sexta-feira, 25 de dezembro de 2009

Natal de Jesus

Hoje comemoramos o Natal. Dia de júbilo para todos. Cada pessoa tem um jeito próprio de comemorar. A noite é pequena para tanta imaginação. Famílias inteiras celebram o Natal. Mas será que foi assim desde o princípio? Como terá sido as primeiras comemorações do Natal?

O dicionário diz que natal é "nascimento, especialmente o de Jesus". Mas vamos ao texto bíblico que registra o natal; está escrito em Mt 1.19-25:

"Ora, o nascimento de Jesus Cristo foi assim: Estando Maria, sua mãe, desposada com José, antes de se ajuntarem, achou-se ter concebido do Espírito Santo. Então José, seu marido, como era justo, e a não queria infamar, intentou deixá-la secretamente. E, projetando ele isto, eis que em sonho lhe apareceu um anjo do Senhor, dizendo: José, filho de Davi, não temas receber a Maria, tua mulher, porque o que nela está gerado é do Espírito Santo; e dará à luz um filho e chamarás o seu nome JESUS; porque ele salvará o seu povo dos seus pecados. Tudo isto aconteceu para que se cumprisse o que foi dito da parte do Senhor, pelo profeta, que diz; Eis que a virgem conceberá, e dará à luz um filho, e chamá-lo-ão pelo nome de EMANUEL, Que traduzido é: Deus conosco. E José, despertando do sono, fez como o anjo do Senhor lhe ordenara, e recebeu a sua mulher; e não a conheceu até que deu à luz seu filho, o primogênito; e pôs-lhe por nome Jesus".

Não vemos muita festa neste dia. Apesar de ser a maior de todas as notícias dada aos homens, o natal de Jesus envolve dois jovens inexperientes que estavam agora tendo de lidar com a bombástica notícia de uma gravidez não planejada (pelos menos por eles). Na eternidade de Deus já estava arquitetado um plano de salvação que incluía o nascimento de Deus em forma humana entre os homens. A maior humilhação de Deus: tornar sua natureza infinita limitada a um corpo de carne e osso, naturalmente finito.

Naquele dia, ninguém estava presente para receber a chegada do Rei de toda a Terra. Isso mesmo, Jesus nasceu Rei. Mesmo sendo filho de José e Maria, era pai deles por excelência. Alguns poucos animais (vacas, cavalos, camelos, galinhas, etc) podem ter presenciado a chegada de Jesus em nosso planeta. Que honra para eles! Mas que insulto a Deus. Os judeus esperavam o seu Messias montado num cavalo branco, de sangue azul, da tribo de Judá, com estratégias políticas que deportariam o jugo dos romanos. Que decepção para eles! Os planos de Deus eram outros, bem diferentes, para falar a verdade.

Jesus dependeria da proteção especial do ventre de Maria por nove meses, como uma criança comum. Causaria enjôos em sua mãe, deixaria José inciumado e o faria trabalhar um pouco a mais que o costume. Aquilo que não fora planejado, tornava-se o alvo dos cuidados de Maria e José, os escolhidos por Deus para introduzi-lo na Terra como homem.

Por que Deus não se encarnou em algumas mais favorecidas, ricas, mais experientes? "Porque, vede, irmãos, a vossa vocação, que não são muitos os sábios segundo a carne, nem muitos os poderosos, nem muitos os nobres que são chamados. Mas Deus escolheu as coisas loucas deste mundo para confundir as sábias; e Deus escolheu as coisas fracas deste mundo para confundir as fortes; e Deus escolheu as coisas vis deste mundo, e as desprezíveis, e as que não são, para aniquilar as que são; para que nenhuma carne se glorie perante ele. Mas vós sois dele, em Jesus Cristo, o qual para nós foi feito por Deus sabedoria, e justiça, e santificação, e redenção; para que, como está escrito: Aquele que se gloria glorie-se no Senhor" (1Co 1.26-31). Ele prefere as coisas menos prováveis.

continua....

Nenhum comentário: