terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

A Grande Obra de Neemias (4ª parte)


MEDIDAS NECESSÁRIAS PARA A EXECUÇÃO DE UMA GRANDE OBRA

“Nós, porém, oramos ao nosso Deus, e pusemos guarda contra eles de dia e de noite” (Ne 4.9).

As medidas que foram adotadas por Neemias devem ser postas em prática pelo obreiro do Senhor, caso contrário, não será possível fazer a grande obra que lhe foi confiada. O obreiro do Senhor tem que tomar decisões contra frentes que impedem o seu trabalho.

Neemias tomou duas medidas:

1. Foi preciso retirar os escombros para encontrar os alicerces antigos (Ne 4.10).

O que havia caído eram os muros não o alicerce, e o texto mostra que muitos entulhos ficaram pelo chão. Logo, o primeiro trabalho a se fazer era tirar o lixo que cobria o alicerce. Isso não foi tarefa fácil, diz o nosso texto que os homens ficaram exaustos, chegaram até a desanimar dizendo: "nunca iremos conseguir reconstruir os muros, pois existe muito lixo pesado sobre o alicerce" (Ne 4.10).

Remover lixo não é uma tarefa fácil nem gostosa de se fazer, mas para se reconstruir alguma coisa é preciso tirar o lixo, não se faz uma construção sobre um monte de entulhos.

Talvez você está aqui hoje dizendo: “um dia os muros da minha vida ministerial foram para baixo, o pecado teve liberdade e muito lixo foi acumulado na minha vida”. Satanás quer vê-lo desmotivado. Mas, se você sujou a sua vida com pecado você só precisa reconhecer que errou, pedir perdão a Deus e Ele está pronto a perdoar (1Jo 1.9).

Como é fácil guardar lixo! Quem tem porão, sótão ou um quartinho nos fundos da casa sabe muito bem o que é acumular coisas velhas. Às vezes paramos para mexer nestes lugares e achamos tanto lixo que não serve para nada. O problema é que não queremos nos desfazer deles. Assim é a vida no ministério. Às vezes há lixo guardado na mente, no coração e queremos mantê-los a todo o custo. Como é difícil se desprender do lixo.

Essas sujeiras espirituais impedem que nós tenhamos maior comunhão com nosso Deus, que façamos a vontade de Deus, e até mesmo de exercer eficazmente o ministério.

Ser um obreiro espiritual é ter a capacidade de reconhecer um lixo em sua vida e ter a coragem de descartá-lo.

Alicerces antigos falam da doutrina genuína do evangelho que tem estado coberta pelo lixo do pecado, da falta de zelo, do desleixo espiritual resultante da falta de oração e do contato diário com a Palavra.

Para Neemias, jamais a obra seria realizada senão fossem retirados os entulhos.

2. Foi preciso restaurar as portas (Ne 6:1).

As portas eram muito mais do que simples lugar de entrada e saída, era também um lugar de jurisdição, onde as autoridades se encontravam para tratar de negócios.

Também por mais fortes que sejam os muros eles perderão sua função se não houver as portas, e Neemias nos conta outro fato (Ne 3:3; 6; 13; 14; 15), as portas deveriam ser trancadas.

Aprendemos que a porta da vida Ministerial deve ser fechada para o embaraço, o pecado, o desfalecimento e raízes de amargura (Hb 12.1).

Embaraços são sobrecargas que levam um obreiro a desistir da carreira que lhe está proposta. O embaraço traz dificuldade para o obreiro, fazendo com que ele não se movimente com agilidade. A ambição mundana jamais poderá estar no coração do servo de Deus.

Pecado aqui é aquilo que faz alguém mudar o seu rumo da carreira, por estar em direção ao alvo errado. Se um obreiro vive no pecado ficará sem condições de buscar respostas de Deus para o povo.

O desfalecimento na obra foi uma constante na vida dos auxiliares de Neemias. Foram vários os momentos em que o povo quis desistir. O obreiro do Senhor tem que ter fibra, determinação, não pode perder a coragem, nem afrouxar.

O escritor aos Hebreus escreve: “... que nenhuma raiz de amargura, brotando vos perturbe, e por ela muitos se contaminem” (Hb 12.15). Uma raiz de amargura indica uma planta venenosa. Os hebreus chamavam de amarga a toda a planta venenosa, e com grande propriedade, pois a maioria das plantas venenosas, quanto mais amargas são, maior é a dose de veneno. Só a genuína Palavra de Deus não contém veneno. Ela diz não para morte e sim, para a vida (Hb 4.12).

As portas também deveriam ser guardadas (Ne 7:1-3), é preciso colocar guardas leais e tementes a Deus para guardas as portas.

A igreja de Cristo necessita de guardas fiéis. A Palavra diz o que se espera de todos os despenseiros que se ache fiel (1Co 4.2).

É imprescindível entender que:
  • Não é possível fazer a grande obra a nós comissionada em cima de entulho (lixo). O obreiro do Senhor tem que reconhecer o entulho que impede a execução da Obra do Senhor.

  • É necessário trancar as portas para que o inimigo não tenha espaço na Igreja de Deus. O obreiro deve estar numa torre de vigia.

  • Tanto nossas vidas espirituais, como nossas famílias e também as igrejas, precisam de guardas fiéis, responsáveis que não permitam que o pecado, o mundanismo e a imoralidade entrem.

Nenhum comentário: