quinta-feira, 28 de agosto de 2014

Apenas Cristão

Foi-se o tempo que os seguidores de Cristo se identificavam com cristãos. Eles passaram a denominar-se assembleianos, presbiterianos, batistas, metidistas, universais, mundiais, internacionais. A placa da Igreja tornou-se mais importante que o Reino de Deus. A Cristandade pariu o denominacionalismo. A visão de Reino foi substituída pela visão de território. O mundo todo foi transformado num simples tapete onde eu me aquento e me sinto bem.

Seja Servo

O pastor tornou-se apóstolo.
O apóstolo tornou-se patriarca.
O patriarca agora pode ser consagrado a rei.

"e qualquer que entre vós quiser ser o primeiro, será vosso servo..." (Mateus 20.27).

Viva a Igreja!

Vi uma polêmica gerada em torno de umas fotos que mostravam as salas destinadas às crianças em uma Igreja. Fiquei a pensar por horas e me recordei de quando eu era criança.

Lembrei de quando eu tinha sete anos e ia ao Círculo de Oração das Crianças, aos sábados, na época dirigido pela irmã Nilda, filha da irmã Rosa. Perdi a conta das vezes que aceitei Jesus e ainda chegava em casa testemunhando.
...
Na hora do culto, saíamos em fila, parávamos num comércio, trocávamos o dinheiro em moedas, para poder ofertar na Igreja, o que me fez ser um ofertante da Casa do Pai. Sinto prazer em dar ofertas. Muitas vezes dormi ao lado de minha avó ou da minha mãe, no banco mesmo, com a cabeça repousando ao seu lado. Um olhar de minha mãe era suficiente para eu me aquietar.

Assistia a cultos inteiros sem sair do lugar, não havia um lugar reservado para as crianças, nem ao menos cadeiras pequenas que melhor nos acomodasse. Era nos dado um microfone e não uma televisão. Cantávamos de verdade e não apenas fazíamos gestos.

Hoje escolhemos Igrejas pelas dependências. Banheiros, estacionamento, sala infantil e etc. Num grande congresso nos Estados Unidos, um pastor prometeu revelar o segredo para o crescimento de uma Igreja. Todos ficaram empolgados. Ele simplesmente disse: "Construam banheiros e estacionamento". Aí, sabe o que eu vejo hoje? Banheiros luxuosos, estacionamento coberto e com segurança, salas equipadas com o que existe de mais moderno, Igrejas que mais parecem cartões postais, mas que tornaram-se frias, onde tudo é permitido.

Estava na casa de um amigo esses dias quando um de seus convidados disse algo que me fez refletir: "Não adianta a Igreja ter tudo em seu interior, e faltar o Espírito Santo na vida de seus membros". Isso é uma grande verdade. Templos megalômanos envaidecem os seus frequentadores.

Sei que muita gente pode até discordar do que escrevo, mas a verdade é que a febre de construir o templo de Salomão atacou a maioria dos líderes de Igreja. Um gaba-se de ter um templo com equipamentos que só existem lá. Outro, de ter capacidade para abrigar sessenta mil pessoas. Outro chega a ter visões que o templo físico subirá no arrebatamento. É o delírio de ter a melhor e maior Igreja.

Dirá o leitor que estou falando do que eu mesmo não vivo. Eu diria: "Amo cuidar da Igreja, amo a Igreja. Não tem como eu lhe mostrar ou provar o tempo que gasto para preparar um sermão ou produzir um série de estudos para Igreja onde sou pastor. Você não sabe o tamanho do apelo que faço para os irmãos congreguem mais, orem mais, jejuem mais e leiam mais a Bíblia. Procuro ser o mais didático possível nas ministrações, mas sinto que nesses últimos anos, a alegria do Espírito e sua visitação à Igreja tornou-se algo reservado às visitas de conferencistas e pregadores animadores".

Eu oro por uma grande mudança na Igreja.

Oro para que o Espírito Santo sopre como na época em que eu era criança.

Oro para ver de novo o hoje tão raro batismo com Espírito Santo.

Oro para que os candidatos ao batismo nas águas sejam também candidatos ao céu através de discipulado bíblico.

Oro para que a cura divina aconteça através de uma simples oração feita em nome de Jesus.

Oro para que o ministério seja servo da Igreja e não cabide de homens elitizados e blindados.

Oro para que o altar seja o local onde se assentam os príncipes de Deus e não onde exibem as roupas de marcas.

Oro para que a vestimenta chame menos atenção do que o sermão.

Oro para que a retórica seja menos louvada do que a graça gerada por momentos de oração.

Oro para que os pequenos anseiem buscar a Deus através de louvor e leitura da Palavra de Deus.

Oro para que nossos cultos sejam ao Senhor e não a nós.

Viva a Igreja!

sexta-feira, 22 de agosto de 2014

Alguns conselhos aos novos Ministros do Evangelho:

☆ Encare o ministério com um presente de Deus. Não negocie-o, não barganhe com ele, nem o use como meio de alcançar privilégios.

☆ Honre o Ministério. Milhares gostariam de ser ministros, mas essa honra é concedida apenas aos vocacionados.

☆ Cultive a humildade ministerial. Ser ministro não é o topo. Não precisa lembrar ninguém de que você agora o é. Seja você mesmo.

☆ Celebre o Ministério. Não precisa fechar a cara pra mostrar que é um homem sério. Seja alegre como sinal de gratidão a Deus por tão grande honra.

☆ Exerça o Ministério de acordo com a Bíblia. A vaidade é sedutora, as Escrituras são o remédio preventivo. Mantenha-a no peito para controlar as emoções, na cabeça pra orientar a razão, nas mãos como espada do Espírito, nos pés como luz para o seu caminho.

☆ Regue o Ministério com muita oração. A maioria dos ministros não oram. Oravam antes, agora não mais. Lembre-se: pastores mantém-se em pé quando estão de joelhos.

☆ Concilie a família e o Ministério. Seu bem mais precioso é a sua família. Só a família te dará um ministério bem-sucedido. O testemunho mais poderoso do ministério vem da família.

☆ Seja obediente ao Ministério. Seja prestativo, dedicado e fiel aos seus líderes. A obediência faz um homem honrado.

☆ Seja um ministro responsável. Não rejeite oportunidades e trabalhos. Veja os desafios como chance de exercer melhor o ministério. Não abandone nenhum trabalho antes de agradar aquele que o alistou.

☆ Jamais pense em negar o ministério. Você é muito mais que uma credencial ou diploma. Não negue seu ministério seja por uma aventura, um favor, um privilégio, um status ou coisa semelhante. Um dia, estaremos diante do sumo-pastor. Não volte atrás, não desanime, não murmure, não perca a esperança.

As Três Fases do Ministério

"E entrando na casa, viram o menino com Maria sua mãe e, prostrando-se, o adoraram; e abrindo os seus tesouros, ofertaram-lhe dádivas: ouro, incenso e mirra" (Mateus 2.11).

Baseado nesse testo bíblico, aprendemos as três fases do ministério:

Primeira fase - a fase do ouro.
Nessa fase, o ministro valoriza o ministério, luta e se empenha para fazer o melhor para Deus. O ouro é valioso.

Segunda fase - a fase do incenso.
Nessa fase, o ministro dedica-se mais a oração pois o primeiro amor pode ter diminuído. A oração transforma-se num recurso poderoso.

Terceira fase - a fase da mirra.
Nessa fase, o ministro valoriza as provas ministeriais e torna-se mais maduro e experiente. As adversidades do ministério já não impede de prosseguir. Diz-se que a mirra é extraída a base de surra. Literalmente a árvore é surrada. O sabor é amargo, mas o cheiro é maravilhoso e impregna profundamente onde toca.

Que Deus abençoe todos os nossos novos ministros.

As Três Faces de um Ministro

Ano passado, na Convenção Estadual de Ministros das AD's Madureira de Rondônia, realizado em Ji-Paraná, tivemos a presença do Pr. Amarildo, presidente da Convenção do Tocantins e membro da CONAMAD.

Naquela oportunidade, a tarde, ele ministrou uma palavra que eu guardei comigo e já fiz menção várias vezes.

Escrevo abaixo aquilo que pude absorver daquele maravilhoso estudo.

--------------------

Jacó foi um homem extraordinário. Teve uma vida pacata e aparentemente sem propósitos definidos. Bem articulado e engenhoso, Jacó viveu várias faces. Isso mesmo, Jacó mudava de rosto diante das situações.

Primeira face - Eu sou Esaú.
"Respondeu Jacó a seu pai: Eu sou Esaú, teu primogênito" (Gênesis 27.19). É a face que o obreiro mostra querendo ser o que não é.

Essa face é perigosa pois a soberba, a vaidade, a auto-promoção ditam as regras. O obreiro tentará de tudo para sustentar uma imagem do que não é.

Segunda face - Eu sou Jacó
"Perguntou-lhe, pois: Qual é o teu nome? E ele respondeu: Jacó" (Gênesis 32.27). É a face que o obreiro mostra quando aceita o que todo mundo diz sobre ele.

Esta face revela o desinteresse por crescimento e mudanças. O ministério fica estagnado. O obreiro vive o eco de tudo o que lhe dizem.

Terceira face - Eu sou Israel
"E disse-lhe Deus: O teu nome é Jacó; não te chamarás mais Jacó, mas Israel será o teu nome. Chamou-lhe Israel" (Gênesis 35.10). É a face que o obreiro mostra quando aceita a vontade de Deus pra a a sua vida.

Esta face é maravilhosa, pois o melhor de fazer a Obra de Deus é poder enxergá-lo como amigo e ajudador. A face sincera agrada a Deus.

Ministério: Um Presente com Aliança

Esse título define, ou pelo menos tenta definir o que é ministério. Um presente com aliança.

Sabe porque? Porque considero errado quando alguém diz: "o meu ministério". Quem somos nós para sermos proprietários de algum ministério? Mas alguns acham-se donos, isso mesmo, consideram o ministério uma patente conquistada. Posso dar-lhes uma notícia? Você não é dono de nada. Exercemos o ministério por graça. É um favor que alcançamos de Deus.

Mas eu comecei dizendo que o ministério é um presente com aliança porque um dia prestaremos contas com quem nos presenteou. Por isso, escrevo abaixo algumas considerações sobre como lidar com um presente que não é seu:

1) Jamais caia no erro de achar que o ministério é propriedade sua. Quando você considera-o seu, Deus tira a sua parte.

2) Zele do presente que o Senhor que confiou. Na parábola dos talentos, o que menos recebeu ficou com um. E sabe quanto aquele um só valia? Mais ou menos R$ 1,5 milhões de reais.

3) Nunca considere pequeno o que o Senhor lhe confiou. A Bíblia diz que as intimidades do Senhor são para aqueles que confiam nEle. Se você exerce o ministério, louve ao Senhor. Já é muita coisa.

4) Dê o seu melhor no exercício do ministério. Trabalhos pela metade não são recompensados. Esforce-se para agradar a Deus.

5) Invista no ministério que o Senhor lhe confiou. Conheço vários ministros que quando alcançaram essa graça, pararam de estudar, de ler, de pesquisar. Seus sermões são repetecos da Internet ou dos pastores da televisão. Investir é correr atrás de algo novo, é estar atualizado. Teologia é uma ciência dinâmica.

6) Não tente apressar Deus. Deus é paciente. Está acima do tempo, mas trabalha dentro dele. Deixe as coisas acontecerem dentro do estratagema de Deus. O que está reservado pra você é só pra você.

7) Tenha uma consciência de servo. Não existe grande servo. Ou é servo ou é grande. No grego, ministro é "huperetes" que significa mais ou menos "remador da parte de baixo". Febre de grandeza não combina com os autênticos servos de Deus.

8) Seja sério no exercício do ministério. Desonestidade, mentiras, falcatruas, escândalos, brincadeirinhas espirituais como imitar línguas espirituais e fingir estar profetizando, devem ser evitados pelo ministro de Deus.

9) Desperte a consciência ministerial nos outros. A Igreja reconhece quando o ministro vive uma vida cristã piedosa. O fato de hoje termos menos candidatos ao ministério, é exatamente porque os potenciais ministros já não enxergam nada de Deus em nós. Misericórdia, Senhor!

10) Não espere recompensas aqui. Meu avô tem 84 anos de idade e ele sempre me diz uma grande verdade: "Quem já recebeu recompensas aqui, engana-se se pensa em receber alguma coisa lá". Por vezes seremos os mais requisitados, outras seremos esquecidos. Tudo isso é para a Glória de Deus.

Ministério é Coisa Séria

Sempre encarei a vida cristã com muita simplicidade. É realmente muito simples ser cristão. O próprio Jesus nos intima a simplicidade. Ele disse: "sejam simples".

Mas paralela à simplicidade da vida cristã está a seriedade da mesma. Ser cristão é coisa séria. E o ministério também, ou melhor, mais ainda.

Os recentes escândalos envolvendo ministros colocam em cheque a seriedade da Obra de Deus. Há muitos que já não respeitam nem valorizam esse valioso trabalho para o Mestre.

Por isso, precisamos ser os agentes de mudança que essa geração precisa. Não é que vamos copiar o modelo dos incautos. É triste ver pastores serem acusados de pedofilia, assédio, adultério, estelionato, tráfico de drogas, armas e influência.

Recentemente li uma matéria sobre um pastor, pregador do evangelho, realizador de milagres que candidatou-se a um cargo político e muita coisa veio à tona. A declaração de bens junto ao TSE listava um patrimônio milionário que ia desde mansões a iates em São Paulo. Ele pregava uma vida simples e desapegada. Resultado: a Igreja não o via com os mesmos olhos. Ele saiu do Ministério e "abriu" outro.

Quero deixar claro que não considero erro um pastor ser abastado, desde que seja de forma lícita e transparente. Foi o que aconteceu com o testemunho acima. Ele passava uma imagem de que "vivia do evangelho", mas não era um viver sério.

Especialmente aos ministros, seriedade é a única forma de encarar o ministério. "O que deseja o episcopado, excelente obra deseja", diz-nos a Bíblia. Isso é sério, muito sério.

Costumo dizer que podemos herdar o céu sem termos feitos absolutamente nada na Obra de Deus, mas podemos ir para o inferno se fizermos a Obra relaxadamente. O profeta Jeremias disse: "Maldito aquele que fizer a Obra relaxadamente".

Aos obreiros que sonham com o ministério, fazer diferente é imperativo. Deixo algumas palavras que tem sido a minha inspiração para continuar fazendo a Obra de Deus:

1) Não se venda a um padrão pré-estabelecido. Aproveite a oportunidade para trazer vinho novo à Igreja e ao ministério. Não é preciso inovar. Ore, peça orientação de Deus. Ele é o dono da Obra.

2) Respeite o trabalho dos que vieram antes de você, mas não repita os mesmos erros. Não é necessário destruir tudo o que já foi construído. Dê continuidade. Evite os mesmos erros. Escute os mais antigos. A Bíblia diz que "os jovens terão visões e os velhos sonharão sonhos". Eles sonham com uma Igreja avivada, que ora e que é espiritual.

3) Não seja negligente com a Obra de Deus. Não abandone o rebanho por qualquer coisa. Congregue com suas ovelhas. Já parou pra pensar o que Jesus queria nos ensinar quando disse: "Eu sou a porta"? Os apriscos antigamente eram feitos basicamente de um cercado sem porta. Depois que as ovelhas entravam, o pastor sentava-se à porta. Nenhuma ovelha saía e nenhum lobo entrava. Um lindo ensino sobre a diligência, vigilância e assistência que o pastor deve ter para com a Obra de Deus.

4) Se vai cuidar do rebanho, "cuide" do rebanho. Recentemente vi um pastor lamentar com pesar sobre um irmão que lhe procurou por volta de 1h da madrugada. Ele o recebeu com desgosto e antes que a ovelha lhe falasse, ele recomendou que o irmão voltasse pela manhã que eles conversariam com mais tranquilidade. O irmão foi embora e antes que o sol aparecesse, uma outra irmã bateu à porta do pastor. Em prantos, ela lhe disse: "Meu irmão, pastor, meu irmão, se matou de madrugada!" O irmão daquela havia procurado o pastor, mas foi dispensado por causa do horário. A Obra de Deus é cuidar de vidas. Não dispense ninguém, nem desligue o seu telefone. Uma vida desesperada pode te chamar do outro lado. Pense nisso!

5) Independente da retribuição que receber, trabalhe com alegria. Os dias de hoje são ingratos. A ingratidão ronda até mesmo as ovelhas. Elas se esquecerão de tudo o que você fez. Seu empenho, garra, vontade, intrepidez e até mesmo suas pregações inflamadas serão esquecidos rapidamente, em nós tempo do que você imagina. Mas não permita que isso te faça perder a alegria de fazer a Obra do Mestre. "Não desfaleçam as vossas mãos, pois no Senhor, a Obra tem uma recompensa".

A Construçao não Pára

Nossa construção na Congregação Monte Moriá entra agora numa nova fase. A alvenaria e cobertura já estão prontas, agora vem a parte mais cara.

A generosidade dos irmãos é maravilhosa de se ver, mas quero com muita alegria rogar a todos os que puderem que contribuam com o que tiverem. Precisamos

☆ 7 metros de areia fina para reboco (R$ 270,00);
☆ 30 sacos de cimento (R$ 960,00);
☆ 180 metros de forro pvc (R$ 1.962,00);
☆ 74 barras de metalon (R$ 1.980,00);
☆ 190 metros de cerâmica (R$ 2.850,00);
☆ 3 latas de tinta acrílica semi brilho (R$ 540,00).

Talvez o leitor dirá: "Está querendo demais!" E eu digo: "não, não estou". Estamos preparando um ambiente para atendimento pastoral que é uma necessidade de qualquer um que quiser conversar particular, sem intromissões nem abelhudos. Teremos uma sala para gerência da Igreja, que atenda com segurança os contribuintes. Teremos uma sala de 40 metros quadrados para as nossas crianças. Enquanto os pais estão na Congregação, essas crianças receberão instrução de quatro equipes especializadas para falar em linguagem inteligível a elas. A sala será equipada com TV, home theater, brinquedos e móveis adaptados. Ainda teremos um espaço para eventos sociais de 100 metros quadrados com mesas e cadeiras, com cozinha americana equipada com freezer e fogão industrial.

Qualquer ajuda será bem-vinda. Que Deus te abençoe!