, ou qual é o lugar do meu repouso? Não foi, porventura, a minha mão que fez todas estas coisas?

Homens de dura cerviz e incircuncisos de coração e de ouvidos, vós sempre resistis ao Espírito Santo; assim como fizeram vossos pais, também vós o fazeis. Qual dos profetas vossos pais não perseguiram? Eles mataram os que anteriormente anunciavam a vinda do Justo, do qual vós agora vos tornastes traidores e assassinos, vós que recebestes a lei por ministério de anjos e não a guardastes".

Ouvindo eles isto, enfureciam-se no seu coração e rilhavam os dentes contra ele. Mas Estêvão, cheio do Espírito Santo, fitou os olhos no céu e viu a glória de Deus e Jesus, que estava à sua direita, e disse:

"Eis que vejo os céus abertos e o Filho do Homem, em pé à destra de Deus".

Eles, porém, clamando em alta voz, taparam os ouvidos e, unânimes, arremeteram contra ele. E, lançando-o fora da cidade, o apedrejaram. As testemunhas deixaram suas vestes aos pés de um jovem chamado Saulo. E apedrejavam Estêvão, que invocava e dizia:

"Senhor Jesus, recebe o meu espírito!"

Então, ajoelhando-se, clamou em alta voz:

"Senhor, não lhes imputes este pecado!"

Com estas palavras, adormeceu.
(Atos 6 e 7)

sexta-feira, 28 de agosto de 2009

Manoel Ferreira: Uma Vida Inteira de Serviço ao Senhor

Manoel Ferreira nasceu em 30 de maio de 1932, em Arapiraca, Alagoas, filho de Pedro Ferreira da Silva e Otília Francisca Ferreira (in memorian). Realizou seu Curso Primário em Cefalância, São Paulo. Seu curso Ginasial foi realizado mais tarde, quando servia às forças Armadas do Estado de São Paulo. Recebeu as seguintes formaturas:
  • Teologia – Faculdade Teológica Batista de São Paulo; Batista de São Paulo;
  • Eletrônica – Instituto Edson Sociologia – Faculdade Toledo Pizza de Bauru;
  • Direito – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo;
  • Realizou mais oito Cursos de Especialização em Ciências Jurídica.
Casado com Irene da Silva Ferreira em 5 de maio de 1957, o casal recebeu de Deus cinco filhos que são Ministros Evangélicos. Todos os seus filhos têm excelente formação cultural e ocupam importantes posições na sociedade. Atuam com muita seriedade e respeitabilidade no cenário nacional social nas áreas sociais, educacionais, religiosas buscando sempre o bem estar dos menos favorecidos:
  • Pastor Abner Ferreira, advogado, Presidente da Sede-Mundial das Assembléias de Deus – Ministério de Madureira, Igreja que possui dezenas de trabalhos sociais espalhados pelo Brasil e Exterior, nas diversas áreas de amparo ao deficiente físico, crianças abandonadas, crianças acometidos do vírus da AIDS, crianças de rua, famílias desamparadas e menos favorecidas, idosos, dependentes químicos, orfanatos, escolas, abrigos para idosos, centros de recuperação de toxicômanos. Mantêm centenas de famílias com cestas básicas, remédios, alimentos, roupas e agasalhos. Além de vários centros de educação religiosa espalhados pela América e Europa; o mesmo é presidente da CEADMMERJ (Convenção Estadual das Assembléias de Deus do Ministério de Madureira no Estado do Rio de Janeiro) que tem em seu quadro de filiados mais de 20.000 (Vinte mil) Ministros Evangélicos;
  • Pastor Wagner Ferreira, atua na região nordeste do País, amparando famílias atingidas pela seca que assola o nordeste brasileiro; mantêm cursos de alfabetização, profissionalizante e educação cristã.
  • Pastor Magner Ferreira, advogado, e atua eficientemente na área social e missionária, mantendo postos missionários em outros países na América do Sul, que dão toda assistência espiritual, material e educacional a centenas de famílias;
  • Missionária Vasti Ferreira, advogada, que atua no amparo a crianças não assistidas e na direção de Escolas Teológicas e Missionárias, que preparam obreiros para as diversas regiões do país e exterior principalmente aqueles de língua portuguesa;
  • Pastor Samuel Ferreira, Presidente da Assembléia de Deus no Brás, Maior Igreja do Ministério de Madureira no Estado de São Paulo, lidera através da presidência da Convenção Estadual de Ministros do Ministério de Madureira no Estado de São Paulo, mais de 40.000 (quarenta mil) ministros. Atua com trabalhos sociais na recuperação de meninos de rua, toxicômanos, e distribuição de alimentos com centenas de famílias amparadas mensalmente, com cestas básicas.
Manoel Ferreira é Membro das Assembléias de Deus desde 02 de março de 1956, sendo ordenado Ministro Evangélico em 01 de maio de 1960, na sede das Assembléias de Deus em Madureira, Rio de Janeiro, bem como sede da Convenção Nacional das Assembléias de Deus no Brasil – onde é Pastor até esta data.
Paralelamente, atuou como Pastor Presidente das seguintes Igrejas da Assembléia de Deus: Arapuá (SP), Capão Bonito (SP), Garça (SP), Bauru (SP), Vila Alpina (SP), Brasília (DF), Campinas (SP) e Madureira (RJ).
Além da Presidência das citadas Igrejas, têm participado Presidência da construção da Catedral das seguintes atividades eclesiásticas:
  • Presidência da construção do Templo da das Assembléias de Deus em Brasília;
  • Diretoria e Aconselhamento Igreja Evangélica Assembléia de Deus em Campinas;
  • Diretoria do da Escola de Educação Teológica das Assembléias de Deus;
  • Aconselhamento da Casa Instituto por Correspondência Internacional;
  • Presidência de Missões Palavras de Vida;
  • Presidência da Associação Médico-Hospitalar Evangélica;
  • Presidência da Escola de Conselho de Pastores Evangélicos da Campinas;
  • Presidência do Ministério Ministério de Vídeo-Satélite de World Evangelism;
  • Presidência da Convenção Geral das Assembléias de Jimmy Swaggart no Brasil;
  • Presidência da Confraternização das Assembléias de Deus Deus no Brasil;
  • Presidência da Conferência Pentecostal Sul-Americana;
  • Presidência da Convenção Nacional das Presidência da Editora Betel;
  • Presidência da Igreja Assembléias de Deus no Brasil, Ministério de Madureira;
  • Presidência do Conselho Nacional Evangélica Assembléia de Deus em Madureira;
  • Presidência do Conselho Nacional de Pastores do Brasil – CNPB.
Tem sido Conferencista em Seminários, Congressos, Escolas Bíblicas e Convenções – em todo o Brasil e em vários Países, tais como:
  • Concílio Geral das Assembléias de Deus em Springfield, Missouri, USA;
  • Seminário dos World Evangelism Internacional em Los Angeles, USA;
  • Seminário do Instituto Superintendentes das Assembléias de Deus em Costa Rica;
  • Conferência Internacional de por Correspondência Internacional em Costa Rica;
  • Conferência Pentecostal Mundial em Evangelistas Itinerantes em Amsterdã;
  • Conferência na Rússia;
  • Conferência Pentecostal Mundial em Jerusalém;
  • Conferência Pentecostal Mundial em Zurich;
  • Conferência em vários Estados e em vários outros Países do Leste Europeu;
  • Conferência em vários Países da Cidades da América do Norte, Canadá e México;
  • Conferência em todos os Países Sul-Americanos.
Pelos relevantes serviços prestados ao Brasil e ao Exterior, tem recebido várias “Medalhas” e Cidadania, com a mais alta condecoração e medalhas de Honra ao “Títulos”: Mérito pelos estados de Goiás, Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro, Mato Grosso, Distrito Federal, Alagoas, Paraíba, Pernambuco, Maranhão, Ceará, Rio Grande do Norte – em várias cidades destes Estados brasileiros.
Alta condecoração e medalhas de Honra ao Mérito em dezenas de municípios de Medalhas especiais, conferidas a homens ilustres diversos estados brasileiros, tais como:
  • Medalha Anchieta (pela Câmara Municipal de São Paulo);
  • Medalha Pedro Ernesto (pela Câmara Municipal do Rio de Janeiro);
  • Medalha Tiradentes (pela Assembléia Legislativa do Rio de Janeiro);
  • Titulo de Cidadão Benemérito do Estado do Rio de Janeiro, e várias outras Medalhas e Condecorações;
  • Recebeu o título de Comendador – pela Ordem Internacional de Jornalistas.
  • Medalha de “Doutor em Divindade”- pelo Bible College, em Baton Rouge, USA.
  • Honra ao Mérito Reverendo Paulo Leivas Macalão, a mais alta condecoração das Igrejas Evangélicas do Brasil, pelos relevantes serviços prestados a comunidade evangélica, inclusive instituindo em seu apostolado a Consagração de Missionárias e Diaconisas.
Tem realizado várias dezenas de Concentrações Evangélicas por várias Capitais brasileiras, reunindo aproximadamente dois milhões de evangélicos em cada uma dessas Concentrações, como também mutirões sociais, que socorrem as famílias de Estados de muita carência com alimentação, remédios, roupas, agasalhos e calçados.
O Bispo Doutor Manoel Ferreira, coordena dezenas de instituições sociais em todos os estados do país, que proporcionam a população de baixa renda, assistência médica, odontológica e educacional através dos vários centros de atendimento, Escolas de Ensino Básico, Médio e Universitário; hospitais, creches, orfanatos, casas de recuperação de toxicômanos, abrigos para idosos, crianças de rua e Escolas de Ensino Profissionalizante. Centenas de famílias no país são amparadas pelo Bispo Doutor Manoel Ferreira com a cesta básica que é distribuída mensalmente através dos centros de atendimento, somando mais de cem toneladas mensais de alimentos distribuídos a famílias carentes do país.
Vale ressaltar que todo esse atendimento social não recebe nenhum incentivo governamental, mais é mantido e promovido pela iniciativa própria do Bispo Dr. Manoel Ferreira.
Tem desenvolvido a Obra de Evangelização e assistência social em vários países do Leste Europeu e Ásia, dentre eles: Rússia, Ucrânia, Turquia, Mongólia, abrangendo outros países da Europa; Inglaterra, Espanha, Portugal, Itália, Alemanha, Japão, Suíça, EUA, Irlanda do Sul. Também tem desenvolvido a Obra de Evangelização e assistência social na Bolívia, Argentina, Paraguai, Uruguai.
Vale frisar que em todos estes países mantém missionários com tempo integral, sustentados espiritualmente e materialmente, através de sua sábia e forte liderança.
Através do Conselho Nacional de Pastores do Brasil, órgão máximo representativo das lideranças evangélicas do Brasil e América Latina, com mais de 25 anos de existência, com mais de 20.000 pastores filiados, tem desenvolvido um trabalho fortíssimo de assessoria às Autoridades Federais, Estaduais e Municipais em todo o Brasil.
Atuante presidente que é, é notório em todo o Brasil que, quando da reforma do Código Civil Brasileiro, qualificava as igrejas evangélicas como uma simples associação e não como igreja, criando sérios entraves para a atuação das igrejas. O Bispo Doutor Manoel Ferreira esteve presente no Congresso Nacional, mobilizando a Bancada Evangélica da época, para que as reformas atinentes às igrejas evangélicas não fossem aprovadas, inclusive em audiência com o Presidente Luiz Inácio Lula da Silva, onde ajustou o novo texto do Código Civil Brasileiro, satisfazendo as necessidades da comunidade cristã, obtendo grande êxito.
Devido a sua histórica atuação no cenário evangelistico no Leste Europeu, logo após a queda do regime comunista naquele continente, foi reconhecido e consagrado a Bispo Primaz da Igreja Evangélica Pentecostal daquelas nações.
Pela reconhecida liderança que exerce no Brasil, diante das autoridades civis, militares e eclesiásticas, e a vida pública que tem, foi candidato ao cargo de Senador da Republica no ano de 2002, quando obteve a expressiva votação de um milhão e oitocentos mil votos. Na oportunidade deixou para trás nomes tradicionais no cenário político brasileiro, dentre eles: o saudoso Leonel de Moura Brizola. No propósito de contribuir com a nação brasileira, com sua larga experiência de vida e sabedoria adquirida de Deus e da longa experiência de vida, foi eleito no ano de 2006, a Deputado Federal, com uma expressiva votação.
Com uma atuação Parlamentar ilibada no Congresso Nacional, e membro de várias comissões parlamentares, dentre elas: Constituição e Justiça e de Cidadania, Direitos Humanos e Minorias, Comissão de Seguridade Social e Família e Comissão de Proposta de Emendas a Constituição. Destaca-se dentre os congressistas pelo discurso preciso, contundente e sábio, em favor do meio ambiente, família, e área social, tendo o reconhecimento de seus pares políticos.
O Bispo Dr. Manoel Ferreira é o Presidente da Frente Parlamentar Evangélica do Congresso Nacional, órgão colegiado que representa o segmento evangélico de todo o Brasil, composto de 02 Senadores da República e 46 Deputados Federais.
Hoje no Brasil, o Bispo Dr. Manoel Ferreira, não é somente uma liderança reconhecida ou um político sério; mas um ícone que marca a historia da política brasileira e do Congresso Nacional.

quinta-feira, 13 de agosto de 2009

Deus Grita nos Meus Ouvidos

Lembrei-me de algo parecido com o tema hoje pela manhã quando, fatalmente tive minha motocicleta furtada. Depois de chegar ao meu local de serviço, tive a terrível experiência de perder pelas mãos de ladrões aquilo que lutei tanto pra adquirir. Já fui a delegacia, registrei a ocorrência e agora tenho de esperar. E esperar é sempre difícil.
.
Enquanto escrevo isso, lembro-me de três semanas atrás quando caí de moto com a minha esposa na BR 364 e experimentei a saúde de nosso estado por vinte horas. Terrível. E agora, para descrever a frase conhecida de Beethoven que diz: "Algumas pessoas têm o privilégio de ouvir a voz de Deus, mas nos meus ouvidos Ele grita o dia todo". No momento, acho que Ele está gritando no meu, mas diferente de Beethoven, somente agora estou conseguindo entender alguma coisa.
.
Em minha vida de cristão, sempre quis saber a vontade de Deus de alguma forma. Alguns dizem que não é difícil, mas pra mim, consultar a Deus é mais que difícil. Não consigo ver muita luz. Enquanto estou tentando andar no Centro de sua Vontade, brigo contra mim mesmo, por que desejando ver algo, questiono minha espiritualidade, meu conhecimento acerca de Deus, sinto-me como Asafe no Sl 73.13,14: "Na verdade que em vão tenh purificado o meu coração e lavado as minhas mãos na inocência, pois todo o dia tenho sido afligido e castigado cada manhã".
.
Será que não estou preparado para receber de Deus a sua pena? Será que ainda não alcancei a maturidade necessária para passar por essa escola do deserto? Será que ainda não sou um crente? Meus questionamentos não são triunfalistas. Tenho aprendido muita coisa com as lutas que enfrentei e vi as pessoas enfrentarem, mas jamais pensei que pudesse suportar isso?
.
Na terça-feira passada, eu tentava achar algo que pudesse desenvolver como tema para um livro. Já não estou me sentindo como Asafe no Sl 73.13,14. Agora sou o Asafe do Sl 73.16-28. Compreendi muita coisa ao entrar na Casa de Deus. Pode ser que exista outro lugar para estar, maso melhor de todos os lugares, é a Casa de Deus. Foi lá que Ana entrou quando perturbada de espírito, mas foi de lá que ela saiu confiante de que Deus atenderia suas orações (1Sm 1.9-19).
.
Asafe invejava a prosperidade dos ímpios, acha injusto da parte de Deus eles serem tão abençoados, mas depois de entrar na Casa de Deus "entendeu o fim deles" (v.17). A mesma mão que os exalta, deruba-os. E isso tudo é permissão de Deus. Para Ele, sua aparente derrota era "um sonho pra Deus". Quando Ele acordar, tudo vai mudar, olhará para mim e verá quem de fato permanece inabalável e confiante nEle (v.20).
.
"Sou como um animal perante ti" (v.22) é a expressão para descrever sua ignorância das ações invisíveis de Deus. Animal. No original, significa aquele que é levado pelo instinto.
.
Pode parecer místico demais, mas sinceramente sinto a mão de Deus guiando-me por um caminho que nunca antes havia percorrido. O que será que Deus está fazendo agora? Será que contempla o meu estado? Será que vai agir por mim? Como homem de carne e osso, tenho sentimentos e facilmente consigo duvidar das recompensas que Ele disse ter para aqueles que lançam a mão no arado, mas como cristão, aprendi que nada pode me fazer olhar para trás, senão a queda pode ser maior. Tenho visto pessoas perderem a confiança em Deus por que acreditam que nada pode atingi-los enquanto estiverem com Deus. Tempos atrás recebi um e-mail de um homem que bravejava contra Deus por ter deixado uma pedra atingir sua cabeça. Porque? Que vergonha não sentiu quando o Senhor abriu-lhe os olhos e ele viu quão pequenas eram as pedras quando comparadas com aquelas que atingiam primeiro aquele que o guardava.
.
Quantas vezes não vi nos jornais pessoas perderem a vida em assaltos? O anjo que guardava a minha moto não vacilou quando deixou que assaltantes a levassem. O que ele fez foi me tirar de lá para que as pedras maiores não me acertassem. Glória a Deus.
.
Volto ao Sl 73 e pergunto: "A quem tenho eu no céu além de ti". Ninguém me poderia fazer o que o Senhor tem feito. Ninguém tem mais amor por mim do que Ele. Ninguém pensa mais em mim do que Ele e ninguém me mima mais do que Ele. Por isso" Deus é a fortaleza do meu coração, e a minha porção para sempre" (v.26).
.
Até agora, enquanto escrevo essas linhas, não recuperei minha moto, mas sinto ter recuperado algo mais precioso que havia perdido. Ninguém tomou de mim, eu mesmo perdi. Aprendi...
  • Que falar de confiança em Deus é fácil e emocionante, mas bem melhor mesmo é poder sentir na pele e ouvir de Deus uma nova direção.
  • Que ninguém conhece a Deus até experimentar de Seu amor. A cruz foi a mair revelação desse amor, mas, como às vezes sofremos de miopia, Ele expressa em letras gigantes o reflexo daquilo que Ele já fez por nós.
  • Que conhecer a Deus é uma jornada sem fim (enquanto estivermos aqui), mas um dia "o conhecerei como também sou conhecido" (1Co 13.12).

Enquanto a poeira abaixa, sinto de Deus uma tranquilidade indizível, inexplicável, incompreendível e minha conclusão é a mesma de Asafe: "Mas para mim, bom é aproximar-se de Deus; pus a minha confiança no Senhor Deus, para anunciar todas as suas obras. No fim, acabo crendo que nem isso tira de Deus o controle de todas as coisas. Alguma coisa Ele vai fazer e o dia de amanhã vai ser melhor que hoje.

Se Jesus estiver no barco, temos de ficar tranquilo. Se Ele dormir no barco, descansemos, pois milagres maiores nos esperam. Se Ele não estiver no barco, sosseguemos; na hora certa Ele vai aparecer. E se por um acaso, nosso barco afundar, foi porque as pedras maiores atingiram Ele para que somente as pequenas acertassem em nós. Tudo é para a Glória de Deus.

sexta-feira, 24 de julho de 2009

Acidentes acontecem e Milagres também

Vinte horas. Esse foi o tempo que fiquei internado com a minha esposa no hospital de nossa cidade ontem. Um verdadeiro terror pra qualquer um. Depois de sofrer um acidente na BR 364, fomos levados ao Hospital de Pronto Socorro João Paulo II, fomos atendidos e tivemos de ficar em observação de 18:30h até às 14:30h do outro dia. A data de 22 de Julho ficará para sempre em minha memória. Caímos duas vezes em dez minutos. Na primeira vez, não tivemos nenhuma escoriação, nenhuma lesão. Esse é o primeiro grande milagre do dia. Agradecemos a Deus pelo livramento; já na segunda, fomos parar no hospital. Mas percebi por trás de tudo isso, um rio de amor que cobre a minha vida em todos os aspectos. Confira...
.
Não demorou um minuto pra que uma ambulância aparecesse após o acidente. Minha moto, atrapalhando o trânsito, ficou derrubada no chão, enquanto alguns curiosos, mesmo na chuva, tiravam fotos e filmavam a cena de minha esposa deitada no chão. Eu sem saber o que fazer, fui acudir meu amor e ao mesmo tempo, naquele sufoco, agradecia imensamente a Deus pela vitória.
.
Pensando no pior que poderia acontecer, atendia meu amor e me esquecia de tudo a minha volta. Nada era mais importante que a minha esposa. Muito machucado (vocês não poem imaginar a dor que sentia enquanto escrevia essas linhas), falava com ela que dizia pra eu não mexer em seu corpo, pois havia batido com a cabeça no chão.
.
Comecei a ver a mão de Deus, quando algumas pessoas pediram que eu colocasse a moto em cima do canteiro pra não atrapalhar o trânsito e que trancasse-a e depois viesse buscá-la. Segundo eles, ninguém a roubaria. Mas Deus, que providencia tudo para que seja sempre lembrado em momentos como estes, enviou um servo seu. Irmão Deusdete olhou pra mim e me disse que levaria minha moto. Dei-lhe as chaves, capacetes e entrei na ambulância já com meu amor imobilizada e reclamando de muitas dores. O segundo milagre? Irmão Deusdete na hora certa. Glórias a Deus.
.
Entrando às 18:30 h no Hospital, meu amor foi rapidamente atendida e eu, que entrei como paciente, acabei me tornando acompanhante. Uma injeção e todas as minhas dores desapareceram. Já meu amor não. Reclamava de dores do pescoço, cabeça, costelas, braços e eu começava a ficar desesperado. O terceiro milagre estava acontecendo: Deus me dava agora uma resistência maior que eu podia imaginar. Estava resistindo a dor para cuidar de meu amor.
.
Depois de atendida, medicada, tirado os raio-x's, com muito custo, consegui uma cadeira para que se sentasse e eu permanceria em pé pelas próximas longas horas. De dieta zero, ela começava a fazer várias perguntas, repetidamente, sem nexo e alguns momentos chorei de vê-la naquela situação. A agonia por ver que minha esposa de nada lembrava era terrível. Liguei para o meu pastor e meia hora depois fui chamado na recepção do hospital. Lá estava, os pastores Antonio Baltazar e Daniel Martins. Com muita insistência o guarda deixou que os dois pastores, um de cada vez, entrasse para ver-nos. Os dois repetiram o mesmo gesto: oraram por nós. E eu chorei. Esse era o quarto milagre: presença amiga na hora difícil.
.
Eles foram embora e nós ficamos naquele lugar. Difícil de descrever aqueles momentos. Eu me sentia como o paralítico do tanque de Betesda. Cercado por pessoas doentes, compartilhei de algumas histórias. Um homem que teve o braço quebrado pelo genro, diabéticos em fase terminal, acidentados, cancerosos, cabeças quebradas e cada vez chegando mais gente. Naquela noite aconteceria vários acidentes. Eu contei mais de vinte casos de acidentes envolvendo motos. Não conseguiríamos dormir por vários motivos: meu amor estava sentada em uma cadeira (não havia leitos), eu em pé e durante toda a noite, pessoas gritando de dores, um homem morreu, e (preciso dizer) alguns profissionais da saúde não mereciam estar ali. Não estou generalizando, pois naquele ambiente havia uma profissional que não cansava de fazer o bem; seu nome era Lilian. Enfermeira, que demonstrou estar ali não apenas pela profissão, mas por ter aceitado a tarefa de salvar vidas. Esse era o quinto milagre: enfermeira Lilian. Graças a Deus pela sua vida.
.
Até às 3h da madrugada eu aguentei ficar em pé ao lado da cadeira do meu amor, mas, por alguns instantes com a luz apagada, eu me sentei no chão, depois me deitei e por uma hora e meia dormi (lágrimas rolam de meu rosto enquanto escrevo isso). Quando acordei, a primeira lembrança foi a de Jesus quando tomou aquele barco. Sobreveio uma grande tempestade, seus discípulos tentando salvar suas vidas e Jesus dormia sobre uma almofada. Inconveniente não. Esse é sexto milagre. Durante algumas ministrações, várias vezes falei que o Senhor afofa a cama para que tenhamos um sono tranquilo em meio as tempestade e eu estava ali experimentando esse milagre de Deus.
.
Às 4:30h acordei. Um cheiro fétido de fezes, urina, sangue e suor dominava o ambiente. Insuportável. Escondia o nariz dentro da camisa pra poder continuar ali. Dominado pelo sono, cansaço e dor, quase desfalecendo, quando o telefone tocou, eu atendi, era a nossa pastora Ruthlene que disse estar indo à oração e que nos apresentaria a Deus com os irmãos. Poucas horas depois, foi até o hospital, mas infelizmente, não conseguiu entrar. Esse era o sétimo milagre. Deus sabia de tudo que estavámos passando, mas agora Ele levantava intercessores. Alguém orou por nós.
.
Às 8:30h, o médico disse que ela continuaria em observação e que somente o neurologista poderia dizer quando receberíamos alta. Depois de 18 horas sem comer nada, Sara começou a passar mal com fome, os médicos então a liberaram da dieta zero. Parecia que tudo começando a melhorar. Mas, segundo os responsáveis pelos exames finais, teríamos de permanecer ali por mais dezessete dias. Aí, eu não aguentei. Conversamos e decidimos pedir alta por nossa conta. Só estando lá saber o que nos levou a essa decisão. E finalmente, às 14:30h, saímos daquele lugar e vimos pra nossa casa. Cansados, depois de um banho, dormimos.
.
Enquanto passávamos por tudo isso, eu sempre me lembrava do paralítico do tanque de Betesda (Jo 5.1-14). Acabei fazendo algumas comparações entre as nossas situações. Esse era o oitavo milagre. Mesmo daquele jeito, Deus visitava minha mente para aprender de seu Amor, supremo amor.
  1. Ele com certeza estava mais necessitado que eu. Já havia sofrido vários anos e eu, somente algumas horas.
  2. Nossas situações são iguais quanto ao propósito: a glória de Deus. Naquele lugar havia várias pessoas. Jesus olhou para aquele homem, Jesus olhou para nós.
  3. Enquanto o paralítico dizia não ter ninguém, Deus levantava ao meu favor várias pessoas. Descobrimos que éramos amados mais do que imaginávamos.
  4. Diferente do paralítico, que não entendeu o que Jesus tinha pra ele, nós entendíamos de primeira mão e aceitamos a sua ajuda.

Agora estamos em casa. Já recebemos várias visitas. E nossa gratidão pelo que Deus fez nos inunda cada vez mais. Este é o nono milagre: estar em casa é a melhor coisa do mundo. Obrigado por tudo. A Deus e a todos.