domingo, 18 de novembro de 2007

Ele não demora

Quase dois mil anos se passaram desde que Jesus subiu ao céu e nos deixou a promessa de um dia voltar. Aqueles que testemunharam sua subida tinham tudo para crer. “Aquilo que ouvimos, vimos e nossas mãos tocaram, disso testificamos”, disse um deles, mas infelizmente a chama tem se apagado todo dia.

Alguns previram, falharam e para alguns a volta de Jesus é coisa de louco. Cresceram tanto em seu orgulho que não imaginam mais a vida em outro lugar.

“O Senhor não retarda a sua promessa, ainda que alguns a tenham por tardia; mas é longânimo para convosco, não querendo que alguns se percam, senão que todos venham a arrepender-se”. Até na demora (que alguns julgam), Deus faz assim “não querendo que alguns se percam”. Deus quer que “todos venham a arrepender-se”.

Somos tentados a desistir, sim. Somos desencorajados quanto à esperança, mais ainda. Mas não podemos perder a confiança. A volta de Jesus é um consolo para todos nós.

É verdade que alguns vivem tão obcecados com os últimos dias que esquecem do dia de hoje. Outros vivem ao contrário. Falam da volta de Jesus, e, no entanto vivem como se Ele nunca fosse voltar. Uns vivem em pânico, outros vivem calmos demais.

Não sei quando Ele vem; a Bíblia não diz dia nem hora. Diz que Ele vem “como ladrão, de noite”. Muita gente ficará surpreso porque O esperam para datas futuras, mas Ele vem.

“O Espírito e noiva dizem: Vem! E quem ouve diga: Vem! E quem tem sede venha; e quem quiser tome de graça da água da vida”. Ele vem!

E qualquer hora que Ele vir, pra mim está bom! Eu quero subir com Ele. Quero deixar tudo o que me fez chorar e contemplar, por toda a eternidade, a formosura do Senhor. Vivo na expectativa de que Ele volta hoje, mas se Ele não voltar, esperarei amanhã com a mesma esperança, até que se cumpra a palavra dEle: “Vinde, benditos de meu Pai, possuí por herança o Reino que vos está preparado desde a fundação do mundo... os justos para a vida eterna”.

Vale a pena esperar...

Ele me Perscruta

A tecnologia evoluiu muito nos últimos anos. Microscópios que aumentam milhares de vezes o tamanho original permitindo ver detalhes de qualquer objeto ou ser; o Google Earth, um programa de computador facilmente manuseado que pode visualizar qualquer lugar do mundo em questão de segundos; equipamentos eletrônicos que podem localizar aparelhos celulares desligados e uma porção de outros apetrechos que torna mais real ainda a idéia de “sorria, você está sendo filmado”.

Tanto avanço me fez pensar em Deus. Não há ninguém me conheça mais que Ele. Cada célula do meu corpo foi objetivamente criada. Com Seu olhar onisciente, Ele tem a capacidade de enxergar não apenas o que esconde a pele do meu corpo, mas a intenção e palavras ainda nem ditas pela minha boca.

Para Ele, nada está encoberto. “De longe entendes o meu pensamento”. Não há lugar em que Ele não esteja; não há época em que Ele não exista; não há futuro em que Ele não seja presente. Toda eternidade para Deus (passado, presente e futuro) é um eterno presente.

Quando reflito em tudo isso, me sinto humilhado, não por ser conhecido por Deus, mas porque, mesmo sabendo que Ele vê todas as coisas, sabe todas as coisas e está em todos os lugares, às vezes tento me esconder dEle, como um menino que mexeu em algo de seu pai. Porque será que a fuga é a primeira idéia que surge à mente quando pecamos? Como Adão, tentamos cobrir nossa vergonha e falar com Deus sem que Ele veja o nosso rosto. Deus nos conhece pela voz e, por ela, sabe dizer quando as coisas não vão bem. Não há como esconder nada de Deus.

Nada foge do controle divino. Ele não impediu o nascimento de Caim; não fechou o útero que acalentaria a Ninrode; não cerrou a madre àquele Faraó que tanto fustigaria os israelitas; não tornou estéril a concepção de Herodes que mataria os inocentes, procurando assassinar o menino Jesus; não frustrou a geração de monstros como Nero, Stálin, Hitler, Mao Tsé-Tung e Pol Pot. Nada disso aconteceu sem que estivesse no controle dEle.

Nossas lágrimas, tristezas, angústias, sofrimentos, decepções, problemas, agruras, adversários, insanidade, aflições, escândalos, fraquezas, incapacidade, impaciência, lutas, nossos piores momentos, tudo está no controle de Deus!

Temos um Deus que nos compreende qualquer que for o caso, nos sonda e nos conhece...

Encontro Marcado

Antes de ser assunto aos céus, Jesus preparara o coração dos discípulos a respeito de sua ida de volta à casa do Pai. Meio confundidos na época, os discípulos não entendiam as palavras de seu Mestre.

Depois de três anos em companhia do Senhor Jesus, presenciando sua morte e sendo testemunhas oculares de sua ressurreição, Ele é coberto por nuvens e seres celestiais aparecem dizendo que o mesmo que foi visto subir será o mesmo que descerá um dia.

O ardor nos corações dos discípulos aumentara ainda mais quando viram que as palavras de Jesus se cumpriam na íntegra quando milagres, maravilhas e sinais se faziam por meio de suas mãos.

A alma das pregações, a conversa dos irmãos, e até as epístolas (principalmente as de Paulo), tudo era sobre a volta de Jesus. É por isso que, por maior que seja a tribulação que passemos aqui na Terra, não podemos perder a esperança de que Ele virá outra vez.

Porque depois de ter passado por tantas provas aqui na Terra, minha esperança não repousa em nada que é terreno. Descanso nas palavras de Jesus.

Talvez se Ele tivesse ido ao céu sem promessa de voltar, tudo bem; é muito glorioso lhe servir de qualquer forma. Se Ele jamais tivesse dito ou deixado qualquer coisa escrita pra mim, mas se soubesse que Ele existe, eu também ficaria feliz. Todavia, Ele fez muito mais que isso, prometeu vir me buscar.

Ele empenha-se em levar-nos ao lar e não delega esta incumbência a ninguém. Ele envia missionários para pregar a você, Ele manda anjos para proteger você, Ele prepara professores para guiar você, Ele usa cantores para inspirar você, mas não manda ninguém pra levar você.

“Eu voltarei e levarei você para casa”. Voltar para casa! Por mais que sejamos previdente em tudo o que terreno, não ficaremos aqui por muito tempo. Nosso inimigo pode nos perseguir até as portas do céu, mas jamais poderá adentrar. Deus não permitirá. Lá, a casa é de Deus. Um lugar de glória indizível onde as riquezas da terra não podem ser comparadas com aquilo que nos espera.

“As coisas que o olho não viu, e o ouvido não ouviu, e não subiram ao coração do homem são as que Deus preparou para os que o amam”. Que será que eu ainda vi? De quê eu ainda não ouvi falar? E o que será que eu jamais desejei?... Meus pensamentos são vencidos de novo.

A eternidade com Deus porá fim de uma vez por todas com as dores dessa terra. Ele virá outra vez aqui...

Alegria na Dor

Por muito tempo relutei em aceitar a idéia de Deus ter planos nos nossos sofrimentos. Achei que fosse bobagem. Imaginei não ser possível tirar algo de bom de misérias.

Porque Deus escolheria um caminho tão árduo? Qual o seu propósito em nos conduzir a desertos tão áridos? Jamais consegui ver luz nessas trevas todas.

Até que li nas Escrituras sobre Israel, o povo escolhido por Deus para ser testemunha eterna de Sua grandeza, misericórdia e amor. Esse povo que, a partir de Abraão, teve uma história repleta de milagres, sacerdotes, profetas, juízes, reis, guerras, vitórias, esteve diversas vezes, por muitos anos, exilado como escravo.

O povo era incontável como a areia do mar, mas quebrou sua aliança com Deus. A aliança que incluía bênçãos do céu, da terra e de todos os lados. A aliança que guardava Israel dos seus inimigos. A aliança que proclamava o amor de Deus por aquele povo, às vezes, tão rebelde.

Cada profeta que houve em Israel não apenas mostrava a condição do povo que desobedecia a Deus, mas expunha também o coração de Deus, um coração que sofria vendo Sua aliança sendo esquecida e aos poucos apagada para sempre das gerações posteriores.

Deus sofria.

Deus sofria porque, apesar de ser Deus, Ele sabia que aquele momento era necessário para Israel entender de vez quem estava no controle. Deus sofria porque, Sua onisciência e onipotência que lhe são exclusivos, permitia-lhe contemplar toda a dor encerrando, levando o povo à cura da idolatria e perversidade para com Deus.

Dos profetas com essa visão, Jeremias é o que mais abre o coração de Deus ao povo. Depois de escrever suas profecias cheias de tristezas e experimentar diversos escárnios, tipificando o próprio Deus, ele detém seu olhar em algo de Deus que jamais terá fim. Sim, algo tão novo e tão intenso, que faz com que Deus jamais desista daqueles que um dia amou e aceitou.

“Suas misericórdias”, disse ele, “não têm fim; novas são a cada manhã”.

Israel desceu ao cativeiro e sofreu vários anos longe de sua terra, mas ao contrário do que muitos pensam, Deus estava com eles todo o tempo. Deus permitiu que muitas coisas horríveis acontecessem com Israel, mas prometeu esperança para sua volta.

Setenta anos depois o povo voltou, edificou a cidade e adorou a Senhor Deus. Como um pai se agracia em ver o filho voltando pra casa, Deus estava feliz de ter seus filhos, muitos filhos em casa, de novo, para sempre...