quinta-feira, 25 de março de 2010

Aconselhamento Cristão (15ª parte)


A SEXUALIDADE DO CONSELHEIRO

Trata-se de uma dificuldade que todos os conselheiros enfrentam, quer fale ou não com os outros.

Analisem: São duas pessoas trabalhando juntas para um alvo comum, surgem sentimentos de camaradagem e cordialidade entre elas. Se possuírem um estilo de vida similar, e especialmente quando são do sexo oposto, os sentimentos calorosos quase sempre incluem um componente sexual.

O aconselhamento freqüentemente envolve a discussão de detalhes íntimos. Isto pode despertar sexualmente tanto o conselheiro como o aconselhado. O potencial para a imoralidade pode ser ainda maior se o aconselhado é ainda atraente.

A atração sexual é algo comum e o conselheiro prudente deve esforçar-se o máximo para exercer autocontrole.

As precauções do conselheiro envolvem:

1. Proteção espiritual.

  • A meditação na Palavra de Deus, a oração e a proteção do Espírito Santo são elementos indispensáveis.
  • O conselheiro deve vigiar sua mente.
  • Encontrar um crente a quem o conselheiro regularmente possa prestar contas dos seus atos é de grande valor.
  • Não cair na armadilha de pensar: “Isso acontece com os outros, mas, jamais aconteceria comigo”. Esse é o orgulho que precede a queda.
  • Se cair, e daí? Deus perdoa, mas as cicatrizes ficam.
2. Percepção dos sinais de perigo.

  • A comunicação de mensagens sutil de qualidades mais intima (sorrisos, levantar as sobrancelhas, contatos físicos, etc).
  • O desejo do conselheiro e aconselhado de manterem um relacionamento.
  • Ansiedade, especialmente por parte do aconselhado de divulgar detalhes ou fantasias de experiências sexuais.
  • Reconhecimento por parte do conselheiro de que precisa ver o aconselhado.
  • Frustração crescente na vida conjugal do conselheiro.
  • Prolongamento do tempo e freqüência das entrevistas, algumas vezes suplementadas por chamadas telefônicas.
3. Estabelecimento de limites.

  • Quando a atração sexual se faz presente, o conselheiro pode interromper o aconselhamento, transferir o trabalho para outra pessoa ou até mesmo discutir esses sentimentos com o aconselhado.
  • Deve-se recusar conversas telefônicas prolongadas;
  • Desencorajar discussões detalhadas de tópicos sexuais;
  • Evitar o contato físico
  • Encontra-se num lugar que desestimule olhares ou intimidades pessoais;
  • A maneira de sentar;
  • Não aproximar demasiadamente do aconselhado.
4. Análise de atitudes.

  • As conseqüências sociais (arruína a reputação, o casamento, etc.).
  • Verdade teológica (é pecaminoso e o cristão deve abster-se).

Nenhum comentário: