sábado, 3 de março de 2012

Escola Bíblica Dominical (parte 4)

A ORGANIZAÇÃO DA ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL

Nossa primeira e grande preocupação deve ser que, tudo que fizermos para o Senhor, façamos bem feito. Em Jr 48.10 está escrito: “Maldito aquele que fizer a obra do Senhor relaxadamente!...” Um dos aspectos que implica em executar bem o trabalho do Senhor é a organização. É indispensável em todos os aspectos de nossa vida e também no trabalho que realizamos para Jesus. Nada é mais desagradável do que visitarmos uma dona de casa desorganizada. Uma empresa ou um escritório desorganizado não transmite confiança em ninguém.

A Bíblia deixa claro que o nosso Deus não é Deus de confusão. Quando estudamos sobre a criação notamos que todas as coisas criadas obedecem a um plano altamente organizado. Há na natureza um equilíbrio perfeito, como por exemplo, a seqüência dos dias e das noites e das estações do ano ou a órbita dos planetas. Pasmamos ante a movimentação dos astros nos céus cada um em seu próprio caminho e jamais se chocarem.

E que dizer da ordem que Deus determinou ao estabelecer as festas e os sacrifícios para o povo de Israel? Cada objeto no Tabernáculo tinha o seu lugar específico. A disposição das Tribos e das famílias no acampamento, a ordem dos cantores no serviço do Templo. Textos, como o de Rm 12.3-5, nos fazem entender que também na Igreja Primitiva havia uma ordem estabelecida.

1. As Dependências.

Para que possa haver boa organização é preciso que haja uma estrutura que favoreça isso. Ao construirmos novos templos devemos cuidar para que as instalações favoreçam o crescimento “total” da Igreja. Não apenas o crescimento numérico, mas também o crescimento espiritual através de um departamento de educação cristã, bem organizado e atuante, sendo os seus obreiros cheios do Espírito Santo e preparados para ensinar.

O ideal seria que toda Igreja tivesse em sua dependência ao menos uma sala pastoral, uma secretaria bem organizada, com sala própria, uma tesouraria independente, sala para o departamento de missões e evangelização, salas amplas e equipadas para classes da EBD, um salão para eventos, etc. A EBD crescerá enquanto houver espaço para isso.

Essas dependências devem oferecer algumas condições básicas para o funcionamento das classes, tais como: ventiladas e bem iluminadas; tamanho apropriado para comportar uma classe normal; permitirem visualização externa; dotadas de recursos áudio visuais; e dotados de móveis apropriados.

2. A Delegação de Cargos.

O nosso Manual da EBD sugere a disposição dos cargos assim: 1) Diretor; 2) Superintendente; 3) Vice-presidente; 4) 2 secretários; 5) Tesoureiro; 6) Professores; 7) Bibliotecário; 8) Dirigente musical; 9) Porteiros e introdutores.

Uma outra sugestão dada por nossos especialistas em EBD, baseadas também em nosso Manual, é: 1) Diretor; 2) Superintendente; 3) Vários superintendentes conforme o porte; 4) Coordenadores de seções (classes congêneres); 5) Secretários (conforme o porte); 6) 2 arrecadadores (controle e guarda da tesouraria); 7) Professores (dois em cada classe); 8) Bibliotecário; 9) Dirigente musical; 10) Porteiros e introdutores; 11) Líderes de equipes de visitas (em cada classe); 12) Secretários de classe.

3. O Programa da EBD.

Segue-se uma sugestão para um programa da EBD:

Oração (20 – 30 minutos): o sucesso da EBD depende não só do ensino que os alunos receberão, mas também da dedicação à oração manifesta por todos. Logo de início deve-se orar a Deus no sentido de que Ele inspire os professores ao comunicarem a Palavra, e abra a mente dos alunos para que a entendam.

Abertura (10 – 12 minutos): inclui hinos de louvor a Deus, relacionados com o tema da lição; leitura do texto bíblico referente à lição. Na oportunidade, deve-se orar pelos alunos e professores ausentes, por motivos de enfermidades, viagens ou outros problemas. O horário de início deve ser obedecido pontualmente. Nesse sentido os professores devem ser o exemplo, chegando à Igreja sempre 10 a 15 minutos antes do início.

Estudo da lição (45 – 60 minutos): é o ponto alto da EBD. O uso de métodos e técnicas apropriadas tornará o estudo agradável e facilitarão a aprendizagem, seja em classes de adultos, jovens, adolescentes ou infantis.

Programas Especiais (de acordo com as conveniências): dias especiais como: Natal (lembrando o nascimento de Jesus), Páscoa (lembrando a Morte e Ressurreição de Jesus), datas cívicas (Proclamação da República, Independência, etc.), dia das crianças, dos pais, das mães, da EBD, de Missões, etc., que devem ser comemorados de forma especial. Essa comemoração pode ser em forma de recitação, discurso, homenagem especial, palestra, recital de música relacionada ao assunto, etc.

Encerramento (15 – 30 minutos): poderá ser mais prolongado quando houver programa especial. Deve incluir a aplicação prática da lição, recitação das classes, leitura do relatório geral com destaque para os assuntos mais positivos, anúncios e oração final.

Nenhum comentário: