sexta-feira, 22 de agosto de 2014

Ministério é Coisa Séria

Sempre encarei a vida cristã com muita simplicidade. É realmente muito simples ser cristão. O próprio Jesus nos intima a simplicidade. Ele disse: "sejam simples".

Mas paralela à simplicidade da vida cristã está a seriedade da mesma. Ser cristão é coisa séria. E o ministério também, ou melhor, mais ainda.

Os recentes escândalos envolvendo ministros colocam em cheque a seriedade da Obra de Deus. Há muitos que já não respeitam nem valorizam esse valioso trabalho para o Mestre.

Por isso, precisamos ser os agentes de mudança que essa geração precisa. Não é que vamos copiar o modelo dos incautos. É triste ver pastores serem acusados de pedofilia, assédio, adultério, estelionato, tráfico de drogas, armas e influência.

Recentemente li uma matéria sobre um pastor, pregador do evangelho, realizador de milagres que candidatou-se a um cargo político e muita coisa veio à tona. A declaração de bens junto ao TSE listava um patrimônio milionário que ia desde mansões a iates em São Paulo. Ele pregava uma vida simples e desapegada. Resultado: a Igreja não o via com os mesmos olhos. Ele saiu do Ministério e "abriu" outro.

Quero deixar claro que não considero erro um pastor ser abastado, desde que seja de forma lícita e transparente. Foi o que aconteceu com o testemunho acima. Ele passava uma imagem de que "vivia do evangelho", mas não era um viver sério.

Especialmente aos ministros, seriedade é a única forma de encarar o ministério. "O que deseja o episcopado, excelente obra deseja", diz-nos a Bíblia. Isso é sério, muito sério.

Costumo dizer que podemos herdar o céu sem termos feitos absolutamente nada na Obra de Deus, mas podemos ir para o inferno se fizermos a Obra relaxadamente. O profeta Jeremias disse: "Maldito aquele que fizer a Obra relaxadamente".

Aos obreiros que sonham com o ministério, fazer diferente é imperativo. Deixo algumas palavras que tem sido a minha inspiração para continuar fazendo a Obra de Deus:

1) Não se venda a um padrão pré-estabelecido. Aproveite a oportunidade para trazer vinho novo à Igreja e ao ministério. Não é preciso inovar. Ore, peça orientação de Deus. Ele é o dono da Obra.

2) Respeite o trabalho dos que vieram antes de você, mas não repita os mesmos erros. Não é necessário destruir tudo o que já foi construído. Dê continuidade. Evite os mesmos erros. Escute os mais antigos. A Bíblia diz que "os jovens terão visões e os velhos sonharão sonhos". Eles sonham com uma Igreja avivada, que ora e que é espiritual.

3) Não seja negligente com a Obra de Deus. Não abandone o rebanho por qualquer coisa. Congregue com suas ovelhas. Já parou pra pensar o que Jesus queria nos ensinar quando disse: "Eu sou a porta"? Os apriscos antigamente eram feitos basicamente de um cercado sem porta. Depois que as ovelhas entravam, o pastor sentava-se à porta. Nenhuma ovelha saía e nenhum lobo entrava. Um lindo ensino sobre a diligência, vigilância e assistência que o pastor deve ter para com a Obra de Deus.

4) Se vai cuidar do rebanho, "cuide" do rebanho. Recentemente vi um pastor lamentar com pesar sobre um irmão que lhe procurou por volta de 1h da madrugada. Ele o recebeu com desgosto e antes que a ovelha lhe falasse, ele recomendou que o irmão voltasse pela manhã que eles conversariam com mais tranquilidade. O irmão foi embora e antes que o sol aparecesse, uma outra irmã bateu à porta do pastor. Em prantos, ela lhe disse: "Meu irmão, pastor, meu irmão, se matou de madrugada!" O irmão daquela havia procurado o pastor, mas foi dispensado por causa do horário. A Obra de Deus é cuidar de vidas. Não dispense ninguém, nem desligue o seu telefone. Uma vida desesperada pode te chamar do outro lado. Pense nisso!

5) Independente da retribuição que receber, trabalhe com alegria. Os dias de hoje são ingratos. A ingratidão ronda até mesmo as ovelhas. Elas se esquecerão de tudo o que você fez. Seu empenho, garra, vontade, intrepidez e até mesmo suas pregações inflamadas serão esquecidos rapidamente, em nós tempo do que você imagina. Mas não permita que isso te faça perder a alegria de fazer a Obra do Mestre. "Não desfaleçam as vossas mãos, pois no Senhor, a Obra tem uma recompensa".

Nenhum comentário: