segunda-feira, 21 de março de 2011

Interpretação Bíblica: Existem Limites

Comumente os mais absurdos erros de interpretação bíblica são cometidos por que faltam, no mínimo, conhecimento básico de teologia. As regras abaixo são fáceis de aplicar e mais fáceis ainda de decorar. Faça o teste: o seu próximo encontro com a Bíblia pode ser diferente.

Princípios de Interpretação Bíblica

Regra 1: Estude a Bíblia partindo do pressuposto de que ela é autoridade suprema em questões de religião, fé e doutrina

Regra 2: Não se esqueça que a Bíblia é a melhor intérprete de si mesma, isto é, a Bíblia interpreta a própria Bíblia

Regra 3: Dependa da fé salvadora e do Espírito Santo para a compreensão e interpretação das Escrituras

Regra 4: Interprete a experiência pessoal à luz das Escrituras e não as Escrituras à luz das experiências pessoais

Regra 5: Os exemplos bíblicos só tem autoridade prática quando amparados por uma ordem que os torne mandamento universal

Regra 6: O principal propósito das Escrituras é mudar a nossa vida, não multiplicar os nossos conhecimentos

Regra 7: Todo cristão tem o direito e a responsabilidade de interpretar pessoalmente as Escrituras seguindo universalmente aceitos pela Ortodoxia Bíblica

Regra 8: Apesar da importância da história da Igreja, ela não chega a ser decisiva na fiel interpretação das Escrituras

Regra 9: O Espírito Santo quer aplicar as promessas divinas, registradas nas Escrituras, à vida do crente, em todos os tempos

Princípios Gramaticais de Interpretação

Regra 1: As Escrituras só tem um sentido, e deve ser tomado literalmente

Regra 2: As palavras do texto bíblico devem ser interpretadas no sentido que tinham no tempo do autor

Regra 3: As palavras do texto bíblico devem ser interpretadas em relação à sua sentença e ao seu contexto

Regra 4: Quando um objeto inanimado é usado para descrever um ser vivo, a proposição pode ser considerada figurada

Regra 5: As principais partes e figuras de uma parábola representam certas realidades. Considere essas principais partes e figuras somente quando estiver tirando conclusões

Princípios Históricos de Interpretação

Regra 1: Uma palavra nunca é compreendida completamente até que se possa entendê-la como palavra viva, isto é, originada na alma do autor

Regra 2: É impossível entender um autor e interpretar corretamente suas palavras sem que ele seja visto à luz das circunstâncias históricas

Regra 3: Uma vez que as Escrituras se originaram de modo histórico, elas devem ser interpretadas à luz da História

Regra 4: Embora a revelação de Deus nas Escrituras seja progressiva, tanto o AT como o NT são partes essenciais desta revelação e formam uma unidade

Regra 5: Os fatos ou acontecimentos históricos tornam-se símbolos de verdade espirituais, somente se as Escrituras assim os designarem

Princípios Teológicos de Interpretação

Regra 1: Você precisa compreender gramaticalmente a Bíblia, antes de compreendê-la teologicamente

Regra 2: Uma doutrina não pode ser considerada bíblica, a menos que resuma e inclua tudo o que a Escritura diz sobre ela

Regra 3: Quando parecer que duas doutrinas ensinadas na Bíblia são contraditórias, aceite ambas como escriturísticas, crendo confiantemente que elas se explicarão dentro de uma unidade mais elevada

Regra 4: Um ensinamento simplesmente implícito nas Escrituras, pode ser considerado bíblico quando uma comparação de passagens correlatas o apóia

Nenhum comentário: