segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

Temperamentos


“Tendo por certo isto mesmo, que Aquele que em vós começou a boa obra a aperfeiçoará até o dia de Cristo Jesus” (Fp 1.6).

O temperamento é o conjunto básico de nosso ser; é a combinação de diferentes características, transmitidas geneticamente, as quais inconscientemente, controlam nosso procedimento. Devido à diferença dos temperamentos, as pessoas poderão ter reações ou comportamentos diferentes perante a mesma situação. Nas melhores pessoas encontramos os maiores defeitos e nas piores pessoas, as maiores virtudes.

Conhecer nosso próprio temperamento é fundamental para que possamos buscar uma canalização positiva de nossas atitudes advindas do temperamento e o fortalecimento das nossas qualidades.

As pessoas podem ser classificadas em quatro grupos de temperamentos: Sanguíneo, Melnacólico, Colérico e Fleumático.

1. Sanguíneo

Qualidades: Comunicativo, destacado, entusiasta, afável, simpático, bom companheiro, compreensivo, crédulo.

Defeitos: Fraco de ânimo, volúvel, indisciplinado, impulsivo, inseguro, egocêntrico, barulhento, exagerado, medroso.

Pedro era sangüíneo. O sangüíneo tem o “sangue quente”. As falhas de Pedro estavam justamente no calor do seu coração. Ele exibia calor, intensivamente em suas emoções e ação dinâmica. Ninguém foi tão falante, tão vibrante e tão decisivo como Pedro. Amava ao Senhor intensamente e era o seu companheiro de todas a horas (Mt 17.1; Jo 21.17). Demonstrava publicamente as suas emoções para com o Senhor (Lc 5.1-11; Jo 6.69). Era desinibido e sincero (Lc 5.8). Comunicativo, sempre respondia com entusiasmo às emoções do seu coração (Mt 14.28-29; Jo 18.10). Submetendo suas fraquezas ao Senhor e cheio do Espírito Santo, Deus o fortaleceu (1Pe 5.10). Através do livro de Atos podemos ver que seus defeitos foram sobrepujados pelas qualidades, que se realçam em poder nas palavras (1Pe 2.14-40); constância (1Pe 3.1); coragem (1Pe 4.13); sabedoria (1Pe 4.19-20); alegria (1Pe 5.41); humildade (1Pe 10.25-26); amor (1Pe 10.21-28), amabilidade (1Pe 11.4); fé (1Pe 12.6); paciência (1Pe 12.16) e liderança (1Pe 15.7).

2. Melancólico

Qualidades: Habilidoso, minucioso, sensível, perfeccionista, esteta, idealista, leal, dedicado.

Defeitos: Egoísta, amuado, pessimista, teórico, confuso, anti-social, crítico, vingativo, inflexível.

Moisés era melancólico. Muitos personagens da Bíblia demonstraram possuí-lo, mas o mais destacado foi Moisés. Moisés era talentoso (At 7.22); abnegado (Hb 11.23-27); perfeccionista (Deus usou essa qualidade para lhe dar os detalhes da Lei, da justiça divina e do Tabernáculo); leal (os livros da Lei, revelam isso) e extremamente dedicado (Ex 32.31-32). Mas sofria de um complexo de inferioridade que trazia à tona todas as fraquezas do melancólico (Ex 3.11-13; 4.1,3,10,13). Muitas vezes se deixava dominar pela ira (Nm 20.9-12) e pela depressão (Nm 11.11-15). O seu encontro com o Senhor no Monte Horebe e a freqüente busca da sua face, contudo, fizeram dele um homem cheio do Espírito Santo, um líder destemido, e tornou-se “o homem mais manso da Terra” (Nm 12.3). Suas qualidades se destacaram e foi o grande legislador de Israel.

3. Colérico

Qualidades: Enérgico, resoluto, independente, otimista, prático, eficiente, decidido, líder, audacioso.

Defeitos: Iracundo, sarcástico, impaciente, prepotente, intolerante, vaidoso, auto-suficiente, insensível, astucioso.

Paulo era colérico. A principal qualidade do colérico é a força de vontade, que faz dele uma pessoal enérgica, eficiente, resoluta, e um líder cheio de audácia e otimismo. Paulo foi um portador desse temperamento notável, o livro de Atos e suas cartas no-lo revelam (Gl 1.10; Fp 3.10-14; Gl 1.15-18; At 14.19-24). Apesar deste caráter ativo, prático, dinâmico e corajoso, Paulo antes de conhecer a Jesus e receber o Espírito Santo, demonstrou-se um homem cruel, zangado, hostil e amargurado (At 9.1); insensível (At 7.58-59); astucioso e prepotente (At 9.2). Ele testificou de si mesmo, o que vemos em 1Tm 1.12-16. Porém, o enchimento diário do Espírito Santo, a entrega de suas falhas a Deus (2Co 12.7-10), fizeram dele um líder apto a escrever (Gl 5.16-22). Olhando para suas fraquezas, ele afirmou: “Posso todas as coisas naquele que me fortalece” (Fp 4.13).

4. Fleumático

Qualidades: Calmo, tranqüilo, cumpridor de deveres, eficiente, conservador, pratico, líder, diplomata, bem-humorado.

Defeitos: Calculista, temeroso, indeciso, contemplativo, desconfiado, pretensioso, introvertido, desmotivado.

Abraão era fleumático. Todas as qualidades do fleumático estavam presentes na vida do fiel Abraão. Ele era pacífico, prático e bem humorado (Gn 13.8-9); leal, calmo e eficiente (Gn 14.14-16); cumpridor de seus deveres (Gn 14.20); conservador em seus princípios (Gn 14.22-24). Deus o provou em todas as suas promessas, mas ele permaneceu firme na fé. Dele disse Deus: “Eu o tenho conhecido” (Gn 18.19). Todavia, ele apresentava também os defeitos desse tipo de temperamento. Com o crescimento da sua vida espiritual e submissão a Deus, assumiu suas posições e foi liberto da incredulidade (Hb 11.8-9); do medo (Hb 11.17) e fortalecido na fé (Gn 22.8). Apesar de seu temperamento, o seu direcionamento à Deus, o fez um dos maiores homens que já viveu.

Não podemos mudar nosso temperamento. Ele faz parte de nosso ser. Mas podemos usá-lo sabiamente e com o controle do Espírito Santo, de maneira tal que até o que parece defeito passa a ser virtude. Todos devemos saber que não somos perfeitos. Contudo, não nos desanimemos Temos apenas que crescer no amadurecimento em Cristo (Rm 12.1-2; 6.11-13; Fp 4.13). Todas as pessoas se enquadram em um ou mais temperamentos. À proporção que forem sendo transformados pelo Espírito Santo, os defeitos do seu temperamento serão anulados e sua qualidades aperfeiçoadas.

Deus precisava tanto de Paulo colérico, que teve coragem de chegar diante das autoridades e dizer: “estou falando Daquele Jesus que vocês crucificaram, e que não ficou no túmulo, mas ressuscitou dos mortos”, como precisava do amor e carinho de João fleumático, que tratava a todos com palavras doces como: “filhinhos... amados”. É importante notar que Deus não mudou o temperamento deles, mas canalizou-os, controlando-os com Seu Espírito, fez deles bênçãos. É isso que Ele quer fazer com você.

Deus quer usá-lo como você é:

  • Se você é sangüíneo, use sua habilidade de comunicação para falar do reino de Deus.

  • Se você é melancólico, use toda sua sensibilidade, habilidade e dedicação ao Reino de Deus.

  • Se você é colérico use toda sua audácia, coragem e eficiência, como Paulo, para falar em qualquer tempo e em qualquer lugar, sobre o Jesus crucificado, mas ressurreto.

  • Se você é Fleumático, use seu amor sua maneira carinhosa de ser, para mostrar ao mundo que vive no ódio e no desamor, o amor Daquele que deu o Seu único Filho por nós e que nos amou primeiro.

Deus nos fez como somos. Seja o que você é, e apenas canalize para Deus o seu temperamento. Deus quer tão somente controlá-lo com Seu Espírito, de maneira tal que tudo em você seja para glória dEle.

Nenhum comentário: