terça-feira, 19 de junho de 2007

Mudanças...

Não é fácil mudar. Provocar mudanças, mais difícil ainda.
Algumas são necessárias, outras são apenas desejos de uma personalidade egoísta. Até isso é difícil afirmar, mas talvez eu tenha agido assim. Querendo ter tudo certinho, acabei sendo tentado a deixar as pessoas parecidas comigo. Não sou perfeito, mas gosto de cumprir compromissos. Não cumpro todos, mas, por Deus, eu tento de todas as formas. E já mudei demais por causa das pessoas.
Mudei...
O corte de cabelo (ficava tão careca que não precisava cortar por um mês),
A cor da camisa (um dia me disseram que a cor vermelha me deixava como o mascote do flamengo),
O estilo das roupas (antes, só social, em todos os lugares),
O relógio do braço (sem comentários, tinha vergonha de usá-los),
Os sapatos (um amigo me disse que os cadarços demonstravam estabilidade no homem; segui o seu conselho),
As preferências (tenho minha própria opinião acerca de muitas coisas, mas nem todas são cem por cento aceitáveis e certas),
A expressão (durante muito tempo fui grosso e não aceitava opinião de ninguém acerca de nada, até que um amigo teve coragem de dizer-me que precisava mudar; tenho me esforçado para cumprir esse desejo),
O tom da voz ( falava tão alto que as pessoas se afastavam de mim; um outro amigo chamou-me a atenção na frente de um bocado de gente, quase morri, mas valeu a lição. Fiquei moderado),
Já mudei muito por causa das pessoas, mas dificilmente provoco isso nas pessoas. Esse final de semana sofri muito com isso. A quebra de compromisso, o desfazer das palavras, a mudança de atitude por causa da raiva do momento, tudo isso me deixou muito confuso sobre o que realmente eu quero pra mim. Alguém me disse que, às vezes, o que é bom pra mim, nem sempre é bom para os outros. Acho que isso é verdade. Esforcei-me pra fazer várias cópias de mim; não consegui nem vou conseguir. Chega, cansei. Já me intrometi demais, falei demais.
Quero aceitar as pessoas como elas são. Deixar que elas se comportem como querem. Se quebrarem seus compromissos, quero não ligar. Se desfizerem de suas palavras, quero não me importar, e se em momento de raiva disserem coisas que machucam, quero considerar que estão apenas com raiva e que têm esse direito. Não quero mais sair machucado de nenhuma discussão. Quero me esforçar pra isso. Vou lutar pra ser assim. Agora...
Quero tentar!

Nenhum comentário: