domingo, 30 de novembro de 2014

Como Ser um Bom Obreiro

“Faze a Obra” (2 Timóteo 4.5)

INTRODUÇÃO

Deus comissionou-nos para fazer a sua Obra. Isso, além de privilégio, é uma grande responsabilidade.

Como Deus nos vê na sua Obra?

Como a Igreja de Deus testemunha sobre nós?

Como nossos líderes podem descrever-nos?

A despeito de sermos obreiros, precisamos ser muito bom em tudo o que fazemos para Deus.
 

I – O BOM OBREIRO ESPERA O TEMPO DE DEUS.

1. Apressar o tempo de Deus traz prejuízos físicos e espirituais.

2. O Tempo de Deus é Perfeito.

3. O Tempo de Deus não traz confusão.
 

II - O BOM OBREIRO PREPARA-SE PARA SERVIR.

 1. Preparo Espiritual.

2. Preparo Teológico.

3. Preparo Emocional.
 

III - O BOM OBREIRO TEM VIDA DE ORAÇÃO.

1. Muita oração, muito poder.

2. Pouca oração, pouco poder.

3. Nenhuma oração, nenhum poder.
 

IV - O BOM OBREIRO TEM UMA BÍBLIA NA MÃO.

1. A Bíblia é a Principal ferramenta do Obreiro.

2. A Bíblia gera autoridade na Vida do Obreiro.

3. A Bíblia é a Fonte de Inspiração do Obreiro.


V - O BOM OBREIRO É ORIGINAL.

1. Bons obreiros são originais.

2. A Originalidade é pré-requisito de Deus para ser um instrumento.

3. A Pirataria na Vida do Obreiro.
 

VI - O BOM OBREIRO É COMPANHEIRO DE SEU LÍDER.

1. O Bom Obreiro incentiva seus Líderes a conquistas maiores.

2. O Bom obreiro precisa de um Líder.

3. Líderes precisam de obreiros companheiros.

 
CONCLUSÃO

O chamado já foi feito. Precisamos atender a expectativa do nosso Deus e de nossos líderes. Qualquer serviço na Obra que não agrade aquEle que nos alistou é reprovável. Pense nisso!

segunda-feira, 27 de outubro de 2014

Igreja Precisa ser Igreja

Que Deus fortaleça o seu povo no Brasil.

Nunca a Igreja expôs-se tanto numa campanha política! Vários pastores foram à mídia e falaram abertamente contra o governo atual. E o governo, quando percebeu que os cristãos estavam inclinados a apoiar um novo presidente, passou a vociferar tons ameaçadores. Com tudo isso, recordo-me do que ouvi nos primeiros dias de vida na Igreja: Jesus está voltando e agora está muito perto!

Que Deus ajude o seu povo no Brasil e no mundo. O total de mortos por sua fé é altíssimo.

Que Deus ajude os pastores brasileiros. Que esqueçam a teologia da prosperidade e outros modismos e encorajem através da Palavra de Deus as ovelhas a não saírem do aprisco.

Que superemos a febre de erguer o Templo de Salomão particular para arrebanhar o maior número de salvos.

Que saiamos às ruas em prol do Evangelho do Reino como fizemos em tempo de campanha. Chegou a hora de falar aos dispersos. As quatro paredes não é mais o lugar da Igreja!

Que assim como nos expusemos com nossas opiniões sobre a política e o que considerávamos ser o melhor para o Brasil, deixemos bem claro sobre o que cremos. Nunca aceitaremos a morte da família tradicional (quando digo isso, refiro-me como Igreja de Cristo, aquela que Ele é a Cabeça).

Que nos esforcemos para convencer as pessoas do amor de Cristo como o fizemos durante a campanha política.

Que nem o tempo nem a geografia nos impeça de pregar o Evangelho como não nos impediu de fazer campanha no processo político.

Que os nossos argumentos sejam fruto de perícia no Evangelho como fomos tão intensamente na campanha eleitoral.

Que sejamos defensores do Evangelho e propagadores de sua ideologia com a mesma garra e dinamismo que fomos no processo político.

Que a Igreja seja mais Igreja, não para provar a sua força, mas para testemunhar de quem é o seu Cabeça e Sustentador: o Senhor Jesus Cristo!

35 Razões para não Pecar

Jim Elliff


1 - Porque um pequeno pecado leva a mais pecados.

2 - Porque o meu pecado evoca a disciplina de Deus.

3 - Porque o tempo gasto no pecado é desperdiçado para sempre.

4 - Porque o meu pecado nunca agrada a Deus; pelo contrário, sempre O entristece.

5 - Porque o meu pecado coloca um fardo imenso sobre os meus líderes espirituais.

6 - Porque, no devido tempo, o meu pecado produz tristeza em meu coração.

7 - Porque estou fazendo o que não devo fazer.

8 - Porque o meu pecado sempre me torna menor do que eu poderia ser.

9 - Porque os outros, incluindo a minha família, sofrem conseqüências por causa do meu pecado.

10 - Porque o meu pecado entristece os santos.

11 - Porque o meu pecado causa regozijo nos inimigos de Deus.

12 - Porque o meu pecado me engana, fazendo-me acreditar que ganhei, quando, na realidade, eu perdi.

13 - Porque o pecado pode impedir que eu me qualifique para a liderança espiritual.

14 - Porque os supostos benefícios de meu pecado nunca superam as conseqüências da desobediência.

15 - Porque o arrepender-me do meu pecado é um processo doloroso, mas eu tenho de arrepender-me.

16 - Porque o pecado é um prazer momentâneo em troca de uma perda eterna.

17 - Porque o meu pecado pode influenciar outros a pecar.

18 - Porque o meu pecado pode impedir que outros conheçam a Cristo.

19 - Porque o pecado menospreza a cruz, sobre a qual Cristo morreu com o objetivo específico de remover o meu pecado.

20 - Porque é impossível pecar e seguir o Espírito Santo, ao mesmo tempo.

21 - Porque Deus escolheu não ouvir as orações daqueles que cedem ao pecado.

22 - Porque o pecado rouba a minha reputação e destrói o meu testemunho.

23 - Porque outros, mais sinceros do que eu, são prejudicados por causa do meu pecado.

24 - Porque todos os habitantes do céu e do inferno testemunharão sobre a tolice deste pecado.

25 - Porque a culpa e o pecado podem afligir minha mente e causar danos ao meu corpo.

26 - Porque o pecado misturado com a adoração torna insípidas as coisas de Deus.

27 - Porque o sofrer por causa do pecado não tem alegria nem recompensa, ao passo que sofrer por causa da justiça tem ambas as coisas.

28 - Porque o meu pecado constitui adultério com o mundo.

29 - Porque, embora perdoado, eu contemplarei novamente o pecado no Tribunal do Juízo, onde a perda e o ganho das recompensas eternas serão aplicados.

30 - Porque eu nunca sei por antecipação quão severa poderá ser a disciplina para o meu pecado.

31 - Porque o meu pecado pode indicar que ainda estou na condição de uma pessoa perdida.

32 - Porque pecar significa não amar a Cristo.

33 - Porque minha indisposição em rejeitar este pecado lhe dá autoridade sobre mim, mais do que estou disposto a acreditar.

34 - Porque o pecado glorifica a Deus somente quando Ele o julga e o transforma em uma coisa útil; nunca porque o pecado é digno em si mesmo.

35 - Porque eu prometi a Deus que Ele seria o Senhor de minha vida.

sexta-feira, 26 de setembro de 2014

Caos Mundial e Arrebatamento

O último censo realizado em Israel trazem o número histórico de que os judeus chegaram a marca de 9 milhões. A maior "aliah" de todos os tempos depois da dispersão do ano 70 d.C. pelo General Tito.
 
Ao mesmo tempo, as investidas contra a nação de Israel continua em ritmo nunca antes visto. O Estado Islâmico empreende guerras em várias cidades.
 
Perseguição aos cristãos estão acontecendo agora em todo o globo terrestre. Até o Brasil considerada por todos o país da liberdade religiosa dá indícios de transformar-se numa Cuba moderna.
 
O cenário político está inflamado! Há uma luta para barrar os cristãos. O IBGE tem dados que mostram que o Brasil cresce 3% ao ano e que os cristãos cresce 6% ao ano. As estatísticas mostram que em 30 ou 40 anos, o Brasil será uma nação evangélica. Grupos internacionais sabem que onde os religiosos governam, eles têm mais dificuldades de incutir suas políticas destruidoras.
 
Essas políticas destruidoras a que me refiro envolve práticas estranhas como masturbação de bebês, modificação da idade para práticas sexuais (a partir dos 12 anos), dia do orgulho gay em todas as cidades brasileiras, instituição do casamento gay em Igrejas Evangélicas e outras mais.
 
Eu estive presente há anos atrás numa audiência pública da Assembléia Legislativa de Rondônia na Marcha contra a Pedofilia. Mesmo sendo um assunto diferente, havia um batalhão de homossexuais que verberavam palavras contra os pastores que estavam presentes ali. Numa fala de um pastor que, usando a Bíblia, defendia o ponto de vista da família tradicional, um homossexual levantou-se e perguntou ao pastor: "Onde fica a sua Igreja? Quando essa lei for aprovada, eu vou casar lá!" O grupo zombeteiro ria em deboche. Triste cena!
 
Relatos como esses me fazem ansiar por uma mudança. Desejo uma mudança na política, na saúde, na segurança pública, na educação e na melhoria da qualidade de vida da população. Mas o que eu mais quero é um avivamento. Impressionante que, biblicamente, isso só acontece quando há um despertamento da nação para buscar ao Senhor.
 
Não sei a origem, mas prometo pesquisar, há um grupo de igrejas brasileiras se preparando para a realização do Dia Nacional do Arrependimento, programado para o dia 4 de outubro, vésperas das eleições 2014. Já vi sérias críticas a esse projeto. Lembro-me de uma mensagem que ouvi há muitos anos atrás, onde o pregador dizia que a Igreja em oração pedia a Deus que fizesse alguma coisa nova, mas que quando Deus começava a fazer coisa nova, um grupo se reunia e exclamava: será que é de Deus?
 
Na maioria das vezes, as tentativas por uma mudança no cenário nacional tem como inimigo a própria Igreja. Não há unanimidade entre nós. Guerreamos contra os nossos próprios soldados. Quando eu vejo a Igreja escolhendo um candidato, existem milhares que se levantam contra. Sinceramente, não vejo com bons olhos tal aliança, mas não sou juiz. Nunca haverá um candidato que agrade cem por cento. Se escolher, fizer eleição, plebiscito, censo ou qualquer coisa parecida, ainda assim, haverá divergências sobre isso ou aquilo. Sou militante da Igreja. Meu apoio é demonstrado através da conscientização. Ministrei durante dois meses (julho e agosto) sobre política como doutrina bíblica social. Senti-me inspirado ao ler as postagens do Pr. Ciro Zibordi, Pr. Altair Germano, Pr. Geremias do Couto. Recebi auxílio para trazer de forma mais didática e atual possível.
 
Quer saber o resultado? Não sei dizer. Não tem como saber. Fiz minha parte. Quero melhoria, mas a liberdade da democracia é a arma de muitos e a unanimidade da Igreja é um milagre raro.
 
Creio na mudança do cenário político nacional. Há evidências de que isso está acontecendo agora mesmo em todos os rincões desse Brasil. Há uma frase da Dra. Damares, assessora jurídica da frente parlamentar evangélica, que reúne senadores, deputados federais e se estende aos estados através dos deputados estaduais, que diz o seguinte: "Já recebemos unção demais, nos tornamos teólogos das mais diferentes correntes, agora precisamos despertar quanto ao social e é na política o primeiro passo". Se eu concordo com ela? Sim! Evangelho que não impacta não é Evangelho! Sobre os pastores se envolverem com a política, penso que eles não deveriam fazer por esta o que não fazem pelo Evangelho! Só isso!
 
Todo o caos que beira a humanidade me deixa com mais expectativas quanto ao arrebatamento da Igreja. Na verdade, eu vejo todos esses acontecimentos como um grito do Senhor, dizendo: "Ei, olhem os sinais!". E vejo que mais pessoas estão ignorando o principal assunto relacionado com a nossa fé.
 
Vigiemos!

sexta-feira, 19 de setembro de 2014

Deus Escolheu Você

Deixe Deus fazer o que tem de ser feito. Não ignore as tempestades que se levantam. Elas fazem parte do pacote.
 
Lembra de Jonas? Ele simplesmente disse que não ia pregar onde Deus enviou-o. O que tem demais alguém rejeitar uma oportunidade para pregar? O que tem demais comprar passagens para ir a outro lugar? Pois é, para Deus tem coisas demais. Você sabe a história. Jonas compra a passagem, desce ao porto, desce ao navio, depois desce ao porão e dorme despreocupadamente. Milhões à beira de uma condenação e Jonas está dormindo.
 
Talvez Jonas pensasse como muitos têm pensado: "Eu não sou a única pessoa do mundo. Se eu não for, Ele enviará outro!" É nossa maior loucura!
 
A correspondência que Deus envia pra você, tem o seu DNA. Só serve você. Só dá pra você. Tem que ser você.  Só vale você. Deus avaliou intelecto, disposição, desprendimento, coragem, audácia, temperamento, personalidade, reação, e adivinha qual foi o nome que se enquadrou ao que Ele queria? Exatamente o seu!
 
Na fuga insana, Jonas é surpreendido pelo olhos daquELe que tudo vê através de uma terrível tempestade. Ele pensava que Deus havia desistido dele. Achava que Deus não o procuraria mais. Nós também agimos assim.
 
Fugimos...
Escondemo-nos...
Burlamos...
Transferimos responsabilidades...
Escusamo-nos...
Apresentamos desculpas...
Queremos justificar nossa irresponsabilidade e desobediência...
 
Pensa que Deus se ressente com seu sermão de desculpas? Ousa achar que Ele errou ao escolher VOCÊ para tamanha empreitada? Acredita mesmo que Ele sente pena quando você diz insistentemente que não pode, que não quer, que não sabe? Esqueceu o que Ele disse ao Moisés medroso que dizia não saber falar? Deus ironicamente lhe perguntou: Quem fez a língua do que fala? Quem fez o mudo? Deus vê a nossa impossibilidade como seu campo de atuação para a realização de milagre e demonstração de seu poder para render-lhe glória.
 
Você pode mudar de cidade...
Você mudar de nome...
Você disfarçar o seu rosto...
Você pode simular afeição...
Você pode envelhecer...
Você pode fugir...
Você pode tentar se esconder...
Mas o que Deus preparou pra você é pra você!
 
Você lembra da tempestade? Ela é o cartão de visita de Deus! É o lembrete de quem está no controle. É o mensageiro de Deus. A tempestade vem antes de Deus. É o seu anunciador. Aconteceu com Jó. Aconteceu com Mefibosete. Aconteceu com Jonas. O caos avizinhava e Deus só contemplava. A tempestade marca a hora de Deus.
 
Deus preparou a tempestade e mandou o peixe. Jonas foi lançado ao mar. A tripulação pediu perdão e ofereceu sacrifício ao Senhor. E quando Jonas pensava que tudo estava perdido, uma criatura marinho o engoliu. É o lugar mais baixo que um homem já desceu. Jonas disse: "Do fundo do inferno gritei".
 
Todas as vezes que sua teimosia ameaçar os propósitos de Deus, Ele enviará a baleia.  Quantas vezes você fugiu e Deus te fez voltar ao seu lugar de origem? Quantas vezes você disse estar na direção e teve de voltar onde tudo começou? Aprenda uma coisa: SÓ DÁ CERTO DO JEITO DE DEUS!
Jonas voltou, a cidade ouviu a pregação e a misericórdia de Deus foi mais uma vez estendida sobre a humanidade.
 
Não questione os rumos que sua está tomando...
Não ouse murmurar contra Deus supondo que algo está errado...
 
Deus tem dois atributos que eu amo chamados de conselho e fidelidade. Quer saber sobre eles?
Conselho é a capacidade divina de incluir todas as coisas, quer sejam boas ou más. Em outras palavras: "Bem sei que tudo podes e nenhum de teus planos podem ser impedido". "Operando Deus, quem impedirá?" Nada atrapalha Deus!
 
Fidelidade é a capacidade de Deus cumprir tudo o que diz. Seu caráter não sofre alteração. Seus planos não são afetados pelo tempo. O que Deus disse que é, é o que Deus disse que é! E ponto final. Deus não precisa explicar melhor o que disse. Deus não usa aposto.
 
Tudo que começou, Ele vai terminar. Deus fazer o que tem de ser feito. Deixe Deus trabalhar. Deixe Deus ser Deus! Confie nEle. Só isso. 
 
Ele sabe o que faz.

sexta-feira, 5 de setembro de 2014

Oração: Uma Conversa Maravilhosa

Na hora do melhor sono, depois de um cansativo dia de trabalho, a meia-noite, o despertador ao lado da cama faz um barulho lembrando de um compromisso diferente. Costumamos usá-lo para despertar-nos para ir ao médico, para ir trabalhar ou qualquer outra coisa. Dessa vez ele toca para lembrar-nos de uma conversa. Isso mesmo. Uma maravilhosa conversa. Você desperta e já se põe de joelhos.

Essa conversa é diferente. Você não precisa escolher as palavras. Elas não impressionam quem vai ouvir. Você não precisa se arrumar. Os olhos do Senhor perscrutam o nosso interior. Você não precisa de cerimônia. Ele é o Pai nosso.

Você só precisa falar. Incrivelmente nessa hora, uma pessoa consoladora se põe ao nosso lado e inspira as nossas palavras, fazendo-nos orar de acordo com a vontade do Pai. Suas palavras saem misturadas as suas lágrimas e uma torrente impossível de compreender jorra de sua boca. A Bíblia chama isso de línguas espirituais. A experiência é tão marcante que a teologia deixa essa parte para uma categoria chamada apofática, a categoria dos mistérios.

A experiência da oração marca a vida de uma Igreja. Particularmente, tenho pedido a Deus que me faça um homem de oração.

Quando propusemos a nossa Igreja transformar esse mês no Setembro de Oração, vi um exército se levantando e confirmando com a cabeça o desejo incubado de orar. A Igreja precisa orar.

Comumente, os pastores tentam resolver as contingências da Igreja através de mecanismos que envolvem intelecto, conhecimento, engenhosidade e auxílio pessoal. Mas louvo a Deus que tem me orientado quanto à oração. Posso contar inúmeros testemunhos de vitória que recebi através da oração.

Um dia, um casal me procurou dizendo que precisava de ajuda. Eu aconselhei-os a orar e que eu os ajudaria quando Deus me desse uma resposta. Fui chamado de negligente pela minha atitude. Seis meses depois, Deus me deu uma orientação para aquele casal e hoje estão super felizes.

Há um ano atrás, uma irmã contou-me sobre uma causa indenizatória na justiça. Na ocasião, orei por ela e disse que continuássemos orando porque Deus lhe daria a vitória. Um mês atrás, ela contou o testemunho da bolada abençoada que recebeu e ainda entregou uma importante contribuição na Igreja.

Quer mais? Eu te conto! Duas irmãs estavam em guerra durante um bom período. Uma delas me procurou com provas de que estava sendo prejudicada. Pediu-me que fizesse algo, que conversasse com a outra parte. Com um calhamaço de papel nas mãos, eu lhe disse: Vamos orar! Dois meses depois, Deus promoveu um encontro num lugar bem improvisado, as duas conversaram e agora estão em paz.

Duas semanas atrás, estava com um grande desafio frente a Igreja que pastoreio. Cheguei no Culto de Ensino e pedi à Igreja que, ao invés de ministrar o ensino, orássemos. Naquela mesma semana recebemos uma resposta.

Meu conselho? Ore!

Quando tudo mostrar-se perdido, ore.
Quando lhe faltar auxílio, ore.
Quando lhe faltar coragem, ore.
Quando lhe faltar alegria, ore.

Qualquer que for o momento, sempre será tempo de oração.

O Tempo da Oração

Já me instigaram sobre o tempo de oração do propósito que firmamos com a nossa Congregação. Só 15 minutos? É muito pouco!

Tudo bem, eu também acho que é muito pouco. Mas, se você tivesse uma oportunidade de estar cara a cara com Deus, certamente consideraria cada segundo. Minha proposta é essa. Valorize os quinze minutos. Imagina o impacto na Igreja quando 20, 30, 40 ou 50 irmãos, na mesma hora, começam a orar por propósitos comuns? Tenho ouvido que famílias inteiras estão s...e levantando à meia-noite para orar esses quinze minutos. Minha filhinha de três anos e oito meses estava ao meu lado orando essa noite.

Não olhe o tempo da oração.

 Não diminua o tempo da oração.

E se conseguirmos mesmo orar esses quinze minutos, talvez seja a primeira vez que oramos de verdade. Na maioria das vezes os crentes dobram os seus joelhos, eles ficam viajando em divagações. Experimente orar quinze minutos.

Experimente!

quinta-feira, 28 de agosto de 2014

Apenas Cristão

Foi-se o tempo que os seguidores de Cristo se identificavam com cristãos. Eles passaram a denominar-se assembleianos, presbiterianos, batistas, metidistas, universais, mundiais, internacionais. A placa da Igreja tornou-se mais importante que o Reino de Deus. A Cristandade pariu o denominacionalismo. A visão de Reino foi substituída pela visão de território. O mundo todo foi transformado num simples tapete onde eu me aquento e me sinto bem.

Seja Servo

O pastor tornou-se apóstolo.
O apóstolo tornou-se patriarca.
O patriarca agora pode ser consagrado a rei.

"e qualquer que entre vós quiser ser o primeiro, será vosso servo..." (Mateus 20.27).

Viva a Igreja!

Vi uma polêmica gerada em torno de umas fotos que mostravam as salas destinadas às crianças em uma Igreja. Fiquei a pensar por horas e me recordei de quando eu era criança.

Lembrei de quando eu tinha sete anos e ia ao Círculo de Oração das Crianças, aos sábados, na época dirigido pela irmã Nilda, filha da irmã Rosa. Perdi a conta das vezes que aceitei Jesus e ainda chegava em casa testemunhando.
...
Na hora do culto, saíamos em fila, parávamos num comércio, trocávamos o dinheiro em moedas, para poder ofertar na Igreja, o que me fez ser um ofertante da Casa do Pai. Sinto prazer em dar ofertas. Muitas vezes dormi ao lado de minha avó ou da minha mãe, no banco mesmo, com a cabeça repousando ao seu lado. Um olhar de minha mãe era suficiente para eu me aquietar.

Assistia a cultos inteiros sem sair do lugar, não havia um lugar reservado para as crianças, nem ao menos cadeiras pequenas que melhor nos acomodasse. Era nos dado um microfone e não uma televisão. Cantávamos de verdade e não apenas fazíamos gestos.

Hoje escolhemos Igrejas pelas dependências. Banheiros, estacionamento, sala infantil e etc. Num grande congresso nos Estados Unidos, um pastor prometeu revelar o segredo para o crescimento de uma Igreja. Todos ficaram empolgados. Ele simplesmente disse: "Construam banheiros e estacionamento". Aí, sabe o que eu vejo hoje? Banheiros luxuosos, estacionamento coberto e com segurança, salas equipadas com o que existe de mais moderno, Igrejas que mais parecem cartões postais, mas que tornaram-se frias, onde tudo é permitido.

Estava na casa de um amigo esses dias quando um de seus convidados disse algo que me fez refletir: "Não adianta a Igreja ter tudo em seu interior, e faltar o Espírito Santo na vida de seus membros". Isso é uma grande verdade. Templos megalômanos envaidecem os seus frequentadores.

Sei que muita gente pode até discordar do que escrevo, mas a verdade é que a febre de construir o templo de Salomão atacou a maioria dos líderes de Igreja. Um gaba-se de ter um templo com equipamentos que só existem lá. Outro, de ter capacidade para abrigar sessenta mil pessoas. Outro chega a ter visões que o templo físico subirá no arrebatamento. É o delírio de ter a melhor e maior Igreja.

Dirá o leitor que estou falando do que eu mesmo não vivo. Eu diria: "Amo cuidar da Igreja, amo a Igreja. Não tem como eu lhe mostrar ou provar o tempo que gasto para preparar um sermão ou produzir um série de estudos para Igreja onde sou pastor. Você não sabe o tamanho do apelo que faço para os irmãos congreguem mais, orem mais, jejuem mais e leiam mais a Bíblia. Procuro ser o mais didático possível nas ministrações, mas sinto que nesses últimos anos, a alegria do Espírito e sua visitação à Igreja tornou-se algo reservado às visitas de conferencistas e pregadores animadores".

Eu oro por uma grande mudança na Igreja.

Oro para que o Espírito Santo sopre como na época em que eu era criança.

Oro para ver de novo o hoje tão raro batismo com Espírito Santo.

Oro para que os candidatos ao batismo nas águas sejam também candidatos ao céu através de discipulado bíblico.

Oro para que a cura divina aconteça através de uma simples oração feita em nome de Jesus.

Oro para que o ministério seja servo da Igreja e não cabide de homens elitizados e blindados.

Oro para que o altar seja o local onde se assentam os príncipes de Deus e não onde exibem as roupas de marcas.

Oro para que a vestimenta chame menos atenção do que o sermão.

Oro para que a retórica seja menos louvada do que a graça gerada por momentos de oração.

Oro para que os pequenos anseiem buscar a Deus através de louvor e leitura da Palavra de Deus.

Oro para que nossos cultos sejam ao Senhor e não a nós.

Viva a Igreja!

sexta-feira, 22 de agosto de 2014

Alguns conselhos aos novos Ministros do Evangelho:

☆ Encare o ministério com um presente de Deus. Não negocie-o, não barganhe com ele, nem o use como meio de alcançar privilégios.

☆ Honre o Ministério. Milhares gostariam de ser ministros, mas essa honra é concedida apenas aos vocacionados.

☆ Cultive a humildade ministerial. Ser ministro não é o topo. Não precisa lembrar ninguém de que você agora o é. Seja você mesmo.

☆ Celebre o Ministério. Não precisa fechar a cara pra mostrar que é um homem sério. Seja alegre como sinal de gratidão a Deus por tão grande honra.

☆ Exerça o Ministério de acordo com a Bíblia. A vaidade é sedutora, as Escrituras são o remédio preventivo. Mantenha-a no peito para controlar as emoções, na cabeça pra orientar a razão, nas mãos como espada do Espírito, nos pés como luz para o seu caminho.

☆ Regue o Ministério com muita oração. A maioria dos ministros não oram. Oravam antes, agora não mais. Lembre-se: pastores mantém-se em pé quando estão de joelhos.

☆ Concilie a família e o Ministério. Seu bem mais precioso é a sua família. Só a família te dará um ministério bem-sucedido. O testemunho mais poderoso do ministério vem da família.

☆ Seja obediente ao Ministério. Seja prestativo, dedicado e fiel aos seus líderes. A obediência faz um homem honrado.

☆ Seja um ministro responsável. Não rejeite oportunidades e trabalhos. Veja os desafios como chance de exercer melhor o ministério. Não abandone nenhum trabalho antes de agradar aquele que o alistou.

☆ Jamais pense em negar o ministério. Você é muito mais que uma credencial ou diploma. Não negue seu ministério seja por uma aventura, um favor, um privilégio, um status ou coisa semelhante. Um dia, estaremos diante do sumo-pastor. Não volte atrás, não desanime, não murmure, não perca a esperança.

As Três Fases do Ministério

"E entrando na casa, viram o menino com Maria sua mãe e, prostrando-se, o adoraram; e abrindo os seus tesouros, ofertaram-lhe dádivas: ouro, incenso e mirra" (Mateus 2.11).

Baseado nesse testo bíblico, aprendemos as três fases do ministério:

Primeira fase - a fase do ouro.
Nessa fase, o ministro valoriza o ministério, luta e se empenha para fazer o melhor para Deus. O ouro é valioso.

Segunda fase - a fase do incenso.
Nessa fase, o ministro dedica-se mais a oração pois o primeiro amor pode ter diminuído. A oração transforma-se num recurso poderoso.

Terceira fase - a fase da mirra.
Nessa fase, o ministro valoriza as provas ministeriais e torna-se mais maduro e experiente. As adversidades do ministério já não impede de prosseguir. Diz-se que a mirra é extraída a base de surra. Literalmente a árvore é surrada. O sabor é amargo, mas o cheiro é maravilhoso e impregna profundamente onde toca.

Que Deus abençoe todos os nossos novos ministros.

As Três Faces de um Ministro

Ano passado, na Convenção Estadual de Ministros das AD's Madureira de Rondônia, realizado em Ji-Paraná, tivemos a presença do Pr. Amarildo, presidente da Convenção do Tocantins e membro da CONAMAD.

Naquela oportunidade, a tarde, ele ministrou uma palavra que eu guardei comigo e já fiz menção várias vezes.

Escrevo abaixo aquilo que pude absorver daquele maravilhoso estudo.

--------------------

Jacó foi um homem extraordinário. Teve uma vida pacata e aparentemente sem propósitos definidos. Bem articulado e engenhoso, Jacó viveu várias faces. Isso mesmo, Jacó mudava de rosto diante das situações.

Primeira face - Eu sou Esaú.
"Respondeu Jacó a seu pai: Eu sou Esaú, teu primogênito" (Gênesis 27.19). É a face que o obreiro mostra querendo ser o que não é.

Essa face é perigosa pois a soberba, a vaidade, a auto-promoção ditam as regras. O obreiro tentará de tudo para sustentar uma imagem do que não é.

Segunda face - Eu sou Jacó
"Perguntou-lhe, pois: Qual é o teu nome? E ele respondeu: Jacó" (Gênesis 32.27). É a face que o obreiro mostra quando aceita o que todo mundo diz sobre ele.

Esta face revela o desinteresse por crescimento e mudanças. O ministério fica estagnado. O obreiro vive o eco de tudo o que lhe dizem.

Terceira face - Eu sou Israel
"E disse-lhe Deus: O teu nome é Jacó; não te chamarás mais Jacó, mas Israel será o teu nome. Chamou-lhe Israel" (Gênesis 35.10). É a face que o obreiro mostra quando aceita a vontade de Deus pra a a sua vida.

Esta face é maravilhosa, pois o melhor de fazer a Obra de Deus é poder enxergá-lo como amigo e ajudador. A face sincera agrada a Deus.

Ministério: Um Presente com Aliança

Esse título define, ou pelo menos tenta definir o que é ministério. Um presente com aliança.

Sabe porque? Porque considero errado quando alguém diz: "o meu ministério". Quem somos nós para sermos proprietários de algum ministério? Mas alguns acham-se donos, isso mesmo, consideram o ministério uma patente conquistada. Posso dar-lhes uma notícia? Você não é dono de nada. Exercemos o ministério por graça. É um favor que alcançamos de Deus.

Mas eu comecei dizendo que o ministério é um presente com aliança porque um dia prestaremos contas com quem nos presenteou. Por isso, escrevo abaixo algumas considerações sobre como lidar com um presente que não é seu:

1) Jamais caia no erro de achar que o ministério é propriedade sua. Quando você considera-o seu, Deus tira a sua parte.

2) Zele do presente que o Senhor que confiou. Na parábola dos talentos, o que menos recebeu ficou com um. E sabe quanto aquele um só valia? Mais ou menos R$ 1,5 milhões de reais.

3) Nunca considere pequeno o que o Senhor lhe confiou. A Bíblia diz que as intimidades do Senhor são para aqueles que confiam nEle. Se você exerce o ministério, louve ao Senhor. Já é muita coisa.

4) Dê o seu melhor no exercício do ministério. Trabalhos pela metade não são recompensados. Esforce-se para agradar a Deus.

5) Invista no ministério que o Senhor lhe confiou. Conheço vários ministros que quando alcançaram essa graça, pararam de estudar, de ler, de pesquisar. Seus sermões são repetecos da Internet ou dos pastores da televisão. Investir é correr atrás de algo novo, é estar atualizado. Teologia é uma ciência dinâmica.

6) Não tente apressar Deus. Deus é paciente. Está acima do tempo, mas trabalha dentro dele. Deixe as coisas acontecerem dentro do estratagema de Deus. O que está reservado pra você é só pra você.

7) Tenha uma consciência de servo. Não existe grande servo. Ou é servo ou é grande. No grego, ministro é "huperetes" que significa mais ou menos "remador da parte de baixo". Febre de grandeza não combina com os autênticos servos de Deus.

8) Seja sério no exercício do ministério. Desonestidade, mentiras, falcatruas, escândalos, brincadeirinhas espirituais como imitar línguas espirituais e fingir estar profetizando, devem ser evitados pelo ministro de Deus.

9) Desperte a consciência ministerial nos outros. A Igreja reconhece quando o ministro vive uma vida cristã piedosa. O fato de hoje termos menos candidatos ao ministério, é exatamente porque os potenciais ministros já não enxergam nada de Deus em nós. Misericórdia, Senhor!

10) Não espere recompensas aqui. Meu avô tem 84 anos de idade e ele sempre me diz uma grande verdade: "Quem já recebeu recompensas aqui, engana-se se pensa em receber alguma coisa lá". Por vezes seremos os mais requisitados, outras seremos esquecidos. Tudo isso é para a Glória de Deus.

Ministério é Coisa Séria

Sempre encarei a vida cristã com muita simplicidade. É realmente muito simples ser cristão. O próprio Jesus nos intima a simplicidade. Ele disse: "sejam simples".

Mas paralela à simplicidade da vida cristã está a seriedade da mesma. Ser cristão é coisa séria. E o ministério também, ou melhor, mais ainda.

Os recentes escândalos envolvendo ministros colocam em cheque a seriedade da Obra de Deus. Há muitos que já não respeitam nem valorizam esse valioso trabalho para o Mestre.

Por isso, precisamos ser os agentes de mudança que essa geração precisa. Não é que vamos copiar o modelo dos incautos. É triste ver pastores serem acusados de pedofilia, assédio, adultério, estelionato, tráfico de drogas, armas e influência.

Recentemente li uma matéria sobre um pastor, pregador do evangelho, realizador de milagres que candidatou-se a um cargo político e muita coisa veio à tona. A declaração de bens junto ao TSE listava um patrimônio milionário que ia desde mansões a iates em São Paulo. Ele pregava uma vida simples e desapegada. Resultado: a Igreja não o via com os mesmos olhos. Ele saiu do Ministério e "abriu" outro.

Quero deixar claro que não considero erro um pastor ser abastado, desde que seja de forma lícita e transparente. Foi o que aconteceu com o testemunho acima. Ele passava uma imagem de que "vivia do evangelho", mas não era um viver sério.

Especialmente aos ministros, seriedade é a única forma de encarar o ministério. "O que deseja o episcopado, excelente obra deseja", diz-nos a Bíblia. Isso é sério, muito sério.

Costumo dizer que podemos herdar o céu sem termos feitos absolutamente nada na Obra de Deus, mas podemos ir para o inferno se fizermos a Obra relaxadamente. O profeta Jeremias disse: "Maldito aquele que fizer a Obra relaxadamente".

Aos obreiros que sonham com o ministério, fazer diferente é imperativo. Deixo algumas palavras que tem sido a minha inspiração para continuar fazendo a Obra de Deus:

1) Não se venda a um padrão pré-estabelecido. Aproveite a oportunidade para trazer vinho novo à Igreja e ao ministério. Não é preciso inovar. Ore, peça orientação de Deus. Ele é o dono da Obra.

2) Respeite o trabalho dos que vieram antes de você, mas não repita os mesmos erros. Não é necessário destruir tudo o que já foi construído. Dê continuidade. Evite os mesmos erros. Escute os mais antigos. A Bíblia diz que "os jovens terão visões e os velhos sonharão sonhos". Eles sonham com uma Igreja avivada, que ora e que é espiritual.

3) Não seja negligente com a Obra de Deus. Não abandone o rebanho por qualquer coisa. Congregue com suas ovelhas. Já parou pra pensar o que Jesus queria nos ensinar quando disse: "Eu sou a porta"? Os apriscos antigamente eram feitos basicamente de um cercado sem porta. Depois que as ovelhas entravam, o pastor sentava-se à porta. Nenhuma ovelha saía e nenhum lobo entrava. Um lindo ensino sobre a diligência, vigilância e assistência que o pastor deve ter para com a Obra de Deus.

4) Se vai cuidar do rebanho, "cuide" do rebanho. Recentemente vi um pastor lamentar com pesar sobre um irmão que lhe procurou por volta de 1h da madrugada. Ele o recebeu com desgosto e antes que a ovelha lhe falasse, ele recomendou que o irmão voltasse pela manhã que eles conversariam com mais tranquilidade. O irmão foi embora e antes que o sol aparecesse, uma outra irmã bateu à porta do pastor. Em prantos, ela lhe disse: "Meu irmão, pastor, meu irmão, se matou de madrugada!" O irmão daquela havia procurado o pastor, mas foi dispensado por causa do horário. A Obra de Deus é cuidar de vidas. Não dispense ninguém, nem desligue o seu telefone. Uma vida desesperada pode te chamar do outro lado. Pense nisso!

5) Independente da retribuição que receber, trabalhe com alegria. Os dias de hoje são ingratos. A ingratidão ronda até mesmo as ovelhas. Elas se esquecerão de tudo o que você fez. Seu empenho, garra, vontade, intrepidez e até mesmo suas pregações inflamadas serão esquecidos rapidamente, em nós tempo do que você imagina. Mas não permita que isso te faça perder a alegria de fazer a Obra do Mestre. "Não desfaleçam as vossas mãos, pois no Senhor, a Obra tem uma recompensa".

A Construçao não Pára

Nossa construção na Congregação Monte Moriá entra agora numa nova fase. A alvenaria e cobertura já estão prontas, agora vem a parte mais cara.

A generosidade dos irmãos é maravilhosa de se ver, mas quero com muita alegria rogar a todos os que puderem que contribuam com o que tiverem. Precisamos

☆ 7 metros de areia fina para reboco (R$ 270,00);
☆ 30 sacos de cimento (R$ 960,00);
☆ 180 metros de forro pvc (R$ 1.962,00);
☆ 74 barras de metalon (R$ 1.980,00);
☆ 190 metros de cerâmica (R$ 2.850,00);
☆ 3 latas de tinta acrílica semi brilho (R$ 540,00).

Talvez o leitor dirá: "Está querendo demais!" E eu digo: "não, não estou". Estamos preparando um ambiente para atendimento pastoral que é uma necessidade de qualquer um que quiser conversar particular, sem intromissões nem abelhudos. Teremos uma sala para gerência da Igreja, que atenda com segurança os contribuintes. Teremos uma sala de 40 metros quadrados para as nossas crianças. Enquanto os pais estão na Congregação, essas crianças receberão instrução de quatro equipes especializadas para falar em linguagem inteligível a elas. A sala será equipada com TV, home theater, brinquedos e móveis adaptados. Ainda teremos um espaço para eventos sociais de 100 metros quadrados com mesas e cadeiras, com cozinha americana equipada com freezer e fogão industrial.

Qualquer ajuda será bem-vinda. Que Deus te abençoe!

sábado, 5 de julho de 2014

Homenagem ao Pr. Francisco Gonçalves

A eternidade chegou para mais um guerreiro do Senhor: Pr. Francisco Gonçalves.

Tive a oportunidade de conhecê-lo em novembro de 2002 quando mudei-me para a Igreja onde ele congregava. Sempre o admirei pois a firmeza de seu caráter foi sua principal marca. Nunca encontrei alguém que dissesse algo contra ele. Era um humilde servo de Deus, um autêntico evangelista. Muitas vezes eu quis saber como conseguia arrebanhar tantas almas com suas mensagens.

A lembrança que fica na minha memória é de que todas as vezes que nos encontrávamos, eu recebia um caloroso abraço e ouvia-o chamar-me de Timóteo.

Sua partida deixa um enorme vazio em nosso Ministério. Já vi o nosso Pastor Presidente Sebastiao Valadares louvá-lo por seu equilíbrio e maturidade.

Que Deus conforte sua família - sua esposa, seus filhos, suas filhas, genros e noras. Nossa comoção não se compara com a festa que está acontecendo na eternidade.

Série de Estudos Bíblicos

Com a graça de Deus, daremos início a mais uma série de estudos na Congregação Monte Moriá. A proposta é trabalhar a temática "Política - Uma Doutrina Bíblica Social" durante as quartas-feiras de Julho e Agosto, sempre de 19:15h às 20:15h.

Abrindo o leque de exposições, abordaremos os seguintes temas:

☆ Política - Definições
☆ A Soberania do Governo de Deus
☆ Modelos Políticos aprovados
☆ Experimentando um Avivamento Político
☆ O Cristão e a Cidadania
☆ Implicações do Voto Consciente
☆ O Impacto do Cristianismo na Política
☆ Tendências da Política Brasileira
☆ Leis que Desafiam as Atividades da Igreja

Ore intercedendo, divulgue compartilhando e participe congregando.

Um Ano na Congregação Monte Moriá

Confesso que foi um choque pra mim. Tínhamos acabado se realizar a Confraternização do Departamento Infantil na Congregação. Era uma terça-feira, 9h da manhã quando o nosso Presidente me ligou pedindo minha presença em seu gabinete às 14h. Meu coração congelou. Fiquei apreensivo. Será que errei em algo? Dirigi-me pra lá no horário marcado.

Quando cheguei lá, falei-lhe como estava apreensivo com a sua ligação. E ele serenamente disse-me: "Precisamos de você em outra congregação!" Meu chão sumiu. Estava na minha experiência como dirigente a 2 anos e 5 meses. Tinha muitos planos a executar. Mas, como não estou aqui para fazer a minha vontade, respondi-lhe positivamente.

Naquela mesma noite fui empossado como Dirigente da Congregação Monte Moriá no Templo Central, na quarta-feira na própria Congregação e despedi-me da antiga na sexta-feira. Que semana foi aquela! Muitas vezes parava o carro em frente a antiga congregação e só olhava. Já não era mais de lá, mas o coração lembrava-me sempre: "Essa foi a primeira igreja que você pastoreou!" Chorei muitas vezes...

Na primeira semana foi a Ceia do Senhor na nova Igreja. Foi maravilhosa. Olhares apreensivos. Futuros amigos. Limpamos a congregação com um batalhão. Lavamos cadeiras, paredes, centrais, ventiladores, janelas, portas. Foi muito trabalho naquele dia. Mas a Igreja nova tinha um diferencial: fazem festa por qualquer coisa. Alegrava-me ver tanto entusiasmo ao fazer alguma coisa na Igreja.

Nesse primeiro ano, vencemos grandes desafios, deles não quero nem citar, mas as conquistas, não vou economizar palavras. Em cinquenta dias começamos a trabalhar na restauração dos banheiros. Subimos o nível, trocamos as louças, colocamos piso, fizemos hidráulica nova, fizemos outra encanação para eliminação dos resíduos, colocamos uma pia, espelhos, iluminação, grafiamos e pintamos.

Ao mesmo tempo começamos uma construção para três salas: gabinete pastoral, administração e culto infantil. A construção tem 77m2 e está a pleno vapor. Fizemos uma calçada na frente da congregação, iluminamos a parte externa. Dentro da Igreja construímos um painel de madeira no altar, iluminamos com lâmpadas quentes e um lustre, melhoramos o nosso som com uma mesa nova, monitores ativos e sete microfones. Todos os instrumentos da Igreja foram substituídos por novos. Contrabaixo, guitarra, bateria e caixas independentes para cada um. Adquirimos cem cadeiras novas.

Construímos em cinco dias um novo altar mais moderno com porcelanato e pastilhas de vidro. Todos os cabos de som, microfones e energia são imbutidos dando um aspecto clean aos olhos.

Pintamos a Igreja por dentro com uma barra grafeada e revitalizamos toda a parte elétrica, centralizamos o controle de equipamentos elétricos e a cabine de som ficou na parte da frente da nave.

Conquistamos muita coisa, perdemos outras. Já ministramos no Culto de Ensino sobre "Caráter Cristão" (5 cultos), "Cartas do Apocalipse" (17 cultos), "Crescimento Espiritual" (5 cultos), "O Poder da Verdade" (5 cultos), "Economia do Lar" (3 cultos) e agora começamos a ministrar sobre "Política, uma Doutrina Bíblica Social" (9 cultos). Do púlpito da Congregação Monte Moriá já ministrei 74 vezes. Realizo-me ao refletir sobre Deus ter-me escolhido para apascentar uma Igreja tão abençoada.

Se o Senhor confirmar nossa permanência nessa Igreja para mais tempo, temos muitos projetos. A conclusão das salas, uma nova fachada para o templo, o restante das cadeiras, novos banheiros, etc.

Agradecemos a todos os contribuintes que fizeram com que nossa renda mensal triplicasse em relação ao que era quando assumimos. Que Deus recompense a cada um.

Concluo essa palavra com uma frase que ouvi há anos de um missionário na Índia: "A obra de Deus, feita segundo a vontade de Deus, jamais terá falta dos recursos de Deus".

Que Deus nos abençoe!

quinta-feira, 12 de junho de 2014

Pastores de Verdade

Recebi muitas homenagens, presentes, ligações e mensagens por ocasião do Dia do Pastor, comemorado no segundo domingo de junho. Até aí, tudo bem. Mas o que me deixou bastante pensativo foi uma que recebi de um camarada que não está na minha lista de amigos do Facebook.

Pelo que ele postou, todo pastor ganha rios de dinheiro e enriquece às custas dos fiéis. Pobre miserável! Que mente pequena!

Ele não sabe que a MAIORIA dos pastores:
☆ Não tem sequer ajuda de custo.
☆ Não tem casa própria.
☆ Não tem carro.
☆ Não tem plano de saúde.
☆ Não recolhe INSS.
☆ Não tem nenhum tipo de regalia.
☆ Não tira férias.
☆ Não tem um momento a sós com a família.
☆ Não tem privacidade.
☆ Não tem carteirinha de nenhum clube para um final de semana de lazer.

Ele não sabe que a MAIORIA dos pastores:
☆ Tem suas noites interrompidas pois tem de mostrar prontidão cada vez que o telefone toca.
☆ Tem de ter presentes em cada aniversário, pois se der pra um e outro não receber, já achou uma briga.
☆ Tem que ser conselheiro dos mais diversificados assuntos, desde alcoolismo, drogas, violência doméstica, adultério, prostituição, contendas, criação de filhos, etc.
☆ Tem de ter sempre uma reserva de dinheiro para socorrer um irmão cada vez que precisar.
☆ Tem de ter toda a paciência do mundo para ouvir as pessoas depois do culto, falando de todos os detalhes até altas horas.
☆ Tem de ter a Igreja com seus equipamentos funcionando sempre, pois alguém pode falar do pastor se alguma coisa der errado.

Para nós (acredito que falo pela maioria dos pastores), não há maior recompensa do que:
☆ Ver a Igreja edificada, coma sã doutrina entronizada e Cristo ser glorificado em todos os aspectos.
☆ Ver um casamento salvo por uma orientação bíblica.
☆ Ver as pessoas se renderem a Cristo e recebê-lo como único e suficiente Salvador.
☆ Despertar a fidelidade nos irmãos pelo exemplo que ele mesmo é para com Deus e a sua Igreja.
☆ Ver uma ovelha chorar após uma longa conversa e perceber a mudança gerada por meio da verdade dos seus lábios.
☆ Ver que sua liderança é bem vista por saber que as ovelhas admiram sua seriedade e compromisso com a Obra de Deus.

Sabe porque esses tolos zombam dos pastores? Por causa dos péssimos exemplos que temos nos dias de hoje. Infelizmente, notícia ruim se espalha com grande velocidade. A manchete do pastor que estuprou, que adulterou com a irmã da Igreja, que abusou de crianças, que desviou o dinheiro dos irmãos, mancha a honra dos levam o ministério a sério.

Ninguém sabe que os pastores de verdade
☆ Oram pela vida das suas ovelhas.
☆ Tem um tempo de meditação diária das Escrituras para poder ter o que dar às ovelhas.
☆ Visitam regularmente o seu rebanho e conhecem de perto suas necessidades.
☆ Mantém-se atentos 24 horas, pois qualquer deslize ou falha, seriam alvos de duras penas.

Mas, sabe de uma coisa? A maioria deles está disposta a dar a própria vida pelo rebanho. Sente-se honrados por ajudar o Sumo Pastor nos cuidados com o rebanho. Eles velam por nossas almas.

Você conhece alguém que traga tanta divergência sobre ele mesmo? Para alguns:
☆ Se ele pregar pouco tempo, não prega nada. Se pregar muito tempo, não precisa disso.
☆ Se anda arrumado, está sugando a Igreja. Se não se arruma, é mulambento.
☆ Se gosta de orar, é fanático. Se não gosta, é carnal.
☆ Se congrega muito, é formiguinha de igreja. Se não congrega, não está nem aí pra Igreja.

E por aí vai.

Nos Estados Unidos, eles são convidados para posses de presidentes da nação e alguns são conselheiros de presidentes há décadas como Billy Graham, Max Lucado e Rick Warren. No Brasil, eles são ridicularizados pelos chefes de Estado e são incentivados em visitar ou realizar trabalhos em presídios.

Mas nossa chamada não está no apoio que não recebemos aqui, e nem mesmo as zombarias e críticas nos farão parar. Há um grupo, pequeno, que não se renderá às paixões e corrupção deste mundo e que serão recebidos na eternidade com aplausos.

Acha utópico o que escrevo? Experimente entrar nas milhares de linhas, glebas e distritos espalhados por esse nosso Brasil. Visite os ribeirinhos, passe uma semana com eles nos municípios pobres e conhecerá heróis de verdade. Homens dos quais o mundo não é digno.

Essa é a minha homenagem a todos os verdadeiros pastores.

O Perigo da Subida

A subida é sempre emocionante. Traz uma sensação de conquista, de novas possibilidades e de superação. Mas, cada degrau deve ser lembrado sempre como o primeiro. Mesmo tendo chegado ao topo, foi necessário o primeiro passo para chegar em cima. Sentir super pra cima e de bem estar com todos é bom para a alma e o espírito.

Lembre-se sempre daqueles que não chegaram onde você está e interceda por eles em orações para que entendam a ajuda divina como você entendeu.

Não esqueça que a descida é mais perigosa que a subida. O possível desequilíbrio pode ser trágico. Infelizmente isso acontece com muita gente. Quando estão buscando algo recorrem a todos os que podem ajudar, mas, ao subir o pódio, a instabilidade fruto da vanglória, exaltação, soberba e vaidade ameaçam a segurança da subida.

Quantos você conhece que no princípio eram homens e mulheres de oração? Quantos que eram delicadíssimos a piedade cristã? Quantos que fizeram bem mais em tribulação do que em tempos de abundância?

Quando Salomão diz que o fim é melhor do que o princípio, ele tinha em mente que o fim revela o que sempre fomos. A princípio camuflamos como um camaleão, simulamos como uma serpente e encantamos como um inocente, mas as alturas revelam quem somos. Olhar os outros por sobre os ombros parece nos fazer felizes.

Há uma lei na física que diz que tudo o que sobe, desce. Ouvi o testemunho de um grande pregador que no auge de seu ministério, ao tentar sem sucesso expulsar os demônios de uma mulher, desesperado disse: "Se não queres sair dela, entrem em mim". Seguido de um silêncio por todos que o viam cansado, ouviu-se a horripilante ameaça dos demônios: "Vou entrar sim, mas não entrarei agora. Primeiro vou acabar com a sua família. Depois riscarei seu nome da mente das Igrejas. Seu conhecimento será esquecido e o levarei para as ruas. Comerás lixo". Em pouco tempo, vi aquele nas ruas de uma famosa capital brasileira, maltrapilho e comendo lixo.

Martin Luther disse que o Diabo é míope. Salomão escreveu que ele anda a caça de coisa preciosa. Daí a necessidade de manter-se sempre quebrantado e humilde. Mostrar para os possíveis perigos que suas conquistas são fruto de seu relacionamento com Deus. Aí não tem espaço para essas instabilidades.

Por isso, aí vão alguns conselhos:

☆ Mantenha uma vida de oração. Oração gera dependência. Dependa de Deus.
☆ Fuja de toda forma de corrupção. Do troco errado ao dinheiro achado. Viva em honestidade sempre.
☆ Desenvolva princípios inquebráveis. Não negocie com sua consciência. Sustente seu caráter sob qualquer prova.
☆ Conquiste amigos. Nada pior que uma comemoração sozinho. Cultive longas amizades. Telefone para eles. Apareça inesperadamente. Presenteie sem razão.
☆ Leia as Escrituras sempre. Ela está cheia de exemplos para nós.

Sucesso!

Congregação Monte Moriá

Quero louvar a Deus em gratidão pela vida de cada irmão da Congregação Monte Moriá onde tenho me realizado como pastor e exercido o ministério que o Senhor me confiou. Após um dia cheio de atividades, reunião pela manhã, manutenção do templo a tarde e culto a noite, ainda fui surpreendido com uma homenagem pra lá de especial na casa de um presbítero.

Ser homenageado gera em mim uma sensibilidade aguçada de que meu compromisso é maior do que eu posso realizar e que só tenho conseguido cumpri-lo até aqui, foi porque a mão de Deus está sobre mim.

Sinto um medo devorador quando sou homenageado porque homenagens são sinais de aprovação e que, se não for homenageado, pode haver reprovação, insatisfação, indiferença e pressa por uma mudança.

Mesmo não sendo político ou candidato a cargo político, prometo honrá-los com a minha vida e os dons que Deus me confiou. Vou esforçar-me para conduzi-los a pastos verdejantes, a águas tranquilas. Espreitarei o perigo iminente. Proteger-lhes-ei do lobo voraz. Falarei sempre a verdade. Fugirei da corrupção que grassa o ministério e abrirei os meus ouvidos para entregar-lhes o que Deus me disser.

Não sou o pastor que a Igreja sonha em ter, mas com certeza, vocês são o sonho de todo pastor.

Te amo, Congregação Monte Moriá!

Faça algo Novo

Se o pregador pregar a mesma mensagem para o mesmo público duas vezes, o povo falta morrer. Agora, os que ministram louvor podem cantar o mesmo hino duzentas vezes e mesmo assim, querem que a Igreja seja arrebatada. Cantai ao Senhor um cântico novo! Cansei disso!

De Pastor para Pastor

Pastor

Seja conhecido pelo seu caráter e não pela sua roupa.
Seja honrado pela sua prestabilidade e não pelo seu posto.
Seja recompensado pela direção de Deus e não por predileção.
Seja louvado pelo seu compromisso com Deus e não por conivência, nem conveniência, menos ainda por leniência.

Pastor

Siga a orientação de Deus para o seu ministério.
Alimente o povo com o melhor que Deus lhe der.
Seja sábio nas decisões que envolvem as pessoas.
Respeite a direção de Deus para o seu povo.
Não negocie usando o povo de Deus como moeda de troca.
Leve a sério a Obra que Deus lhe confiou. Haverá prestação de contas um dia.
Dedique-se a Igreja como a menina dos olhos de Deus.
Proteja a Igreja dos falsos obreiros, falsos profetas e falsas doutrinas.
Lute a fim de ter uma Igreja com saúde.
Interesse-se muito mais saúde do que pelo crescimento. Esse último, Deus dará. Você planta ou rega apenas.
Inculque na sua cabeça que o Reino de Deus não pode ser maculado, escandalizado, atingido, ferido, manchado, prejudicado ou diminuído por qualquer coisa.
Busque primeiro o Reino de Deus e o que você precisar, Deus acrescentará.
Priorize o altar de oração e comunhão com Deus.
Ame a Igreja que Deus lhe confiou.
Trabalhe com alegria.
Siga em frente, avançando sempre, mas vez por outra, olhe para trás para ver se todos estão no seu ritmo.
Proteja sua família das contingências do ministério. Reserve tempo para ela. É o seu maior patrimônio.
Tenha as Escrituras sempre próximo do seu coração para não pecar contra o Senhor.
Aprenda com cada adversidade.
Não recue diante dos obstáculos.

Feliz Dia do Pastor!

Evite os Extremos

Admire, mas não bajule.
Sirva, mas sem interesse.
Ame, mas sem fingimento.
Busque, mas sem pisar em ninguém.
Sofra, mas sem autocomiseração.
Sorria, mas sem vanglória.
Comemore, mas sem exclusão.
Corra, mas sem pressa.
Descanse, mas sem estacionar.

quarta-feira, 1 de janeiro de 2014

Nossas Construções

Geralmente, as construções são valorizadas pela beleza arquitetônica. Gaba-se ao dizer quantos milhões foram investidos. Há vanglória em cada exclusividade.

Mas esquecemos que nem sempre tudo o que está a mostra representa a imponência e segurança se os alicerces não foram tão valorizados quanto o visível. Pra que investir tanto se vai ficar debaixo da terra, invisível aos mais detalhistas? Ledo engano: todo o belo e admirável, sem os cuidados de um bom alicerce, um dia ruirá! O que foi feito nas recâmaras será apregoado de um poste muito alto.

Toda palavra frívola que você disser, toda mentira encobridora, todo lixo varrido pra debaixo do tapete, todo pecado não confessado, todo pensamento malicioso, toda ação destruidora, tudo, tudo, tudo um dia será trazido às claras.

A vida reta é inabalável e inegociável, os olhos de Deus não dormem, somos vigiados 24h. O pecado jaz à porta, quer nos dominar, é necessário resisti-lo.

Vigiemos! Vida santa já!

Traidores

Um império hipócrita está reinando agora. Todos falam a mesma coisa quando estão reunidos, mas individualmente são traidores da massa. Não há unidade na coletividade, nem bom senso na individualidade.

As Escrituras nos falam dos homens traidores dos últimos dias, e isso não acontece fora da Igreja, porque os de lá não estão de mãos dadas conosco. Charles Swindoll disse que a Igreja é o único campo de batalha em que apontamos as armas para os companheiros. É difícil reconhecer, mas nós somos os nossos maiores traidores.

Vivemos a época do falso ensino de que não podemos perder ninguém, e com isso ignoramos falhas de caráter, porque acreditamos que a Igreja é um hospital para os doentes. Eu pergunto: Você vai ao hospital para continuar doente ou espera que o médico, a partir do diagnóstico, lhe receite o remédio que lhe trará a cura?

O Evangelho é o bisturi do médico. Perseguição não acaba com a Igreja, mas o pecado é sempre fatal.

É tempo de acabar com os tronos que foram erguidos e deixar a verdade do Evangelho nos constranger, fazer-nos corar de vergonha.

Deixe Deus cuidar da Igreja, deixe Cristo ser o Senhor dela, deixe o Espírito Santo orientar os seus ministros. Não quero saber do estatuto, quero saber o que Deus diz sobre isso ou aquilo. Não quero ver predileção, quero ouvir o Espírito dizer: "Separe este". Não quero encontrar o sermão na internet, quero cavar com uma mão e receber com a outra. Não quero dizer: "Estou sentindo", quero que todos vejam que minhas decisões são inspiradas por Deus e por isso são incontestáveis. Não quero esperar por algo que nunca chega, quero viver para receber aquilo que a Escritura me garante. Não quero ser pastor por causa do status, quero me doar pelo rebanho para apresentar o maior número ao que me comissionou e receber dele segundo a sua reta justiça. Não quero ser de meias palavras, quero pregar o Evangelho como Cristo pregou, mostrando o Caminho, a Verdade e a Vida.

Não quero ser traidor do Evangelho. Ajuda-me, Senhor!

Não Somos Mais os Mesmos

Não somos mais os mesmos.

Vivemos um evangelho que se preocupa só com o interior, que cuida do exterior como se fosse um deus. Essa preocupação com o interior não significa que zelamos da comunhão, consciência, amor e fraternidade. É simplesmente bonito dizer que Deus quer o coração e que se o coração for dele, todo o mais será. Ledo engano!

Nossa fé só existe dentro das quatro paredes. Fora de lá, somos como os outros. Contamos piadas imorais, xingamos, zombamos, somos desonestos e mentirosos. Perdi a contas das vezes que vi crentes dizer impropérios contra a Igreja, governo, política. Quantas vezes será preciso dizer que a vida cristã não é dicotômica?

Perdemos mais tempo discutindo linhas teológicas do que lendo o maior tratado de teologia, a Bíblia. Queremos encontrar respostas pra tudo baseado no "eu acho" e esquecemos que muitos de nossos anseios está a uma oração de distância.

E por falar de orações, será que ainda sabemos o que é isso? Mesmo dentro de nossas igrejas somos ensinados a decretar, exigir, revoltar-se. Estimulam-nos mais a dizer: "eu não aceito" do que "seja feita a tua vontade".

Faz quanto tempo que você não vê pessoas sendo batizadas com o Espírito Santo? Quanto tempo que não ouve uma verdadeira profecia? Não sente saudade de ver uma cura milagrosa? Nossas campanhas resumem-se ao aqui e agora. Não somos mais como antigamente. Existe mais pentecostais dispostos a negar a contemporaneidade disso do que se imagina. O não-revestido conformou-se. Mas o poder está aí.

Nosso cristianismo de poder está morrendo e nossa espiritualidade tornou-se virtual e utópica. É bonito cantar canções proféticos, é hilariante fazer orações proféticas e mobilizar o povo a buscar o milagre que nunca chega. Somos parecidos com o aleijado a beira do tanque de Betesda. Ouvimos Jesus perguntar: "queres ser são" mas continuamos com o olho no tanque, baseando nossa fé numa crendice jamais testemunhada.

Estamos como a Igreja de Sardes. Nosso nome vive, mas estamos mortos. Podíamos classificar várias tragédias que estão acontecendo no nosso meio evangélico (se você pensou que me refiro a igreja loval, coloque uma luneta), mas vou parar. Ainda tenho esperança de um cristianismo menos teórico. Sinto saudade de línguas espirituais, profecias, interpretação de línguas, dons de cura (esses, então), revelações (palavra do conhecimento), soluções de problemas (palavra da sabedoria), discernimento (taí a razão de tanta besteira entronizada), fé e maravilhas. Sinto saudades.

Que o Senhor nos ajude! Ainda dá tempo, não sei como, mas creio. E é isso que me sustenta, saber que Deus está interessado no nosso retorno aos seus imutáveis e eternos princípios.